fbpx

CPMI das fake: Hans diz que empresa fazia disparos em massa no WhatsApp para o PT e não para Bolsonaro

 


A CPMI das Fake News ouve nesta terça-feira (11) Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da Yacows, acusada pela Folha de S. Paulo de fazer disparos em massa via WhatsApp durante a campanha eleitoral do então candidato à presidência, Jair Bolsonaro.

O requerimento para ouvir Hans foi protocolado por  Rui Falcão (PT).  O ex-funcionário, no entanto,  afirmou que a empresa trabalhava para o PT e Lula e que nem Bolsonaro, nem o o governador de São Paulo, João Doria, estavam envolvidos.

 “Todo mundo vem me fazer a pergunta mais incômoda: você fez a campanha política do Doria, do Bolsonaro? E eu não peguei a campanha dos dois”, afirmou.

Hans também disse ter comentado com pessoas próximas que estava fazendo campanha “de todo mundo” e que Bolsonaro não estava fazendo.

Assista:

Acompanhe ao vivo:

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...