Conheça o piroterrorismo



PIROTERRORISMO

Incêndio em floresta tropical
Incêndio em floresta tropical

Por Renato Rabelo:

Com todos os olhos da mídia voltados para o incêndio no norte do Brasil desta última semana, o nome “piroterrorismo” me veio à mente, já que muita gente parece preocupada em encontrar culpados para o caso, sugerindo que este incêndio em especial não aconteceu por causas naturais. Esta é uma breve apresentação deste tema, já que o nome “piroterrorismo” não existe em nenhuma matéria publicada em língua portuguesa até agora, que vai adicionar às discussões mais uma nova modalidade de suspeito para a onda de queimadas que varre ônibus, pneus, casas, bandeiras, museus e agora florestas em nosso país. 

O piroterrorismo pode parecer um conceito novo para nós agora mas este é um assunto que tem ganhado uma crescente atenção de estudos científicos e militares no exterior desde o início do milênio. O uso de incêndios florestais para prejudicar uma nação pode ganhar proporções semelhantes aos de uma arma de destruição em massa, sendo motivado, principalmente, por propósitos políticos abrangentes. 

O estudo de 2005 do major Robert Arthur Baird, da Escola de Combate Avançado da Marinha Americana, chamado “Piroterrorismo – A Ameaça de Incêndios Florestais Induzidos Como Arma de Destruição em Massa Terrorista do Futuro” (Pyro-Terrorism—The Threat of Arson Induced Forest Fires as a Future Terrorist Weapon of Mass Destruction)1, é um marco sobre o tema. Ele constata que a energia latente armazenada nas florestas de um país é um atrativo para grupos que pretendem causar um grande estrago, com a vantagem adicional de não oferecer muitos riscos e custos para o terrorista. 

Ao invés de usar armas complexas, caras, detectáveis e perigosas para o fabricante, como armas químicas e nucleares, a Al-Qaeda e outras organizações terroristas estão há algum tempo recorrendo a métodos indígenas para atacar os seus alvos. Dick Mangan, ex-presidente da Associação Internacional de Incêndios Florestais, escreveu também em 2005 que índios americanos usavam incêndios para destruir tribos rivais e para lutar contra os europeus2, mostrando que o fogo é uma arma que sempre foi usada na guerra irregular, e que ele só esteve fora do radar por algum tempo mas está voltando com força total no século XXI.   

A tática dos incêndios é atrativa, em parte, por poder ser facilmente disfarçada de acidente, no caso de eventual descoberta dos responsáveis. A própria descoberta dos responsáveis também é dificultada por esta tática, já que tais incêndios normalmente só são detectados quando eles atingem maiores proporções, especialmente quando eles são iniciados durante a noite3.

O estudo do major Baird, no entanto, vai mais além. Ele é bem objetivo em mostrar a diferença entre o incêndio criminoso e o piroterrorismo, ressaltando como este último consegue ser mais grave do que o primeiro. Enquanto o incêndio criminoso normalmente tem um alvo individual, sendo motivado por vingança ou para obter vantagem sobre um concorrente econômico; o piroterrorismo “usa ataques incendiários para aterrorizar a população civil e coagir o governo a avançar pautas políticas ou sociais” (BAIRD, 2005, p.4). O autor deste crime, portanto, sofre penas mais duras do que o do primeiro, já que, independentemente da dimensão do incêndio material que causou, o prejuízo imaterial na saúde mental dos civis e nas políticas de uma nação sempre atinge a população inteira.  Um tipo enquadra como incêndio, o outro enquadra como terrorismo. 

No caso americano, o prejuízo causado pelo piroterrorismo é ainda mais crítico, já que a maior parte das suas casas é feita de madeira. A revista “Inspire”, da Al-Qaeda, certa vez disse que “a maior parte das casas [na América] está na zona rural” e que “é difícil achar um lugar melhor [para os incêndios] do que os vales de Montana”4; tendo o FBI descoberto já em 2004 que os estados de Utah, Wyoming e Colorado também eram vulneráveis ao piroterrorismo e foram alvos levados em consideração pelos terroristas5

Em um passado não tão distante, os EUA já foram alvo deste tipo de tática. Cerca de 9000 (nove mil) balões incendiários dos japoneses (“balões bomba”) foram lançados durante a Segunda Guerra Mundial contra a sua costa oeste, o que lhes levou a observar incêndios florestais como uma séria ameaça e a tentar formular respostas adequadas a este tipo de incidente com a prioridade de uma importante questão de segurança nacional.

Esquema da bomba incendiária. Legendas em inglês.
Esquema da bomba incendiária. Legendas em inglês.

“A devastação das chamas pode sobrecarregar os meios de supressão [de incêndios], enfraquecer economias regionais, destruir infraestruturas essenciais, ocupar forças militares de prontidão e pressionar os líderes nacionais por mudanças políticas” (BAIRD, 2005). Além disto, o piroterrorismo pode causar mortes humanas e prejuízos ilimitados à biodiversidade.

Cartaz “Nosso descuido é a arma secreta do inimigo. Previna incêndios florestais.”
Cartaz “Nosso descuido é a arma secreta do inimigo. Previna incêndios florestais.”

A resposta clássica para este tipo de ataque é a criação de campanhas para a prevenção de incêndios acidentais e para a participação da população na detecção prévia de focos de incêndio. Cartazes do “Urso Esfumado” (Smokey, The Bear) foram criados nos EUA especialmente para transmitir este tipo de mensagem para a população. 

Cartaz mostrando um “ABC” de orientações sobre a prevenção de incêndios na floresta.
Cartaz mostrando um “ABC” de orientações sobre a prevenção de incêndios na floresta.

Hoje existem mais meios para minimizar os problemas causados por incêndios florestais. O monitoramento de zonas de risco (altas temperaturas, ventos fortes e baixa umidade), infraestrutura preventiva, alarmes, caminhos pré-definidos para evacuação de emergência, sistemas antiincêndio domésticos, melhor proteção para o transporte e armazenamento de materiais inflamáveis, entre outros, podem ser utilizados pelo governo e pela população para suprimir este tipo de crime. Mas estas são apenas medidas de controle de danos. A real prevenção do piroterrorismo reside na eliminação de grupos terroristas que aplicam esta tática e das ideologias (ou filosofias) que produzem estes grupos terroristas6

No século XXI, alguns casos de piroterrorismo podem servir de exemplo para ilustrar do que estamos falando. Em 2003, a aldeia de Roquebrune-sur-Argens, na França, foi atingida por piroterroristas, matando 4 pessoas e destruindo 50 casas7. Ainda em 2003, a “Frente de Libertação da Terra” e a “Frente de Libertação Animal” começaram a usar com frequência o piroterrorismo contra diversos prédios nos Estados Unidos, o que foi assunto de uma audiência do senado americano em 20058 . Em abril de 2004, Israel alegou que estava sofrendo uma “intifada incendiária”9, de tantos ataques deste tipo se espalhavam pelo país. Em 2007, o piroterrorismo derrubou o mercado de ações da Grécia10. Ainda em 2007, o famoso caso dos incêndios florestais de outubro na Califórnia, nos EUA, foi uma série de mais de 20 incêndios florestais que matou 6 pessoas e danificou quase 100 000 (cem mil) casas, deixando um mistério de investigações não-concluídas pelo caminho e um prejuízo bilionário para aquele país. Inúmeros outros casos de piroterrorismo são relatados ao redor do mundo até hoje em países livres.  Este parágrafo, lembre-se, são pequenas amostras citadas em nome da didática deste “novo” assunto (novo pelo menos para nós, brasileiros). 

Muito embora seja tentador continuar falando sobre o assunto e sobre cada detalhe que ele toca, é melhor parar por aqui. Este pequeno artigo é apenas uma mera apresentação, para “dar o ar da graça”, com bastante atraso, de uma tática que há algum tempo assola países livres e que pode estar atingindo o Brasil nesta semana.  

Vamos esperar para os próximos capítulos do caso para tentar descobrir se somos alvo de piroterroristas ou se a causa para os súbitos incêndios na floresta amazônica vem de outras fontes. Que todas as medidas necessárias sejam tomadas para nos livrar de tal vulnerabilidade. 

Até a próxima!

FONTES:

[1] – “Piroterrorismo – A Ameaça de Incêndios Florestais Induzidos Como Arma de Destruição em Massa Terrorista do Futuro” (Pyro-Terrorism—The Threat of Arson Induced Forest Fires as a Future Terrorist Weapon of Mass Destruction). “Estudos Sobre Conflito e Terrorismo” (Studies in Conflict & Terrorism), volume 29, sessão 5, julho-agosto de 2006, páginas 415-428. Disponível na livraria digital da Agência de Segurança Nacional dos EUA (Homeland Security): https://www.hsdl.org/?view&did=10020.

[2] Citação sobre fogo usado como arma por indígenas americanos. Informação pode ser obtida em: https://wildfiretoday.com/tag/pyroterrorism/.

[3] – Tese: “Fogo Como Arma” (Fire as a Weapon: High-Rise Structures), Adrian Bernard Sheppard, dezembro de 2017, Escola de Pós-graduação Naval da Califórnia. Distribuído pela livraria digital da Agência de Segurança Nacional dos EUA (Homeland Security). Disponível em: https://www.hsdl.org/?view&did=810683.

[4] A Al-Qaeda recomenda que táticas piroterroristas sejam usadas nas florestas de Montana. Disponível em: https://abcnews.go.com/Blotter/al-qaeda-calls-massive-forest-fires-montana/story?id=16263981#.T6H57KsV0nZ.

[5] Relatórios de inteligência do FBI relataram em 2004 que vários estados nos EUA seriam alvos de piroterrorismo. Disponível em: https://wildfiretoday.com/2013/02/21/usfs-deputy-director-of-fire-and-aviation-talks-about-pyroterrorism/.

[6] Livro – “O Campo de Batalha: Como Vencer a Guerra Mundial Contra o Islã Radical e os Seus Aliados” (The Field of Fight: How We Can Win the Global War Against Radical Islam and Its Allies), Tenente General Michael Flynn e Michael Ledeen, Editora St. Martin’s Griffin, 2017.

[7] Piroterrorismo na França, em 2003. Disponível em: https://www.nytimes.com/2003/07/30/world/fires-kill-at-least-4-and-ravage-forests-on-french-riviera.html.

[8] Audiência do senado americano sobre dois grupos ecologistas que usam táticas piroterroristas nos EUA. Disponível em: https://www.govinfo.gov/content/pkg/CHRG-109shrg32209/html/CHRG-109shrg32209.htm

[9] A antifada incendiária em Israel, 2004. Disponível em: https://www.haaretz.com/1.4782903.

[10] O piroterrorismo contra o mercado de ações grego. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/JMLC-04-2017-0014/full/html.

Sobre o Autor

Renato RabeloRenato Rabelo, 27, é pesquisador independente de inteligência militar, tradutor e aluno do Curso Online de Filosofia de Olavo de Carvalho. 

Facebook: https://www.facebook.com/IniciativaRenatoRabelo

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC-sd18lTl6sstIyVvprgyYg

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

28 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Palestinos são pioneiros no Terrorismo Ecológico. Usam isso como arma destruir a natureza veja os vídeos das pipas incendiárias de Gaza!!! A esquerda se cala

  • Na Serra S. José, em Tiradentes MG, a mata queimando… lugares de difícil acesso…
    Autoridades estão investigando se o incêndio é criminoso…
    Brigadistas e Corpo de Bombeiros em ação…
    Clima: 11°–frio!

  • Bonita matéria, agora resta saber se isso se aplica ao caso das queimadas na Amazônia. Como nada ainda foi apurado, o caso ainda está sendo investigado e ninguém foi preso, então por enquanto é PURA ESPECULAÇÃO.😉

  • Quem quiser rir da pobreza do protesto do panelaço de hoje, vá ao twitter na #panelaço, tem alguns filminhos que postaram, para ver o mico que a esquerdalha histérica pagou. É uma panelinha aqui, outra ali e algum histérico gritando Fora Bolsonaro, fascista, em alguns só tem uma panelinha batucando, sem a menor possibilidade de comparaçao como os que foram contra o PT. Foi igual ao tal tsunami pela educação, que virou uma marolinha. A esquerda não está morta, mas está com raquitismo agudo se cronificando.

  • @Quebrando o Chabú, não é com os Esquerdalhas que vocês precisam se preocupar, mas, sim, com os 13 milhões de desempregados (sendo que na verdade são uns 26 milhões de desocupados), os estudantes que sofreram cortes nas verbas, os que se sentiram prejudicados com a previdência etc. Ou seja, é voto PRA CARAMBA que o Bolsonaro pode não mais ter em 2022. 😉 KKKKKKKK! 😁

  • Ridículo falar em terrorismo e estimular teorias da conspiração. O Fenômeno já estava alertado, outubro é o mês mais quente naquela região e o exército vai em setembro…o governo está perdido pessimamente assessorado, criando problemas desnecessários…até o Evo Morales agiu com mais cautela, reagiu contratando um 747 para jogar água, vai dar certo? Talvez não, mas, reagiu para o consumidor nacional e internacional…gente precisamos acordar este nosso presidente precisa de ajuda ele não está bem mentalmente e seus assessores são péssimos

  • Cá pra nós o currículo do Rabelo é de quem não entende nada do tema, aluno do Olavo? Precisamos despertar e ajudar o presidente não aumentando a carga de fakes, mas, com cobrança efetiva

  • Maria você é como bêbada de boteco. O que incomoda não é o que você diz, mas sim o bafo. Usa a própria ignorância e desconhecimento como referencia intelectual e acha que está abafando. Se liga fia.

  • O Ciro Gomes acabou de dar a letra de que o incêndio foi planejado! Tá no canal dele! Ele falou que houve um movimento chamado “Dia do Fogo”.

  • @Quebrando o Chabú , você deve estar sentindo seu próprio bafo. Ainda não inventaram transferência de cheiros/odores pela internet. 😉 KKKKKKK! 😂

  • @Felipe Silveira , tentaram colocar esse “Dia do Fogo” no Wikipédia. Foi eliminado pelo sistema com a seguinte mensagem: “Especulação não comprovada. Faltam fontes/referências. não enciclopédico”. 😉 KKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • Especialmente para os poucos PAPAGAIOS CANHOTOS de plantão segue um vídeo bem esclarecedor sobre várias VERDADES do Brasil. E se querem continuar a viver no NOSSO BRASIL é melhor JAIRSEACOSTUMANDO!
    E aos APOIADORES DO BRASIL dia 25/8 participemos de forma pacífica das manifestações a favor das pautas para crescimento do nosso país!!
    Os vídeos deste canal (Daniel Lopez) são muito bons e ao final deles tem os links das matérias dos jornais citados. Divulguem esse vídeo!Só a Verdade liberta!!

    https://youtu.be/1o1CUXbOuc8

  • Maria, o que aceita tudo é a ignorância, a burrice e a fraqueza moral.
    Tá mal de conhecimento né? Não sai do chavão…………………

  • @Quebrando o Chabú , não! A “ignorância, a burrice e a fraqueza moral” quem aceita são VOCÊS, geralmente acompanhada do VIÉS DE CONFIRMAÇÃO (vide psicologia). 😉 KKKKKKKKK! 😀

  • Kkkkkkkkkkkkkkk….

    Que canalhice…. Quer um paninho pra passar?

    Você mostra um texto cheio de fontes que não tem nada a ver com o assunto em questão. Me mostre uma evidência, não ser o presidente cagando pela boca, de que houve isso que você está tentando induzir o gado de Bolsonaro a acreditar. Me mostre uma evidência a não ser a paranóia de perseguição… Um presidente responsável, primeiro investiga pra depois mostrar os responsáveis. Um líder irresponsável acusa sem provas e espera que seu gado fiel acredite sem questionar.

  • @Ovalo de Varcalho , Bolsonaro fala que foram as ONGs, opositores falam que foram Latifundiários, outros falam que foram causas naturais, o autor dessa matéria sugere que foram terroristas etc . Eu, pessoalmente, acho que foi um DRAGÃO que se irritou com alguma coisa lá embaixo e mandou ver. 😉 KKKKKKKKKKKKK! 😀

  • Maria, tente outra vez. Mais chavões? Isso só demonstra a sua condição intelectual postiça. Tá fraca.

  • @Quebrando o Chabú , não importa se é “chavão”, o que importa é se é VERDADE ou NÃO. 😉 KKKKKKKKKKKK! 😀

  • Tema muito importante e que nunca tinha ouvido falar. Bom, uma maneira de tentar descobrir se esses incêndios são realmente obra do tal piroterrorismo, seria utilizar satélites e observar as queimadas em países comunistas como a China, Vietnã, Angola e etc. Esses países também possuem vastas florestas tropicais e caso não haja tantos incêndios por lá, isso poderia ser um forte é sinal de que poderíamos estar sendo vítimas desse tipo de estratégia terrorista. Seria bom um estudo sobre queimadas em florestas tropicais tanto em países democráticos como em países autoritários.

  • @Osvaldo , é muita “VIAGEM NA MAIONESE”. Eu vou dizer o que muito provavelmente vai acontecer: Bolsonaro vai mandar uma meia dúzia de soldados, fiscais e investigadores para a imensidão da Amazônia, não vão achar e/ou concluir NADA e vai FICAR POR ISSO MESMO. Entretanto, o estrago na Floresta e especialmente na imagem de Bolsorano , a Crise Nacional e Internacional já estarão feitos e Bolsonaro será obrigado a deixar de lado e/ou recuar sobre o plano inicial de desmatamento da Amazônia. Que tal? 😉 KKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • @Osvaldo , a única certeza disso tudo é que o Bolsonaro será RESPONSABILIZADO por tudo que aconteceu, pois ele é o atual Presidente da República, não adiantando em hipótese nenhuma culpar terceiros se houver. A imagem dele e de seu governo foi terrivelmente MANCHADA e só vejo UMA SAÍDA para ele tentar consertar isso: desistir da ideia inicial de de desmatar a Amazônia, voltar a colocar uma fiscalização de proteção pesada lá e adotar um programa agressivo de REFLORESTAMENTO e RECUPERAÇÃO das áreas devastadas e outras. Como nunca nenhum presidente adotou isso de modo sério, não há recursos e por ele estar cercado de assessores incompetentes, pode desistir e a imagem do governo Bolsonaro ficará com uma cicatriz aberta e incurável até o fim de seu mandato. 😉 KKKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • Passei aqui pra mandar meus parabéns para o Richard Rasmussen por ter sido nomeado Embaixador do Ecoturismo no Governo Bolsonaro.

  • Olá!

    Sou Renato Rabelo, o autor da matéria. Lendo os comentários eu percebi algumas confusões. Primeiramente, eu não acusei ninguém abertamente, nem o presidente, nem a militância esquerdista nacional, nem as ONGs internacionais, nem palestinos, nem ninguém. Aliás, sou um dos poucos que não está acusando, que está tentando olhar objetivamente para o assunto, e disse várias vezes que ninguém pode saber se há um culpado ainda.

    Foi acidental ou foi intencional? Isto ainda não foi estabelecido. Se foi intencional, quem causou tantos focos de incêndio em tantos lugares diferentes de uma só vez? Isto também não foi estabelecido. Existe uma conexão entre estes culpados? Também não foi estabelecido. A lista de suspeitos cresce em todos os lados mas o caso ainda é muito novo para existir qualquer confirmação.

    Além disto, eu cito o piroterrorismo como uma tática criminosa, não como uma identidade completa. O Estado pode usar táticas piroterroristas, ONGs internacionais podem usar táticas piroterroristas, até mesmo uma criança pode. Ele é mais “verbo” do que “sujeito”. Aqui no Brasil certamente a “Frente de Libertação da Terra” receberia o rótulo de “movimento social” e não de “organização terrorista”, ainda assim isto não a impediu de usar táticas terroristas de maneira sistemática para alcançar seus objetivos políticos. Ela não precisa ser “puramente” terrorista para ser qualificada para este crime.

    E quem questiona minha formação, fique a vontade mas veja as fontes que eu citei. Será que a Marinha americana não tem autoridade suficiente para falar no assunto? Ou será que o nome “Olavo de Carvalho” faz os joelhos de alguns tremerem e os seus olhos cegarem para as referências do texto bem documentado?

    Como os amigos mais moderados querem saber mais sobre o assunto, posso preparar algo para ser publicado em breve. Isto é muito sério e não está sendo levado em consideração.

    Que a paz do Nosso Senhor Jesus Cristo esteja sobre todos nós!

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...