Documento que pede fim de armas nucleares será levado às Nações Unidas



Mais de 10 milhões de assinaturas foram recolhidas para um documento solicitando que países façam parte de um acordo da Organização das Nações Unidas que proíbe o desenvolvimento e posse de armas nucleares.

Um grupo, que inclui o Nihon Hidankyo — a Confederação do Japão das Organizações de Vítimas das Bombas Atômica e de Hidrogênio —, vem recolhendo as assinaturas com o objetivo de convencer as nações a se juntarem ao Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares, que foi adotado em 2017.

Durante uma coletiva de imprensa realizada ontem (30), o grupo informou que o número de assinaturas tanto do Japão quanto internacionais chegaram a 10,5 milhões. O grupo também divulgou que, ainda no início de outubro, uma delegação será enviada em visita à sede das Nações Unidas em Nova York para apresentar a lista ao presidente do comitê responsável por discutir questões que incluem o desarmamento.

Até o momento, 32 países ratificaram o pacto, fazendo com que sejam necessárias outras 18 ratificações para que ele entre em efeito. O Japão não assinou o tratado, argumentando que ele não apresenta um método realístico para se alcançar o desarmamento nuclear. Nenhum dos países com capacidade nuclear faz parte do acordo.

Com informações da Agência Brasil 

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

9 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Como se a China e Rússia e outros malucos fossem assinar! Agora os EUA que não vai assinar serão chamados de facistas, taxistas, etc…

  • Só pode ser palhaçada isso não, quem vai assinar isso, deixa ver, Portugal, Brasil, México, Venezuela, Chile, Peru, Bolívia, Argentina, Gabão, etc… Hummm, deixa ver, os países que tem armas nucleares vão desativar as deles e colocar no depósito, hummm, entendi…

  • Penso eu que não falta muito para o Brasil desenvolver suas armas nucleares, já que temos as usinas de Angra. O que será que a comunidade internacional diria se a gente dissesse que temos armas nucleares em desenvolvimento? Onde iríamos testar essas armas?

  • Ezequiel
    2 de outubro de 2019 às 19:28
    Penso eu que não falta muito para o Brasil desenvolver suas armas nucleares, já que temos as usinas de Angra. O que será que a comunidade internacional diria se a gente dissesse que temos armas nucleares em desenvolvimento? Onde iríamos testar essas armas?

    SERRA DO CACHIMBO. NOS GOVERNOS MILITARES , QUANDO HAVIA O PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE ARMAS NUCLEARES A SERRA DO CACHIMBO TEVE UM TÚNEL ESCAVADO JUSTAMENTE PARA TESTES SUBTERRÂNEOS VISANDO PROTEGER O MEIO AMBIENTE DOS IMPACTOS DA RADIAÇÃO.

  • AHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHH..

    Um grupo de ativistas faz um abaixo assinado para tentar usar como ‘arma’ contra nações que tem armas nucleares há mais de 50 anos e nunca usaram!

    É de fazer rir..

    É o típico pensamento Esquerdopata de ‘lutar contra o capitalismo’, ‘luta de classes’, lutar contra qualquer coisa que não entendem mas que juram do ‘fundo de sua falsa pseudo-moralidade’ que é algo ruim!

    Todo governante sério deveria mostrar ao seu povo que no caso de seu país se envolver em alguma guerra este mesmo país estará melhor protegido se tiver armas nucleares.

    O objetivo de se ter armas nucleares é apenas para efeito dissuasivo, ou seja, nenhum país atacará as cidades de nenhuma nação que possua armas nucleares!

    Mas pra esse pessoal imbecil guerra se combate com flores, passeatas e drogas..

  • Deixa eu entender a coisa .
    A infinidade de papeis com assinaturas prospera e a ONU diz que as armas nucleares estão proibidas . E dai ?
    Quem é que vai invadir uma base militar americana com um taco de beisebol na mão para destruir armas nucleares na porrada ?
    Quem é que vai invadir a base de submarinos em Murmansk , na Russia , perto do circulo polar ártico ,e com um cortador de unhas desmantelar os misseis de cruzeiro , 20 ao todo em um único submarino , mas capaz de varrer todo os EUA num único ataque ?
    E uma pergunta importante : porque foi inventada a bomba atômica ?
    Esta é a pergunta que vale um milhão.
    Na segunda guerra mundial , os EUA estavam ganhando e o Japão perdendo , mas não haveria rendição em hipótese alguma . Os americanos estimavam em 3 milhões de mortos em combate , para colocar uma bota americana em solo japonês . A outra alternativa era arrasar com os japoneses , sem que um único americano fosse morto . Isto seria a bomba atômica . E uma não foi suficiente . Foram necessárias duas ,e depois disto , o imperador japonês deu um puta tapa na mesa , porque os militares queriam continuar a guerra , não importando se toda a nação japonesa fosse morta pelas bombas atômicas.
    Mas hoje o cenário mudou.
    A doutrina de guerra evoluiu. Não adianta matar um milhão de soldados no campo de batalha . Basta matar aquela meia dúzia que quer , ou ganha algo com isto . Um bom exemplo foi a guerra do Iraque , aonde os americanos deixaram os inimigos cegos , mudos e surdos , não tendo mais coordenação para continuar a luta . Neste caso , bomba atômica para que ?
    Muita gente acha que a bomba atômica é a pior coisa que existe no arsenal bélico , mas não é mais . Uma bomba termobárica e capaz de trucidar um soldado enfiado a 30 metros embaixo do solo, e o gás sarin mata só por contato.
    Se você proíbe o revolver na cadeia , eles se matam com facas ,. Se proibir as facas , eles se matam com cabos de escova de dentes . Isto é um resumo da vontade de matar escondido na Humanidade.

  • Isso é igual o estatuto do desarmamento.
    Ditaduras como a da China,Rússia e Iran pode até assinar este acordo,mas irão continuar a produzir e esconder o seu arsenal nuclear.
    E países como o Brasil vão continuar sem armas nucleares,dependendo sempre de outros países que tenham armamento nuclear para proteger a nossa soberania caso algum país ameace o Brasil.
    Isso se tivermos alguém que esteja disposto a entrar em conflito nuclear pela gente(algo que eu duvido muito)

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...