Andre Lajst: eleições de Israel são uma vitória da democracia

André Lajst
 


Estão acontecendo hoje (17/9), as eleições em Israel que decidem o destino de Benjamin Netanyahu, primeiro ministro desde 2009. Ele concorre com o ex-comandante do exército Benny Gantz, do partido Azul.

Netanyahu é um homem mais à direita, Benny é mais à esquerda. O primeiro nós já sabemos que mantém um bom relacionamento com o Brasil. Acontece que direita e esquerda não tem exatamente os mesmos significados na política de Israel.

Quem nos explica essa questão e qual o futuro provável das relações entre os dois países é o cientista político judeu, André Lajst, diretor executivo da StandWithUs Brasil, uma organização educacional, neto de sobrevivente do Holocausto, Israelense, mestre em diplomacia e governo, que foi pesquisador da ICT (Instituto Internacional de Combate ao Terrorismo), escreve para Times Of Israel e Jerusalém Post e frequentemente para mídias do Brasil. André é especialista no conflito palestino-israelense, foi oficial acadêmico da inteligência da Força Aérea de Israel e palestra frequentemente sobre questões de Israel no Brasil.

Confira

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

6 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Que Benny vença, não se pode transformar Israel num estado teocrático já que o Netanyahu é apoiado por ultraordoxos.
    Sem contar que esse Netanyahu já está no poder há décadas.
    Infelizmente Liberman não ganhou.

  • BB tem respaldo de DEUS e vai ser vencedor, Assim dis o SENHOR, ISRAEL deve ser uma TEOCRACIA como DEUS determinou, o resto é falso judeu falso israelita que quer destruir ISRAEL

  • A analise do terca livre, eh fundamental. Desde o dia das eleicoes, trago comigo a sensacao de q um terceiro turno, nao so possivel, como desejado. O partido que vem gerando toda essa demora, sera liquidado como o antigo partido trabalhista, criando dessa vez uma uniao centro direita.

    Mas o mais importante e os centros globalistas atuando em Israel ( e ataques ad hominem a bibi). Os mesmos que financiam as NGOs contra soberania brasileira na amazonicas, sao os mesmos das ngos contra Israel. Esse eh o assunto que interessa terca livre.

    A Franca de Macron, alemanha de Merkel, Dinamarca, EU e Suecia, sao os grandes imperadores de campanha contra as soberania nacionais.

  • A analise do terca livre, eh fundamental. Desde o dia das eleicoes, trago comigo a sensacao de q um terceiro turno, nao so possivel, como desejado. O partido que vem gerando toda essa demora, sera liquidado como o antigo partido trabalhista, criando dessa vez uma uniao centro direita.

    Mas o mais importante e os centros globalistas atuando em Israel ( e ataques ad hominem a bibi). Os mesmos que financiam as NGOs contra soberania brasileira na amazonicas, sao os mesmos das ngos contra Israel. Esse eh o assunto que interessa terca livre.

    A Franca de Macron, alemanha de Merkel, Dinamarca, EU e Suecia, sao os grandes imperadores de campanha contra as soberania nacionais.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...