fbpx

Assessores e motoristas de Lula custaram R$ 847 mil aos cofres públicos durante prisão

Lula
 


De acordo com o portal UOL, a Secretaria-Geral da Presidência informou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mesmo estando preso, manteve uma equipe de assessores e motoristas que custaram no mínimo R$ 847.282,62 e foram pagos pela União no período entre junho de 2018 e outubro de 2019.

A matéria também informa que todo ex-presidente no Brasil tem direito vitalício, assegurado pela Constituição de recrutar e manter uma equipe de até oito pessoas escolhidas livremente, a serem pagas com o orçamento da União.

  • 4 servidores para “segurança e apoio pessoal”
  • 2 servidores para assessoramento
  • 2 motoristas para os respectivos carros oficiais

De acordo com o portal, o salário de cada profissional nomeado pode chegar a R$ 13,6 mil e se eles forem militares, como no caso da equipe de Lula, ainda recebem remuneração extra por causa da função comissionada.

A assessoria de Lula foi questionada pela reportagem do UOL e afirmou que a existência de uma equipe de apoio pessoal é estabelecida pela legislação. “Não é o ex-presidente que define isso, que está estabelecido por lei e vale para todos os ex-presidentes“, afirmou.

As atividades desenvolvidas pelos assessores, seguranças e motoristas durante o período em que o ex-presidente esteve preso, não foram esclarecidas, afirma a matéria.

Informações: UOL

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...