Defensoria Pública de SP vai acompanhar apuração da tragédia em Paraisópolis



Por meio de nota oficial, a Defensoria Pública de São Paulo informou que irá se colocar à disposição dos familiares de vítimas fatais da tragédia da favela de Paraisópolis, ocorrida neste domingo (1º), na zona oeste da capital paulista.

Nove pessoas morreram e sete ficaram feridas durante ação de policiais militares para coibir um baile funk. Conforme o registro da Polícia Civil, as vítimas foram pisoteadas depois de uma ação de controle de distúrbios civis feitas pela PM com munições químicos.

A Defensoria também vai organizar um plantão para atendimento das pessoas da comunidade e irá analisar medidas cabíveis como pedidos de indenização e de atendimento psicológico.

O Núcleo Especializado de Cidadania e Direitos Humanos da instituição também acompanha outros casos de intervenções policiais em festa de rua que levaram a lesões graves e permanentes.

Nesta segunda-feira (3/12), o Ministério Público do Estado de São Paulo informou que o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, designou a 1ª promotora de Justiça do 1º Tribunal do Júri, Soraia Bicudo Simões, para acompanhar as investigações acerca da ação da Polícia Militar na favela de Paraisópolis. As informações são do Conjur.

Blog Authors

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...