fbpx

Advogado bolsonarista apresenta notícia-crime no STF contra o decano Celso de Mello

celso de mello
 


Os recentes ataques ao Presidente Jair Bolsonaro respingaram em seus eleitores, e, prova disso, foi a notícia-crime protocolizada hoje (31/5), no Supremo Tribunal Federal (STF), contra o decano da corte, Ministro Celso de Mello.

Notícias veiculadas em diversos portais nesta mesma data dão conta que este comparou o presidente da República, Jair Bolsonaro, com o ditador nazista, Adolf Hitler, e que “bolsonaristas” – eleitores do mandatário – estariam fomentando a intervenção militar e “abjeta ditadura”, como afirmou o ministro.

Disse o ministro em seu e-mail, supostamente vazado, que a “INTERVENÇÃO MILITAR”, como pretendida por bolsonaristas e outras lideranças autocráticas que desprezam a liberdade e odeiam a democracia, NADA MAIS SIGNIFICA, na NOVILÍNGUA bolsonarista, SENÃO A INSTAURAÇÃO, no Brasil, DE UMA DESPREZÍVEL E ABJETA DITADURA MILITAR.

Segundo o advogado Paulo César Rodrigues de Faria, autor da notícia-crime, o ministro incorreu em crimes de difamação (Art. 139, CP) e injúria (Art. 140, CP), pois classificou os “bolsonaristas” como subversores e fomentadores de intervenção e “abjeta ditadura militar”, completou.

Em sua petição, o advogado classificou as afirmações como gravíssimas e ofensa à sua honra, dignidade e decoro, ao atribuir “a “alcunha” de NAZISMO aos “BOLSONARISTAS”, ainda classificando o ato do ministro como propagação de “FAKE NEWS”, merecendo, segundo ele, figurar no Inquérito 4781/DF, da relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

Lembra o advogado que qualquer apologia ao nazismo é crime previsto na lei 9.459/97, art. 20, § 1º, com pena de dois a cinco anos, e multa.

Além disso, o advogado requereu a notificação do Procurador–Geral da República, Augusto Aras, como representante do Ministério Público, para apurar supostos crimes contra a honra do presidente Jair Bolsonaro, ao ser comparado a Hitler, pois segundo o advogado noticiante, o ministro afrontou o Art. 26 da Lei de Segurança Nacional que trata do crime de difamação contra o Presidente da República.

Por fim, reiterou em sua peça que “todos são iguais perante a lei” e que “ninguém está acima dela”, requerendo as devidas providências em face do ministro, pois incorreu no crime de difamação e injúria, o que é inaceitável, finaliza.

Não há ainda a confirmação do relator do processo, pois o processo foi distribuído na noite deste domingo.

Confira na íntegra o teor da petição inicial.

Leia a íntegra da mensagem: 

“GUARDADAS as devidas proporções, O “OVO DA SERPENTE”, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919-1933) , PARECE estar prestes a eclodir NO BRASIL ! É PRECISO RESISTIR À DESTRUIÇÃO DA ORDEM DEMOCRÁTICA, PARA EVITAR O QUE OCORREU NA REPÚBLICA DE WEIMAR QUANDO HITLER, após eleito por voto popular e posteriormente nomeado pelo Presidente Paul von Hindenburg , em 30/01/1933 , COMO CHANCELER (Primeiro Ministro) DA ALEMANHA (“REICHSKANZLER”), NÃO HESITOU EM ROMPER E EM NULIFICAR A PROGRESSISTA , DEMOCRÁTICA E INOVADORA CONSTITUIÇÃO DE WEIMAR, de 11/08/1919 , impondo ao País um sistema totalitário de poder viabilizado pela edição , em março de 1933 , da LEI (nazista) DE CONCESSÃO DE PLENOS PODERES (ou LEI HABILITANTE) que lhe permitiu legislar SEM a intervenção do Parlamento germânico!!!! “INTERVENÇÃO MILITAR”, como pretendida por bolsonaristas e outras lideranças autocráticas que desprezam a liberdade e odeiam a democracia, NADA MAIS SIGNIFICA, na NOVILÍNGUA bolsonarista, SENÃO A INSTAURAÇÃO , no Brasil, DE UMA DESPREZÍVEL E ABJETA DITADURA MILITAR !!!!”

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

11 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Excelente! Não podemos deixar uma fala irresponsável dessas sem resposta. Parabéns ao Advogado.

  • E quem irá acatar essa denúncia, irá julga-lo e condena-lo, tem alguém pra fazer isso? Pois se já disse (Rui Barbosa) que “A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela, não há a quem recorrer.”E eles acreditam nisso, pois continuam desafiando à todos!!!…🤔🤔🤔

  • Parabéns ao douto advogado! Que seus colegas advogados estejam com o senhor nesta luta pelos crimes deste “togado”! #stfÉumaVERGONHA!!!

  • É séria muito bom esse velho currupto entender que ele e os outros ministros STF não estão acima da lei nem do presidente, mesmo ele tendo agindo com aliança contra o presidente para retirar-lo os poderes Bolsonaro é o presidente e merece respeito, é inclivell quantos vez já acusaram e defamaram o presidente da República,a mídia, jornal também precisa de um processo urgente,asssim como o Alexandre de Morais,e o Ciro Gomes que chamou nosso presidente de assasino,e aqueles outros que escreveu nós mouros de são Paulo que o presidente era assassino e ninguém fez nada a respeito.

  • Infelizmente é uma situação patética. Muito bom pra deixar gravado, mas na prática não adianta nada. Pois os próprios FDP são os que julgam eles mesmos. Só resta o Artigo 142.

  • Aproveitei o gancho e também “distribui” esta ação no wattshapp, sei que não vai dar em nada, pois as acrobacias jurídicas lá no STF, a cada dia nos informam que alguns infelizmente são “mais” iguais que os outros perante a lei, mas o filme do ministro, vai estar bem queimado, bem feito.

  • Bom dia Allan. Primeiramente, me solodarizo à sua injusta e ditatorial perseguição promovida por Alexandre de Moraes à frente do inquérito criminoso instituído por Toffoli. A ação impetrada contra Celso de Mello auguro ser o estopim para várias outras movidas contra esquerdopatas de todas as matizes, sobretudo dos Poderes Judiciário e Legislativo e da parcela aparelhada dos MP Estaduais e Federal. A sede por justiça que assola nós cidadãos de bem, com princípios e valores éticos bem definidos, deve ser saciada por combate implacável e sem dar tréguas no judiciário. Certamente, não nos furtaremos a aderir a ações populares e outros instrumentos legais coletivos contra políticos, juízes, promotores, jornalistas, emissoras e partidos políticos que beberão o próprio veneno que insistem em injetar com petições judiciais a um Governo democraticamente eleito por 57 milhões de eleitores. Indo mais longe, as ações não devem se restringir à área criminal, avançando também no campo cível para ressarcir-nos por danos morais coletivos, como é o caso da declaração do Ativista Globalista Celso de Mello.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...