fbpx

Câmara aprova regras especiais de aposentadoria de policiais da União

Plenário da Câmara
 


Proposta que reduz idade mínima foi aprovada por 467 a 15

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na madrugada de hoje (12/7), por 467 votos a 15, a emenda do Podemos que reduz a idade mínima de aposentadoria para os policiais que servem à União. Policiais federais, policiais legislativos, policiais civis do Distrito Federal, policiais rodoviários federais e agentes penitenciários e socioeducativos federais, entre outros, poderão aposentar-se aos 53 anos (homens) e 52 anos (mulheres).

A redução da idade, no entanto, só valerá para quem cumprir um pedágio de 100% do tempo de contribuição que falta para aposentar-se: 25 anos para mulher e 30 anos para homem. Dessa forma, se faltarem três anos de contribuição pelas regras atuais, o policial terá de trabalhar seis anos para reduzir a idade mínima.

A medida vale apenas para os profissionais que estão na regra de transição. Para os futuros policiais e agentes de segurança da União ou quem optar por não cumprir o pedágio, foi mantida a idade mínima de 55 anos e o tempo de serviço policial de 15 anos para os dois sexos.

Apresentada pela bancada do Podemos, a emenda tinha acordo para ser aprovada. As condições são as mesmas apresentadas na semana passada na comissão especial, onde o destaque havia sido rejeitado.

Destaques

Ainda faltam nove destaques e emendas para serem votados. Líderes de alguns partidos concordaram em formar um bloco para unificar as orientações de voto, com o líder de um partido falando em nome dos demais, para acelerar a sessão. Em alguns casos, o bloco abrirá mão de encaminhar a orientação única.

A discussão dos destaques começou por volta das 17h30 e só vai terminar na madrugada desta sexta (12). Os deputados ainda têm nove destaques e emendas para votar. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prevê encerrar a votação, em segundo turno, na sexta-feira à noite ou na manhã de sábado (13).

 * com informações da Agência Brasil

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Se fosse para a policia militar que realmente se arrisca eu até entendo agora PF,PRF e policia legislativa aí não dá fora que vão ganhar acima do teto da previdencia não faz sentido.

  • Acredito que todos devem se sacrificar para o bem do pais, tirar esse pessoal da reforma foi um tapa na cara do cidadão de bem, se for pra ajudar alguns ajudem todos, pois toda a profissão tem seus perigos, porem cada um trabalha no que melhor se adapta.

  • Uma safadagem. Policiais é diferente do Policial militar e digo mais ainda mais diferente do policia de grupo especiais como Bope. Esses policiais realmente arriscam a vida e ganham pouco e com uma certa idade se não tiver condições fisicas já não pode trabalhar naquilo. Já os civis, federais e legislativo. Ganham bem e quanto mais tem pode experiência melhores ficam. Esses deveriam aposentar com 70 anos e não ter aposentadoria especial.

  • Acabem com a previdência pública! Por que sou obrigado a participar disso? O dinheiro é meu e não do governo!

  • Muita gente desinformada, polícia é polícia! independente de ser PM, PC, PF, PRF … acredito que os estados e municípios irão seguir as mesmas regras, agora vem gente que nem conhece o serviço falar besteira… procura saber nas fronteiras quem ta segurando a bomba…
    polícia é polícia independente de cor de farda

  • Muita gente desinformada mesmo. Coloquem-se no lugar dos PRFs que estão diuturnamente nas rodovias, e dos PFs, em especial os que trabalham na fronteira. Ademais, só pelo fato da pessoa ser policial, já é um alvo em potencial. Injusto sim é abrandar as regras de aposentadoria dos militares das Forças Armadas, que correm muito menos risco de morte que os policiais civis, mais que as regras de aposentadoria destes.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...