MundoNotícias

China e a face do comunismo: controle, aversão à liberdade e hegemonia 

Três mil homens, em uma casta privilegiada, decidindo o rumo de milhões de pessoas. É assim que a China mostra, mais uma vez ao mundo, a face do comunismo: controle total do poder, Estado gigante e coercitivo, aversão à liberdade e busca pela hegemonia no culto a um líder.

Assim, três mil homens – nesta segunda-feira, dia 05 – aplaudiram a reforma que oferece a Xi Jinping o poder vitalício sobre o destino dos demais. Desta forma, a China, em um projeto globaliza, busca se tornar uma perigosa superpotência mundial e ameaça às democracias ocidentais.

A discussão que se iniciou hoje na Assembleia Nacional Popular, que é submetida ao Partido Comunista Chinês, durará ainda duas semanas. O resultado será o reforço aos poderes de Jinping. Ele se tornará tão poderoso quanto foi o fundador do regime comunista na China: Mao Tsé-Tung.

Os chavões e slogans são os mesmos. Tanto que a decisão ditatorial é tomada no imenso local chamado Palácio do Povo, mas que na realidade abriga a casta do poder. Um dos passos iniciais será o aumento do orçamento militar chinês e a modernização do Exército. O controle dos meios de comunicação, incluindo a internet, já existem.

E ainda há quem ache que tudo é teoria da conspiração…

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close