Cooperação Internacional entre Brasil, Argentina e EUA desarticula organização de tráfico de armas

Polícia Federal 2


A ação foi fruto de Cooperação Policial Internacional, apreendeu mais de 2.500 armas e prendeu 23 pessoas

A Polícia Federal, em Cooperação Policial Internacional, juntamente com autoridades argentinas e o ICE/DHS (Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos), desarticulou organização criminosa responsável pelo tráfico de armas da Argentina para o Brasil.

A cooperação resultou na Operação Palak, deflagrada nessa quarta-feira (26/06) na Argentina. Foram realizadas 23 prisões, 52 buscas e a apreensão de mais de 2.500 armas que seriam transportadas para o Brasil, durante os oito meses de investigação.

De acordo com as investigações, as armas traficadas pela organização criminosa vinham da Europa e dos Estados Unidos, passavam pela Argentina e pelo Paraguai e tinham como destino facções criminosas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Entre as armas apreendidas há granadas, armas longas, fuzis, metralhadoras, mais de 30 mil munições de diferentes calibres, canhão antiaéreo e minas antitanque.

A operação foi batizada de Palak devido ao nome do navio que realizou o transporte do armamento para a Argentina.

Nesta sexta-feira (28/06), às 10h, haverá coletiva de imprensa na sede da Superintendência do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos em Miami, com a participação do adido policial da PF em Washington/EUA.

 * Fonte: Polícia Federal

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

5 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Munições não é coletivo. Um fazendeiro não tem 200 gados. 30 mil “cartuchos”. Quero o TL em rede nacional!!!!

  • De fato, a histeria anti-armas que se alastrou entre a grande mídia é tão grande que ela parece temer tanto as armas que mesmo aprender qualquer coisa sobre elas lha causa aversão.
    .
    O resultado é que, queira ou não, ela espalha termos errados para descrever coisas referente ao mundo das armas – e isso acaba “pegando”.
    .
    O termo da vez é “munição”. Como observado, munição é o coletivo. Assim, da mesma forma que se numa alcateia que tem 30 lobos é incorreto eu dizer que o que vemos é 30 alcateias, igualmente é incorreto eu dizer que foi apreendido 30 mil munições quando o que foi apreendido foram 30 mil cartuchos.

  • É assim que se combate os verdadeiros crimes com armas de fogo! Com toda certeza não sairá na globolixo. Dia 30 Araçatuba – SP estará nas ruas.

  • Engraçado, coincidiu com o pedido de demissão do cônsul ou embaixador da argentina (não lembro o cargo). Investiguem a ” coincidência”…

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...