Dante Mantovani

Dante Mantovani participa do Fórum Educação, Direito e Alta Cultura

Nos dias 15 e 16 de junho de 2018 aconteceu na cidade de Londrina o Fórum E.D.A.

Conferencistas de renome nacional e internacional debateram temas relacionados à segurança pública e à crescente criminalidade, as deficiências do ensino, desde a alfabetização até a formação superior, e o baixo nível da cultura produzida e disseminada em nosso país, apontaram também suas causas e possíveis soluções.

O Doutor Dante Mantovani falou sobre a Educação Musical. Alta Cultura e Organização Política da Sociedade.


Participei, neste fim de semana, junto aos meus amigos, do Fórum Educação, Direito e Alta Cultura, organizado pela promotora do MP de Londrina, a caríssima Cláudia R Morais Piovezan.

E o quê tenho a dizer? Que foram dois dias incríveis, de conferências magistralmente concatenadas acerca de domínios tão díspares do conhecimento, e mantendo uma sadia interdisciplinaridade. Neste sentido, o evento é único, e igual não se vê em lugar nenhum, como bem disse o procurador e conferencista internacional prof. Edilson Mougenot – não sem uma oratória primorosa.

Da música na Grécia Antiga à ginástica no desenvolvimento pessoal, da história moderna da educação à cultura da mídia e das massas, de considerações sobre a alfabetização de crianças aos índices de criminalidade, do estudo sobre o ciclo cultural brasileiro às desastrosas políticas penais do Brasil, da história da Igreja do século XX à lamentável escalada do ativismo judicial. Falou-se de Platão, Aristóteles, Agostinho, Dante, Balzac, M. F. dos Santos, Gilberto Freyre, Gustavo Corção, Sérgio Buarque de Holanda, Ortega y Gasset, Julían Marías, Marx, Gramsci, Habermas, Bach, Villa-Lobos, Michelangelo, Zaffaroni, Miguel Reale, Ferrajoli, Szondi… enfim, se fosse citar nome a nome, a lista seria gigantesca, e só essa pequena amostra é suficiente para dar a entender a amplitude dos muitos temas tratados.

Estética, ética, metafísica, psicologia, história, sociologia, economia, direito, política, educação, literatura, música. Uma gama de assuntos. Sinto que realmente é possível sair daquele paradigma de direito puro criado por Kelsen para falarmos do direito na ótica da FILOSOFIA, da VIDA e dos DRAMAS humanos.

Agradeço muito à dra. Cláudia e aos demais envolvidos na organização. Deve ter sido um esforço hercúleo o de reunir, num só salão, tantos promotores, juízes, escritores e até um maestro de orquestra. Certamente, será bem recompensada por multiplicar os talentos que Cristo lhe confiou.

Agradeço também a cada um dos palestrantes, drs. Edilson Mougenot, Diego Pessi e Leonardo Giardin, maestro Dante Mantovani, prof. Fausto Zamboni, drs. Bruno Carpes, Ludmila Lins Grilo e Luke De Held, o icônico Bernardo Küster, prof. Carlos Nadalim e o grande Paulo Briguet.

Agradeço, enfim, ao professor Olavo de Carvalho, responsável por este renascimento dos estudos culturais e humanísticos que vemos pulular pelo Brasil, e por ajudar a manter viva a chama de uma verdadeira tradição cultural brasileira.

Faço ao cabo duas menções honrosas.
A primeira ao professor Leandro Meyer e a sua esposa Isadora, por terem me recebido em casa com muita bondade, hospitalidade, boas prosas e umas taças de chopp. Senti a falta de uma foto junto a vocês.
A segunda ao querido promotor Luke De Held, que tão bem recebeu e acolheu a nossa pequena comitiva do interior do Paraná. Estamos animadíssimos, e saiba que és bem vindo para falar sobre as Termópilas também aqui em nossa universidade.

Veja abaixo fotos do evento:

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. Maravilhoso. Faço votos e rezo à Nossa Senhora e São José que esses eventos se multipliquem sempre mais!! Creio que muitíssimas pessoas das Artes, do Direito, Educação etc. ficariam felicíssimas em poder participar!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close