Assassinato disfarçado: Morte de Lambert é uma derrota para a humanidade, diz Santa Sé



“Que os médicos sirvam à vida, não a tirem”

Morreu, na manhã desta quinta-feira (11), no Hospital de Reims, Norte da França, o francês Vincent Lambert. O enfermeiro ficou internado por anos. Tudo começou quando, em 2008, ele sofreu um acidente e ficou tetraplégico.

Em 2011, os médicos descartaram qualquer possibilidade de melhora e, em 2014, sua condição foi classificada como vegetativa. No começo deste mês de julho, os médicos lhe retiraram a água e os tubos de alimentação, para deixá-lo morrer sob “sedação profunda e contínua”. A família de Vincent foi informada por e-mail sobre o desligamento dos aparelhos.

Seus pais, Pierre e Viviane, lutaram nos tribunais desde 2013 para mantê-lo com vida; por outro lado, a esposa de Vincente, apoiada por alguns irmãos do rapaz, pedia que os suportes fossem desconectados.

Resultado de imagem para Vincent Lambert
Manifestantes demonstram apoio a Lambert, que se encontrava em estado vegetativo por mais de uma década — Foto: Charles Platiau/Reuters

O pai do rapaz, chamou a medida de assassinato disfarçado. “É uma eutanásia”, disse à imprensa francesa na segunda-feira, 8 de julho.

Apesar de a eutanásia ser ilegal na França, uma lei permite que os médicos se recusem a usar tratamentos para manter vidas “artificialmente”.

Em 2015, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aprovou a retirada do suporte vital de Lambert, argumentando que a decisão de interromper sua alimentação intravenosa não violava as leis europeias de direitos.

Uma derrota para a humanidade 

A Pontifícia Academia para a Vida disse que a morte de Vincente é uma derrota para a humaninade:
“Dom Paglia e toda a Pontifícia Academia para a Vida rezam pela família de Vincent Lambert, para os médicos, por todas as pessoas envolvidas neste caso. A morte de Vincent Lambert e sua história são uma derrota para a nossa humanidade”.

O Papa Francisco fez vários apelos sobre o caso. Ontem, num tuíte, o Santo Padre pediu orações pelos enfermos. “Uma sociedade é humana se protege a vida, toda a vida, do início a seu fim natural, sem escolher quem é digno ou não para viver. Que os médicos sirvam à vida, não a tirem”. “Não construamos uma civilização que elimina as pessoas cujas vidas consideramos não sejam mais dignas de serem vividas: toda vida tem valor, sempre”, disse ainda o Papa.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

16 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Como cristão católico tenho que condenar quem tira a vida de outro, principalmente, médicos. Lamentável. Seguimos em oração junto da família, do Papa e de demais cristãos.

  • Mas é uma situação complicada….ele ja estava morto! Não tiraram a vida dele. Pq Deus não salvou? O que funcionava era apenas aparelhos elétricos, mais nada!

  • Crueldade!!! Conforme o que li por aí e entendi sobre o caso. Penso que: 1) Criticam alegando que: Será que o paciente não queria mesmo morrer? Exatamente!! Ninguém pode afirmar se ele queria ou não morrer!!! 2) Ele não era mantido por aparelhos, ele recebia apenas a alimentação com ajuda artificial por dificuldade de engolir. 3) Ele tinha os pais que queriam cuidar dele liberando a esposa dessa responsabilidade, mas ela não aceitou e acionou a justiça para interromper a vida do esposo. Portanto, abriu-se um precedente sério que poderá abreviar a vida de muitos a partir desta controversa decisão judicial francesa. Lamentável!

  • Estado vegetativo é diferente de morte. Lambert estava vivo. Algumas “””pessoas””” decidem que é melhor ele estar morto e executam o plano. Isso só não é assassinato na novilíngua. Que Deus acolha Lambert.

  • Terrivelmente simples: um assassinato perpetrado por aqueles que, no âmbito da justiça e da medicina, deveriam defender a vida do ser humano.

  • Pessoal, sejamos sensatos, a família queria acabar com o sofrimento do rapaz, ninguém merece sofrer a vida toda em cima duma cama desnecessariamente, se vocês são cristãos de verdade certamente devem saber que a morte para um cristão é apenas uma passagem para uma vida melhor, a morte faz parte da vida e não é nenhuma condenação, é um processo natural.

  • Vida ligada a aparelhos ultra sofisticados não é vida. É a negação da existência da morte. Deus me livre ficar vegetando ligada a aparelhos. A morte existe e uma hora ela chega. Vivemos num mundo onde parece que é proibido morrer.

  • Antes de falar qualquer coisa, existe o que se chama de distanásia. Não sei de nada sobre o caso, é um assunto muito, mas muito complexo. A propósito, sou médico, e prefiro não opinar sem saber dos detalhes do caso.

  • Manter um paciente em estado vegetativo,sem possibilidades de melhoras, cuja a vida será de um sofrimento imenso baseado em tubos e sondas , de complicação em complicação, de ulcera infectada em diante, para satisfazer o desejo de uma família que as vezes não compreende que as vezes o melhor a fazer e partir e deixar para que seus entes queridos vivam suas vidas e lhe permitam que vc descanse.
    Eu como médico quando não podemos curar o que podemos fazer é aliviar a dor, nesse caso do paciente e de seus famíliares.
    Decisão acertada e humana tomada pela esposa

  • “Vincent pode dormir e acordar, responder a algumas vozes, engolir e respirar sozinho. Ele não precisa e nem está recebendo tratamento médico. Ele não toma medicamentos, nem realiza cirurgias regulares, e não precisa de aparelhos para respirar. Vincent não está no final natural de sua vida.

    Ele não depende de máquinas para viver, mas depende da nutrição e da hidratação que são oferecidas de maneira especial, como muitas outras pessoas necessitam.

    No dia 21 de novembro de 2018, os peritos médicos, nomeados pelos tribunais, afirmaram que as “necessidades fundamentais e primárias de Vincent Lambert não revelam tratamentos médicos sem fim ou qualquer obstinação desarrazoada para esse fim, e que a situação médica de Vincent Lambert não possui medidas de emergência. ”

    “Reconhecidamente, sua alimentação e nutrição são realizadas por um tubo. Este método de administração constitui uma forma de cuidado. Mas o que é administrado não é medicação, nem tratamento, nem artificial: é comida, não é diferente do que é necessário para todos os outros seres humanos. Além disso, no caso específico de Vincent Lambert, é necessário notar que ele é capaz de engolir pequenas quantidades de comida”, concluíram os peritos médicos.”

    Fonte: https://conexaopolitica.com.br/mundo/franca/homem-tetraplegico-chora-ao-descobrir-que-tribunal-da-franca-ordenou-que-ele-morresse-de-fome/

    Isso se chama assassinato. A única coisa da qual ele depende é de cuidados na alimentação. Ele não está numa UTI, não está respirando por aparelhos, responde à estimulos, é capaz de entender tudo o que está a volta dele e ainda sim a esposa dele quer ele morto enquanto os pais dele lutam pra salvar ele.

  • Exatamente, Sergio Pannain. Concordo contigo. O que pensava o rapaz? Até aonde sei, ele pediu para desligar os aparelhos, ele estava “preso” ao seu corpo. Me diga alguem que em sã consciência, gozando do melhor de saúde, sofra um acidente e de repente se ve em estado vegetativo se gostaria de continuar vivendo? O Papa gostaria? Que falso moralismo.

    Por que não questionam as pessoas que realmente assassinam um pai de família, um filho, uma mãe, etc.

  • Sou a favor da eutanásia, forçada, imediata e de preferência dolorosa, de Sergio Pannain, T.Muniz, Marcus, Míriam M, diego e Andre CHAGAS.
    Filhos da puta nazistinhas como esses vermes não merecem viver.

  • A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata destrói o seu lar. 2A pessoa que caminha na retidão teme ao SENHOR, mas o que anda por atalhos sinuosos, esse não leva Deus a sério.…

    VEMOS QUE O JURAMENTO, NA SAÚDE NA DOENÇA NA RIQUEZA E NA POBREZA SE PERDERAM COM O TEMPO INFELIZMENTE, SOMENTE EM CONTOS DE FADAS …..

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...