fbpx

A moral questionável dos senadores que sabatinaram Sergio Moro

 


Em audiência que começou às 9 e terminou por volta das 18 horas desta quarta-feira (19), o ex-juiz e Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, respondeu às perguntas de senadores sobre as supostas mensagens trocadas entre ele e o procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal (MPF), a respeito da Operação Lava-Jato.

Moro esteve diante de pelo menos oito senadores que já foram citados na Lava Jato, como Humberto Costa;  Otto Alencar; Cid Gomes; Eduardo Braga; Antonio Anastasia; Esperidião Amin; Ciro Nogueira e Jader Barbalho.

Além deles, a grande maioria dos senadores que sabatinou Moro, tem algum envolvimento ou citação em ações criminosas.

Confira a lista:

WEVERTON ROCHA (PDT-MA)

Enquanto deputado (2009), o senador Weverton Rocha foi acusado pelo Ministério Público Federal de irregularidades quando era secretário de Esporte e Juventude do Maranhão, na contratação de uma empreiteira e de dispensa de licitação para a reforma de um ginásio de São Luís.

Ele tornou-se réu em 2017 pelos crimes de violação à Lei de Licitações e peculato (desvio de recursos praticado por servidor público).

FERNANDO BEZERRA COELHO (MDB-PE)

Em 2018, o Ministério Público Federal afirmou que Bezerra recebeu propina quando era secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. As irregularidades foram cometidas na licitação das obras do Cais V e do Pier Petroleiro do Porto de Suape.

Segundo o MPF a suspeita era de que o senador tenha cometido os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele nega as denúncias. O montante, segundo a PGR, teria totalizado R$ 2 milhões, sendo 60% pagos pela Odebrecht e 40% pela empreiteira OAS.

ÂNGELO CORONEL (PSD-BA)

Os dois anos (2017/2018) em que o senador Angelo Coronel (PSD) esteve à frente da presidência da Assembleia Legislativa deixaram um rombo de R$ 183 milhões,

O sucessor de Coronel, o deputado estadual Nelson Leal (PP), teria confirmado a existência do déficit milionário e disse que a gestão do parlamentar do PSD colocou a Assembleia em estado pré-falimentar.

Leal teria afirmado não saber mais o que fazer para regularizar as finanças do Legislativo e pagar dívidas legadas por Coronel.  

ROGÉRIO CARVALHO (PT-SE)

Em 2016, Rogério Carvalho foi CONDENADO em um processo por atos de improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos por oito anos. A condenação é de quando Carvalho foi secretário da saúde do Sergipe.

A apuração constatou irregularidades existentes nos procedimentos licitatórios e afins realizados pela Secretaria da Saúde do Estado à época sob a gestão do então secretário de saúde, Rogério Carvalho.

HUMBERTO COSTA (PT-PE)
*LAVA JATO

Em 2017, o ex-líder do PT do Senado, Humberto Costa (PE), teria recebido quase R$ 600 mil em propina da Odebrecht para o financiamento de sua campanha em 2010.

O valor teria sido tratado num processo licitatório que a construtora participou dentro do Plano de Ação de Certificação em Segurança, Meio Ambiente e Saúde (PAC SMS).

ESPERIDIÃO AMIN (PP-SC)
*LAVA JATO

Uma emenda proposta pelo então deputado e hoje senador, Esperidião Amin (PP-SC) em 2016, previa um prazo de seis meses, prorrogáveis por mais seis, para a conclusão de investigações contra políticos com mandato e poderia garantir impunidade na Lava Jato para pelo menos 31 parlamentares.

Além disso, um delator apontou irregularidades praticadas pela Odebrecht durante a gestão de Esperidião Amin no governo de Santa Catarina, entre 1982 a 1987.  

TASSO JEREISSATI (PSDB-CE)

Governador do Ceará em 2000, Tasso Jereissati foi acusado de beneficiar suas empresas com dinheiro público. Quem descobriu foram os auditores do Tribunal de Contas da União da época, que fizeram várias investigações no Banco do Nordeste do Brasil, instituição na época presidida por Byron Queiroz, indicado para o cargo por Tasso.

De acordo com os auditores do TCU, a administração do banco foi marcada por várias irregularidades. Uma delas foi o empréstimo à empresa Refrescos Cearenses – cujo proprietário é Tasso – de cerca de R$ 24 milhões, quase três vezes mais que o valor máximo fixado por técnicos do próprio BNB, com dinheiro do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE).

MECIAS DE JESUS (PRB-RR)

Na última eleição para a presidência do Senado Federal, em 2 de fevereiro deste ano, Mecias de Jesus (PRB-RR) foi suspeito de inserir uma cédula a mais na urna de votação.

Em uma foto do Senado, era possível notar que o parlamentar depositou um papel em branco na caixa – todos receberam cédulas com o brasão da República e um envelope com o símbolo da Casa.

O papel depositado por Mecias de Jesus era completamente branco, mas deveria conter o símbolo do Senado ou uma aba de fechamento.  

Segundo a Crusoé, que entrou em contato com o senador, ele disse não negar o envolvimento na fraude. Mecias se mostrou incomodado com o assunto e disse: “Eu prefiro que deixe a Corregedoria [do Senado Federal] apurar”.

ELMANO FERRER (PODEMOS-PI)

Ex-prefeito de Teresina, o senador foi réu em ação de improbidade administrativa por manter na gestão servidores da saúde sem concurso. Em 2014, era réu em 18 ações do tipo na primeira instância, relativas a casos de 2010 a 2012. Ele alegava que não tinha responsabilidade direta nas indicações e criticou a burocracia de realizar concursos.

EDUARDO BRAGA (MDB-AM)
*LAVA JATO

Em 2017, Eduardo Braga (PMDB-AM) era suspeito de receber R$ 1 milhão de Delação da Odebrecht, quando era governador do Amazonas, segundo inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o delator Arnaldo Cumplido de Souza e Silva, o acordo entre a empresa e o governador era relacionado à construção da ponte do Rio Negro.

CID GOMES (PDT-CE)
*LAVA JATO

Em 2018, O STF homologou acordo com os executivos da Galvão Engenharia. Ciro Gomes e seu irmão Cid Gomes, eram os principais alvos da denúncia.

Segundo a investigação, Jorge Valença, ex-executivo da construtora, era o homem de confiança de Cid Gomes na G. Engenharia, ganhou 2 bilhões em contratos, sendo responsável pela construção da Arena Castelão, Centro de Formação Olímpica e Centro de Eventos.

Em março de 2019, a Justiça Federal do Ceará autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Cid Gomes, no âmbito de um inquérito da Lava-Jato que apura a concessão de benefícios tributários a empresas do grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de doações para campanha. Gomes teria pedido R$ 5 milhões em troca dos créditos.

JEAN PAUL PRATES (PT-RN)

Seis dos 14 senadores (entre eles, Jean Paul Prates) que compunham a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada para investigar a tragédia de Brumadinho já recebeu, direta ou indiretamente, verba de mineradoras em suas campanhas em eleições passadas.

Jean Paul Prates (PT-RN), suplente de Fátima Bezerra, fez campanha em 2014 com R$ 58 da Serveng, grupo que atua com obras, energia e mineração.

RENAN CALHEIROS (MDB-AL)
*LAVA JATO

Primeiro presidente do Senado a se tornar réu no exercício do mandato, Renan Calheiros (PMDB-AL) é alvo de outros 11 inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Oito dizem respeito à Operação Lava-Jato, um à Zelotes, um a desvios em Belo Monte e outro sobre o caso Monica Veloso.  

JUÍZA SELMA (PSL-MT)

“Moro de saias”, como é chamada, ela foi cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso. Os desembargadores apontaram a prática de caixa 2 na campanha dela em 2018, além de abuso de poder econômico, pelo gasto de R$ 1,2 milhão.

JAQUES WAGNER (PT-BA)

A Polícia Federal indiciou em 2018, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner, do PT, por suspeita de receber R$ 82 milhões em propina do consórcio responsável pelas obras da arena fonte nova, em Salvador.

As investigações sobre o suposto desvio de dinheiro na demolição, reconstrução e gestão da Fonte Nova começaram em 2013. A Polícia Federal diz que a obra, comandada pelo consórcio formado pela Odebrecht e pela OAS, foi superfaturada em mais de R$ 450 milhões, em valores atuais.

LASIER MARTINS (PODEMOS-RS)

Em 2017, a jornalista Janice Santos, mulher do senador Lasier Martins (PSD), o denunciou por agressão após ter cortado a mão em um porta joia e ter apanhado de cinta do marido. Segundo ela, as agressões ocorriam há dois anos e meio.

NELSINHO TRAD (PSD-MS)

Nelsinho, que era ex-prefeito de Campo Grande, assumiu sem patrimônio e ao fim da candidatura tinha quase R$ 1 bilhão bloqueado pela Justiça.

Em sua primeira candidatura, em 1992, Nelsinho praticamente não tinha bens, com exceção do imóvel onde funcionava a sua clínica de Urologia, doada em vida pelo pai, patrimônio que o velho Nelson adquiriu da falecida Mirtô Costa, na época por uma verdadeira ‘pechincha’, um grande negócio, que englobava outros imóveis vizinhos. Foi a herança que deixou para o filho primogênito.

LUIS CARLOS HEINZE (PP-RS)

Enquanto deputado, Luiz Heinze (PP-RS), foi alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposto envolvimento nos crimes investigados pela Operação Lava Jato. A acusação foi de ter recebido propina no esquema ligado à Petrobras, delatado pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa.

ALVARO DIAS (PODEMOS-PR)

O senador Álvaro Dias, que foi pré-candidato do Podemos ao Planalto com um discurso anticorrupção, teria pedido R$ 5 milhões para aliviar para Adir Assad na CPMI do Cachoeira.

A suspeita partiu de um e-mail de Samir Assad enviado a Luis Eduardo Rocha Soares, então diretor do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht em 2018.

ROBERTO ROCHA (PSDB-MA)

Interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça Federal na Operação Sermão aos Peixes, da Polícia Federal em 2015, que investigava desvio de dinheiro público da Saúde no Maranhão, relacionaram a mulher do senador Roberto Rocha (PSB-MA), Ana Cristina Ayres Diniz, a um esquema de licitação fraudulenta e superfaturamento nos valores de exames cobrados rede pública municipal pertencente à Prefeitura de Balsas, administrada pelo prefeito Luís Rocha Filho, o Rochinha (PSB), irmão do senador maranhense.

OTTO ALENCAR (PSD-BA)
*LAVA JATO

Em abril de 2017, Emílio Odebrecht relatou suposto caixa 2 para o senador Otto Alencar (PSD). No entanto, contra ao Otto Alencar não foram abertos processos e ele ficou de fora da lista do ministro de Edson Fachin, relator da Lava-Jato.

ANTÔNIO ANASTASIA (PSDB-MG)
*LAVA JATO

Em 2015, Anastasia estreou na tribuna do Senado para se defender da acusação de ter recebido R$ 1 milhão para a campanha de 2010, por ação do doleiro Alberto Yousseff, que negou o vínculo com o senador. Em 2016, foi confirmado o arquivamento do inquérito. Delação da Odebrecht citou vantagens indevidas em doações eleitorais, entre 2009 e 2010.

CIRO NOGUEIRA (PP-PI)
*LAVA JATO

Investigado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Foi alvo da operação “Compensação”, após depoimentos dos colaboradores do grupo J&F que afirmaram terem repassado cerca de R$ 43 milhões ao Partido Progressista, em pagamentos em espécie e doações oficiais.

JADER BARBALHO (MDB-PA)
*LAVA JATO

Investigado no STF por envolvimento na Lava-Jato, é réu em outras ações por danos ao erário e condenado por enriquecimento ilícito por desvio de verbas na antiga Sudam. Delatores da Odebrecht apontaram que ele recebeu R$ 1,5 milhão para campanha ao governo do Pará em 2014.

JOSÉ MARANHÃO (MDB-PB)

O ex-governador da Paraíba já respondeu a oito processos no TSE por abuso de poder político e econômico, compra de votos, conduta vedada e uso indevido de meios de comunicação. Em uma das ações, o senador foi acusado de usar a entrega de ambulâncias e doações para fins eleitorais.

ROSE DE FREITAS (PODEMOS-ES)

O doleiro Lúcio Funaro citou o nome da senadora Rose de Freitas em depoimento à Procuradoria-Geral da República. Disse, em agosto de 2017, que ela negociou propina com o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, preso no âmbito da Operação Lava-Jato.  

VENEZIANO VITAL DO RÊGO (PSB-PB)

Enquanto foi prefeito de Campina Grande, de 2005 a 2012, Veneziano Vital do Rêgo respondeu a processos por violação à Lei de Licitações e vantagem indevida. Em maio de 2018, ele foi denunciado por desviar verba de um banco de alimentos do município. Os desvios foram estimados em R$ 75 mil em 2006.  

RENILDE BULHÕES (PROS-AL)

Suplente do senador Fernando Collor de Mello, Renilde Bulhões foi condenada por improbidade administrativa em 2015 após contratar servidores municipais sem concurso público, quando era prefeita de Alagoas. Ela tomou posse como senadora em abril.

FONTES:

https://g1.globo.com/politica/noticia/deputado-weverton-rocha-vira-reu-no-stf-por-violacao-a-lei-de-licitacoes-e-peculato.ghtml

https://g1.globo.com/politica/noticia/2018/08/03/fachin-envia-para-primeira-instancia-inquerito-de-fernando-bezerra-coelho-na-lava-jato.ghtml

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/gestao-de-coronel-deixa-rombo-de-r-183-milhoes-na-assembleia/

http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2016/08/rogerio-carvalho-e-condenado-por-improbidade-administrativa.html     

https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/exclusivo-humberto-costa-o-dracula-recebeu-propina-com-conhecimento-de-temer-dilma-e-graca-diz-delator/

https://oglobo.globo.com/brasil/saiba-quais-senadores-da-sabatina-de-moro-foram-citados-na-lava-jato-23749809

https://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/se-emenda-amin-for-aprovada-31-parlamentares-podem-ficar-impunes-d79zjpf4oe7w1hcvoao9u8puj/

https://istoe.com.br/31284_CORONE+DOS+ZOIO+AZUL/

https://www.metropoles.com/brasil/politica-br/fraude-no-senado-principal-suspeito-e-mecias-de-jesus-prb-diz-site

https://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/delacao-da-odebrecht-eduardo-braga-pmdb-am-e-suspeito-de-receber-r-1-milhao-da-empreiteira.ghtml

https://oglobo.globo.com/brasil/saiba-quais-senadores-da-sabatina-de-moro-foram-citados-na-lava-jato-23749809

https://conexaopolitica.com.br/ultimas/ciro-gomes-e-cid-gomes-sao-delatados-pela-galvao-engenharia/  

https://oglobo.globo.com/brasil/os-inqueritos-contra-renan-calheiros-20645846

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/02/pf-indicia-jaques-wagner-por-suspeita-de-propina-na-fonte-nova.html

https://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/mulher-do-senador-lasier-martins-denuncia-marido-por-agressao.ghtml

https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/9018/ex-prefeito-que-assumiu-sem-patrimonio-hoje-tem-quase-r-1-bilhao-bloqueado-pela-justica

http://correiodopovo.com.br/Noticias/553582/Investigado-na-Lava-Jato,-Luiz-Carlos-Heinze-presta-depoimento-a-PF

https://www.viomundo.com.br/politica/alvaro-dias-acusado-de-pedir-r-5-milhoes-para-deixar-de-bater-em-investigado-convocou-adir-assad-a-cpmi-do-cachoeira-mas-votou-contra-relatorio-que-o-indiciava.html

https://atual7.com/noticias/politica/2015/12/mulher-de-roberto-rocha-e-envolvida-em-superfaturamento-e-propinagem-em-balsas/

https://oglobo.globo.com/brasil/saiba-quais-senadores-da-sabatina-de-moro-foram-citados-na-lava-jato-23749809

 

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

25 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Não esperar senão duas coisas do Estado: Liberdade e Segurança e ter bem claro que não se poderia pedir mais uma terceira coisa, sob o risco de perder as outras duas.
    SOU LAVA JATO.

    PRISÃO PERPÉTUA PARA OS GATUNOS ROEDORES DAS CARTEIRAS PROFISSIONAIS.
    VIVA DR. SERGIO MORO.

  • Os petralhas, com o p/t-luladrão, estavam com a intenção de construir um império absoluto.
    Um Império absoluto não nasce e nem cresce sozinho. Ele necessita da ignorância e da omissão da populaça, e da concordância mesquinha daqueles que se vendem diante de um imediatismo covarde.
    Prisão perpétua.
    APOIAMOS DR. SERGIO MORO.

  • São os ” fortificantes” da cleptocracia petê: sociopatia e mau caratismo.

    Apoio também MM. Dr. Sergio Moro, SOU Lava Jato.

  • Por mais que os defensores do governo atual e dos governos anteriores se esforcem para colocar o placar da ida de Moro ao Senado a favor, como se fossem torcidas, é de se lamentar o evento, a democracia levada ao seu nível mais baixíssimo. Sem exceção, esses senhores prestam um desserviço ao país. E nós quando tomamos partido nessa festa pobre também prestamos o mesmo desserviço. Pior, no momento em que o país atravessa a sua maior crise, é obrigação dessa gente que é bem paga pelo cidadão pensar saídas para a saúde, a educação, a segurança … e não desfilar seus venenos, seus egos. Vergonha para o Brasil. Um circo, no pior sentido da palavra. A essa hora estão nos seus luxuosos aposentos, adquiridos em cima do lombo do povo, com raras exceções, e nós entediados defendendo esses algozes da nação.

  • Moral questionável é a dos que defenderam o canalha. Como Arolde de Oliveira, condenado a devolver 21 milhões aos cofres do Rio no ano passado. O povo idiota o elegeu assim mesmo e ele agora se agarra no saco do Moro.

  • Parabéns pelo artigo! Já dei um print! Vou espalhar nas redes sociais nas vésperas de cada eleição que houver no Brasil daqui em diante!!!

  • Acho que o Moro está numa situação muito difícil, não conseguiu ser sair bem, memso com o apoio de Fernando Bezerra Coelho, investigado na lava jato e ex ministro de Temer, as gravações são comprometedoras (se comprovadas mais tarde, embora o Ministro não as tenha ngado categoricamente pq sabe disso), também observa-se que possivelmente não derivam de um hacker, como assegurado pela defesa do Moro, tese usada para desqualificar a fonte, mas, lembrando que o site INTERCEPT nunca falou que recebeu de hackers, mas, sim de fonte anônima. Possivelmente, esse caso é igual ao dos irmãos batistas, ou seja, fogo de um integrante da própria lava jato com motivos que não conhecemos.

  • Adicione o Fabiano Contarato que enquanto era Delegado de Transito, teve a CNH suspensa por excesso de pontos.

  • Até pode ser verdade. Ali não tem santo. Mas errado ou não, que sejam punidos caso comprovado a corrupção de cada um. Mas isso não nega a grande lambança que Moro, que até eu acreditei que era sério, fez.
    Pra quem espera heróis e salvadores da pátria nunca que vai admitir que seu ídolo está errado.
    Enquanto em países como os EUA se valoriza a democracia e carta da constituição em que ela se baseia, sendo todos submetidos a mesma. Aqui se valoriza figuras duvidosas que tentam quebrar a constituição e os alicerces da democracia, e que acham que não deve ser submeter as regras constitucionais.

    Esse Bolsonarismo doente tá repetindo e fazendo pior o que o PT fez. Mas, também, está claro que Bolsonaro é um Lula ao contrário. Com a diferença que Lula, com toda ignorância, pelo menos sabia dialogar.

  • A quadrilha petê! Legisladores miseráveis. Criaturas miseráveis. Torpes.
    Eles pensam que são tão grandes servindo bandidos para nos aterrorizar e intimidar, acham que a humanidade fica pequena, quando os bolsos cheios de dinheiro roubado, ricos ilicitamente, e querem reformar tudo a favor de si.
    Não conseguem reformar a si próprio, tarefa insuficiente, são mau caráter mesmo.

    Prisão perpétua, junto com luladrão.
    ¨¨¨
    Sou Lava Jato e apoio MM. JUIZ DR.SERGIO MORO.

  • Cada imposto ou taxa, tirado à força de uma pessoa, sem a sua vontade, para formar bando, corja, quadrilha ,é imoral e opressivo.
    CADEIA.

    Somos Lava Jato.

  • A fraternidade __petralha__ forçada destrói a liberdade.
    Exigimos Leis corretas e justiça. Dentro dos princípios para o Brasil ser governado com simplicidade duradora prosperidade.

    São petistas ordinários.
    P/t roubou: pão, confiança.

    A Lava Jato deve continuar, com Dr. Sergio Moro.
    Lula na prisão perpétua.

  • Ver aquela corja sendo humilhada e passando vergonha não tem preço. Como diria Alborghetti , Moro é uma reserva moral inquebrantável.

  • Vejam como as leis brasileiras são complacentes com bandidos, nenhum desses senadores poderiam está exercendo o cargo, pois o povo ficou constrangido e envergonhado com representantes sem o devido respaldo moral, ainda vai demorar muito para termos um parlamento acreditado.

  • Todos que defenderam esse juiz que agiu contra a constituição, tem o rabo preso com alguma coisa. Por isso se assemelham a ele. O juiz não respondeu a perguntas diretas feitas por senadores como Fabiano Contarato. Sempre tentando se esquivar, e ao dizer que fez com “boa intenção”, praticamente deixou claro desconhecer a constituição que aplica a imparcialidade de um juiz perante investigações. Apenas mentiu, e ainda apoiou gente da mesma laia que a dele:
    https://epoca.globo.com/guilherme-amado/no-senado-moro-elogia-senadora-que-teve-mandato-cassado-por-caixa-dois-23750284

  • Juiz e ministro, disse que acabou com a corrupção, mas passa pano para o filho psicopata do Bolsonaro, Flávio, envolvido em esquema de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro. Quer dizer, a corrupção é só quando é do Lula, ou PT…esse bandido do filho do Bolsonaro pode fazer o que quer. Isso é ter conluio com o governo. Um juiz precisa ser imparcial. Mas agiu de forma ilegal, rasgando a constituição, e agindo apenas em benefício próprio, já garantindo seu cargo como ministro, no governo mais patético da história do nosso país.

  • É inacreditável, como alumas pessoas, que ao apoiar um presidente de determinado partido, não consegue ver a imparcialidade como algo criminoso! São idênticos aos que eles tanto atacam. No fundo esse anti-petismo é uma briga de egos, de inimigos e não uma forma de retirar criminosos do poder. Já que a família de Bolsonaro é toda envolvida com milícias e esquemas de fraude, laranjas e corrupção, o diabo a quatro. Não estão nem aí, para “esse tipo de roubo” e justificam acusando o governo passado, como : Ahh mas o PT fez isso e ninguém falou nada”…Então o que querem realmente? Acabar com a corrupção? Não, meus amigos…querem proteger um ser humano podre, como Bolsonaro, e família e agora esse Moro psicopata.

  • “Não tenho apego ao cargo, se houver irregularidades, eu saio” (Moro). E aí políticos, coragem!

  • Sou Bolsonariano sou daqui de mato grosso, se colocou a selma arruda na lista porque não colocou o Flávio Bolsonaro?

  • 😎E aí Bruna quando todos esses políticos corruptos irão devolver o nosso suado dinheirinho.?

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...