Coronavírus: atendimento na UPA de Itanhaém gera indignação em famílias de pacientes

upa itanhaém 2
 


Em contato com o Terça Livre na tarde de terça-feira (31/3), a policial de São Paulo, Tatiana P. R., que está no litoral paulista, afirmou que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itanhaém, está se negando a realizar exames do vírus chinês, coronavírus (covid-19), em pacientes que não estejam enquadrados no chamado grupo de risco ou em estado grave.

Tatiana procurou a UPA da cidade litorânea no domingo, dia 22, pois estava com falta de ar intensa e foi diagnosticada sem realizar os exames com CID J06.9 (infecção aguda das vias aéreas superiores não especificada de acordo com o CID 10), sob a alegação de que os testes de coronavírus são realizados apenas em pacientes que estejam no grupo de risco, idosos com doenças de base ou pessoas em estado grave da doença.

Na ficha de atendimento da paciente, consta “suspeita de covid” e mesmo assim lhe foram negados os testes da enfermidade.

tatiana 2

A paciente fez uma inalação na própria Unidade e recebeu a prescrição para uso do antibiótico, Amoxicilina 500 mg, e o expectorante, Pneumucil 15 ml, durante 7 dias, até dia 29, domingo. Ela fez uso dos medicamentos conforme a prescrição médica, mas não resolveu o problema e o quadro de saúde se agravou com muita falta de ar.

O quadro de saúde da policial

Tatiana adoeceu no dia 9 e ficou acamada até dia 21. Por ser mãe de um garoto de 11 anos precisou socorrida por uma família da vizinhança. O quadro da policial neste período foi de falta de ar, dores de garganta, cabeça e ouvido, febre alta de 38 graus, dor insuportável no corpo, fraqueza e tosse seca.

Ela nos contou que este quadro foi “descrito detalhadamente” por ela ao médico da UPA no dia 22. O médico analisou o quadro, não a considerou em “estado grave“, se negou a realizar o teste de coronavírus e prescreveu o antibiótico e o expectorante mencionados acima.

A policial melhorou da tosse após o uso do Pneumucil, entre os dias 22 e 29, mas terminando o prazo o quadro piorou muito.

Retorno à Unidade

Voltando à Unidade terça-feira (31/3), ela solicitou mais uma vez o teste de coronavírus e foi atendida pela doutora Priscila que se recusou a realizar os exames da epidemia chinesa, mas pediu um raio-x do tórax.

De acordo com Tatiana, a médica lhe assegurou não se tratar de coronavírus e pediu que a paciente fosse medicada imediatamente com Dipirona e Decadron, injetáveis, antes mesmo de analisar o raio-x, o único exame solicitado.

raio-x Tatiana
Raio-X de Tatiana P. R.

Vizinhos também tiveram testes de COVID-19 negados na UPA

Os vizinhos que socorreram a policial também falaram conosco. O casal Roberto e Claudia R. S. tem uma filha de 14 anos e um idoso de 85 anos, pai de Claudia. Todos começaram a sentir os mesmos sintomas enquanto socorreram Tatiana durante o período em que ficou acamada.

Roberto é motorista de Uber e Claudia enfermeira da rede privada. O casal buscou atendimento na UPA de Itanhaém no dia 15, junto com a filha. A Unidade alegou tratar-se de suspeita de coronavírus nos 3 casos, mas não realizou nenhum exame, nem de covid-19 ou qualquer outro, os orientou que se recolhessem em quarentena, diagnosticou como gripe e prescreveu Amoxicilina e Prednisona por uma semana.

O quadro de Roberto e Claudia era o mesmo de Tatiana: falta de ar, dores de garganta, cabeça e ouvido, febre alta de 38 graus, dor insuportável no corpo, fraqueza e tosse seca.

O quadro da filha era parecido, mas sem febre.

O medicamento não surtiu efeito no casal, apenas na adolescente que ficou curada, enquanto Roberto piorou.

Roberto voltou junto com a vizinha, Tatiana, a policial, à Unidade no dia 22 com muita falta de ar e passou por uma inalação, que não melhorou o quadro de saúde dele.

No dia mesmo sábado, 22, ele ligou à UPA e esta solicitou uma visita da Vigilância Epidemiológica em sua residência. A Unidade prometeu que atenderia o pedido, mas não o fizeram.

O pai da Claudia e sogro de Roberto, senhor Lázaro, 85 anos, também contraiu a mesma doença que o casal, a filha e a vizinha policial. Lázaro passou mal, caiu, foi socorrido e internado na terça-feira, 31.

Roberto contou que solicitou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) às 8h00 e foi atendido em menos de 15 minutos, contente, o Uber elogiou o atendimento dos profissionais do Serviço de Emergência. Lázaro foi levado às 8h15 da manhã, precisamente. Ao chegar na UPA foi entubado e transferido para o hospital regional da cidade, onde permaneceu em isolamento total, sem a possibilidade de receber visitas, com o boletim médico emitido nos dias pares.

A indignação do casal é que o sogro deve ter contraído a doença deles mesmos, o que poderia ter sido evitado se o exame fosse feito pela Unidade.

Piadas de mau gosto

Na UPA, durante o atendimento de Lázaro, Roberto tornou pedir que fosse feito o exame de covid-19 para ele também, mas não foi ouvido. Irritado, ameaçou chamar a polícia militar. A médica do local pediu um hemograma e mandou à tenda especial de atendimento do coronavírus.

Na tenda, o chefe de enfermagem fez piada com os pacientes:

Todo mundo aqui está com corona agora?!“, ironizou.

Guarde seus comentários idiotas para você!“, replicou Roberto.

hemograma Roberto

hemograma Roberto 2

Unidade de Pronto Atendimento

O Terça Livre tentou contato por dois dias seguidos nos dois telefones informados pela prefeitura de Itanhaém, a Unidade de Pronto Atendimento do município não atendeu.

Secretaria da Saúde de Itanhaém

O Secretário de Saúde do município, Fábio Crivellari Miranda, não foi localizado.

Conselho Municipal de Saúde de Itanhaém

A presidente do Conselho Municipal de Saúde do município, Ilza Lima da Silva, e o vice-presidente, Kaio Wagner de Lima Geraldi, não foram localizados.

Plantão de gripe

Após diversas tentativas de contato, a Prefeitura indicou o “plantão de gripe” como alternativa para responder nossas questões.

A atendente G. P. nos informou que o procedimento da UPA está realmente ocorrendo desta forma, que os casos mencionados acima, tanto da policial quanto dos vizinhos estão de acordo com as orientações do Ministério da Saúde.

Os profissionais da saúde que atuam na UPA, segundo ela, estão atendendo todos os pacientes que chegam à Unidade, no entanto os testes de coronavírus são realizados apenas para pacientes em estado grave ou membros de grupos de risco.

Questionada se o quadro apresentado pelos pacientes que nos procuraram seria ou não classificado como estado grave, ela nos informou que esta avaliação cabe ao médico no momento do atendimento.

Ministério da Saúde

Em contato com o Terça Livre, o Ministério da Saúde afirmou que o quadro de saúde informado pela policial e pelos vizinhos em Itanhaém, são considerados “estado grave” e deveriam sim ter passado por testes de coronavírus.

Vigilância Epidemiológica de Itanhaém

Questionada pelo Terça Livre, a Vigilância Epidemiológica do município afirmou não ter recebido nenhum pedido para atender o casal e agendou uma visita na tarde da quinta-feira (2/4).

Falece o senhor Lázaro

O senhor Lázaro, pai de Claudia e sogro de Roberto, de 85 anos, faleceu na noite de quarta-feira (1/4).

De acordo com o genro, Roberto, o médico afirmou que havia 99% de chances de Lázaro ser portador de coronavírus.

Lázaro

Secretaria de Saúde age após contato do Terça Livre

Após o falecimento do senhor Lázaro e as ligações do Terça Livre solicitando informações sobre o caso, a Secretaria de Saúde de Itanhaém visitou na quinta-feira (2/4), os pacientes informados nesta matéria e solicitou alguns exames, informando-os que seriam atendidos a domicílio.

secretaria de saúde

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

20 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Na verdsde, o que mais faltou foi o isolamento vertical. Independente do teste, na clínica ou mesmo antes, se estivéssemos sido orientados quanto isolamento vertical de forma histerica e neurotica ,quanto foi imposto o horizontal ,seria o certo. No caso o isolamento horizontal ,mas todos juntos ,com pessoas idosas ou imunossuprimidas , pouca importa.
    O problema não foi não ter feito teste.

  • Pelos documentos avistados e pela cronologia dos fatos, caracterizou omissão de socorro. Diagnóstico feito a base de achismo. É crime. Ministério Público deve investigar. Denunciem isso.

  • Infelizmente existem poucos testes disponibilizados nas unidades de saúde, e isso não é culpa dos profissionais.

  • Precisou esperar alguém morrer para fazer algo? O que pensar disso? Só podemos desejar que Deus guarde essas pessoas.

  • 1 – Incompetência total da UPA e desleixo no atendimento médico
    2 – Prefeitura e sua falta de transparência e a incompetência em lidar com o estado de calamidade
    3 – Policial irresponsável que não deveria estar aqui, pois a determinação é de isolamento, ainda mais ela sabendo que iria expor pessoas idosas
    4 – Prefeitura negligente ao tratar os casos suspeitos que acabou por findar uma vida possivelmente contaminado pelo vírus
    5 – E essa família? Toda contaminada. Está isolada? Tem alguém dessa prefeitura inútil cuidando de vigiar e tratar essa família?

  • Bem vindos sou Morador de Itanhaém a 6 anos e só temos a UPA este tal Hospital Regional é um prédio Lindo que é usado apenas como maternidade o que leva a outra pergunta, é certo colocar pessoas com este vírus em contato com os recém nascidos?.

  • No lugar da policial usaria o APAS(convênio médico da PM), ao invés de depender do serviço publico. Agora, em relação aos outros casos, sabemos claramente como é a saúde pública em todo o Brasil e, na prática, não funciona da maneira que tem que funcionar.

    Minhas condolências à família do Sr. Lázaro

  • Incompetência, desleixo e desinformação, essas três palavras descrevem a situação descrita na matéria.
    O engraçado é que tem gente que defende os “profissionais” da saúde, até antes do Sr. Lázaro de 85 anos falecer nada foi feito e só depois de sua morte é que providências foram tomadas. Aos que defendem esses negligentes peço que vão TMC, pois, como que após o desenrolar dos casos conseguiram constatar a doença Covid-19?

  • Os testes são apenas para celebridades como Anita, o povão tem mais é que se foder. O sistema de saúde está falido mesmo o povo pagando a maior carga de impostos do mundo. Não é o vírus chinês que vai trazer o caos. O caos já existe graças o vírus brasileiro chamado Políticos corruptos vagabundos imundos.

  • Junior, quando o senhor se refere que a policial deveria procurar o APAS, convênio da PM, até concordo, em parte. Pelo que sei esse APAS, é um convênio particular, pago pelo policial associado. Essa iniciativa dos policiais de se organizarem em associação particular, pagando do seu próprio bolso, um convênio médico foi devido o descaso e abandono dos governos de São Paulo, exceto, Franco Montoro, em desprestigiar a PM. Tenho conhecimento de que um policial do interior ao não se associar para ter um plano de saúde particular, APAS, fica condicionado a ser atendido, apenas, na Capital e isso vale para seus dependentes. O SUS é o caminho para todos. Sei que o Estado desconta na folha de pagamento plano de saúde do policial. Tenho vários amigos policiais. Tenho um profundo respeito pelos policiais, principalmente, pela PM que é odiada pelo povo até quando faz o que a justiça determina. Pobres profissionais. Só Deus para protegê-los.

  • Precisamos do impeachment do Doria e afastamentto do Mandetta, mas antes, o fechamento e dedtitulação de todos os deputados federais e estaduais, a prisão dos Ministros do STF e de fechamento das CNJ. Vai ser incapaz assim na puta q pariu.

    Se isso ocorre comigo e eu to armado eu mato tdos do hospital…

  • Estamos todos a merce de politicos nojentos, que visam apenas o enriquecimento..
    Sou moradora de Itanhaém e é muito triste ver o abandono da 2° cidade mais antiga do Brasil.

  • esta cidade esta de mal a pior..acho que devem ser penalizados todos os responsaveis, uma vez que esse UPA gera muitos problemas..ninguem nesta cidade esta feliz

  • Sempre foi um lixo o atendimento do UPA e Postos de Saúde de Itanhaém, absurdo economizar em fazer exames como se fossem sair do bolso deles pior economizam para sobrar mais nós cofres e ir para o bolso dos corruptos.

  • Se não é epidemia chinesa, então qual é seu adjetivo pátrio? Onde surgiu?
    O Partido Comunista Chinês, que há mais de um século ocupa o poder na China, também não deve ser chinês e nem comunista.
    Canalhas! Já passou da hora da China ser punida em um novo Tribunal de Nuremberg, como até mesmo o ministro Mandetta deu a entender.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...