fbpx

Crescimento econômico: Balança comercial brasileira fecha com superávit de US$ 3,096 bi em fevereiro

 


Apesar do temor pelo coronavírus no Brasil, que já confirmou dois casos positivos, a balança comercial registrou superávit de US$ 3,096 bilhões em fevereiro, valor 10,4% superior, pela média diária, ao alcançado em igual período de 2019. 

Segundo dados da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint) do Ministério da Economia, divulgados nesta segunda-feira (2/3), em Brasília, a corrente de comércio alcançou US$ 29,614 bilhões, um aumento de 16% sobre igual período do ano anterior.

As exportações no mês chegaram a US$ 16,355 bilhões, com aumento de 15,5% em relação a fevereiro de 2019, e de 38,4% sobre janeiro de 2020. Já as importações totalizaram US$ 13,259 bilhões, o que representou um crescimento de 16,7% sobre igual período do ano anterior e de 0,2% em relação a janeiro deste ano.

“Esse valor de exportações é o quarto maior e esse saldo é o terceiro maior para o mês de fevereiro, na série histórica, desde 1989”, explicou o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão. 

“O saldo comercial teve o mesmo valor, arredondando, ao de fevereiro do ano passado, mas como tivemos dois dias úteis a menos em fevereiro de 2020, houve crescimento pela média diária.”

O subsecretário explicou que houve um crescimento importante nas vendas de petróleo, minério de cobre, óleos combustíveis, ferro gusa, algodão em bruto e carne bovina. 

“As carnes tem sido um destaque positivo desde o ano passado. Em petróleo, temos um aumento de volume. Os preços internacionais estão baixos, mas o Brasil tem aumentado a produção de petróleo e exportado mais. Óleos combustíveis também vêm neste bojo, e no algodão temos uma safra maior, também, com exportação robusta desde o ano passado”, comentou.

Já nas importações, houve crescimento de bens de capital (+102,2%), combustíveis e lubrificantes (+32,2%), bens intermediários (+3,2%) e bens de consumo (+2,2%).

Mercados

Por mercadoscompradores, cresceram as vendas para Oceania (+31,9%), União Europeia (+31,7%), Ásia (+27,3%), América Central e Caribe (+21,2%). Por outro lado, decresceram as vendas para os Estados Unidos (-9,7%), Mercosul (-4,6%), África (-0,5%) e Oriente Médio (-0,4%).

Em termos de países, os cinco principais compradores foram China, Hong Kong e Macau (US$ 4,724 bilhões), Estados Unidos (US$ 1,709 bilhão), Argentina (US$ 803 milhões), Países Baixos (US$ 760 milhões) e Cingapura (US$ 584 milhões).

Por mercados fornecedores, na comparação fevereiro 2020/2019, diminuíram as compras de Oceania (-48,6%), África (-15,5%), América Central e Caribe (-8,6%) e Mercosul (-2%).

Por outro lado, cresceram as importações originárias dos Estados Unidos (+77,8%), Oriente Médio (+9,4%), União Europeia (+5,2%) e Ásia (+0,5%).

Em termos de países, os cinco principais fornecedores foram Estados Unidos (US$ 3,325 bilhões), China, Hong Kong e Macau (US$ 2,418 bilhões), Argentina (US$ 758 milhões), Alemanha (US$ 652 milhões) e Índia (US$ 336 milhões).

Coronavírus

Herlon Brandão disse que houve relatos de exportadores que tiveram dificuldades para desembarcar mercadorias na China – em especial, exportadores de carnes, mas apenas no início do mês – devido a problemas causados pela epidemia do coronavírus naquele país.

Já exportadores de soja e de minérios não relataram problemas logísticos para o desembarque. “O efeito é gradual e heterogêneo entre os setores. Ele se dá em maior ou menor grau”, explicou.

Segundo o subsecretário, como os contratos de comércio exterior são feitos com antecedência, o efeito poderá ser sentido a partir de março, se houver, “mas não foi perceptível nos agregados da balança em fevereiro”.

(Com Ministério da Economia)

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...