“Estamos apenas cumprindo o que a Lei determina”, diz Bolsonaro sobre liberação de emendas



O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) liberou ontem (9) o valor de R$ 1,135 bilhão em emendas parlamentares voltadas à área da saúde.

A liberação dos recursos tem sofrido ataques por deputados de oposição durante a votação da reforma da Previdência, sob acusação de que o governo teria resolvido utilizar de uma das práticas mais antigas de convencimento de parlamentares, a chamada “velha política” para aprovar a reforma. 

Jair Bolsonaro, disse que o governo apenas está cumprindo a lei. Devido ao Orçamento Impositivo, o governo é obrigado a liberar anualmente os recursos previstos aos senadores e deputados, para serem utilizadas a níveis estaduais e municipais.  

“A Emenda Constitucional 86/2015 tornou as emendas parlamentares individuais impositivas, portanto independe da vontade do Presidente a sua liberação. Outros recursos previstos no orçamento, havendo disponibilidade, também são liberados para obras em estados ou municípios”, disse o presidente em sua conta no Twitter. “No passado, como todos sabem, os métodos eram outros. Hoje, o parlamento está mais que consciente de sua responsabilidade, do que devem ou não aprovar ou aperfeiçoar, sempre focado no bem estar de todos”, acrescentou ainda.

Vamos relembrar alguns fatos do passado, somente à título de curiosidade…

30 de julho de 2013 – Dilma autoriza liberação de R$ 6 bilhões em emendas parlamentares: Naquela ocasião, o Palácio do Planalto tentava convencer os aliados a manterem alguns vetos presidenciais, mas enfrentava forte resistência na base. O então líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), declarou: “Se a presidente está cuidando de emendas agora, é um bom sinal, um bom gesto político, ela está se mexendo para acomodar a base. Mas não adianta só isso”, disse.

19 de agosto de 2013 – Para agradar base, Dilma libera valor recorde em emendas:  Dilma Rousseff iniciou o mês de agosto daquele ano com uma liberação recorde de verbas para senadores e deputados através das emenda parlamentares. Nos primeiros nove dias daquele mês, ela liberou R$ 1,2 bilhão em autorizações para despesas de congressistas incluídas no Orçamento.

2014- Dilma diz que só libera dinheiro de emendas se Congresso aprovar Lei do Calote: O Planalto condicionou a liberação de R$ 444,7 milhões em emendas parlamentares à aprovação em mudanças nas regras da política fiscal.

7 de abril de 2016 – Governo libera emendas em troca de voto contra impeachment, diz senador: O então líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO),  entrou com mandado de segurança preventivo no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quinta-feira (7) para pedir à Corte que barrasse o pagamento de emendas parlamentares. O senador acusava o governo de liberar emendas, seguindo critérios políticos, para alguns deputados como forma de barganha em busca de votos para barrar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Fontes

https://exame.abril.com.br/brasil/para-agradar-base-dilma-libera-valor-recorde-em-emendas/

https://folhapolitica.jusbrasil.com.br/noticias/154662160/dilma-diz-que-so-libera-dinheiro-de-emendas-se-congresso-aprovar-lei-do-calote

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/04/1758488-governo-libera-emendas-em-troca-de-voto-contra-impeachment-diz-senador.shtml

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

10 Comentários

Clique aqui para comentar

  • O Mensalão era a mesma coisa… dinheiro em troca de votarem pautas do governo… hoje acontece a mesma coisa… e você acha normal…. “mas fazer o quê?” diz um

  • Não é exatamente igual ao PT! Pra quem não entendeu releia a parte: “A Emenda Constitucional 86/2015 tornou as emendas parlamentares individuais impositivas, portanto independe da vontade do Presidente a sua liberação.”
    O presidente só decide “quando” e não “se”.
    Isso é estratégia dentro do permitido em lei e não, e não há toma lá dá cá.
    Só precisa um pouco mais de leitura.

  • Natural ele fazer isso. Na verdade não é nem imoral. Negociar verbas com fins de direcionar pra população na tentativa de cumprir promessas de campanha legítimas faz parte do processo político. Esse é o momento que se pode barganhar de forma legal. O que não pode é você receber benefícios pessoais pra votar ou troca de favores que não são de interesse da população.

    Agora o engraçado disso tudo é Bolsonaro, como sempre, voltando atrás no que disse que não ia fazer. Cômico.

    Igual ao lance do Mercosul. Para os Minions fanáticos, o Mercosul é um bloco econômico do interesse e domínio de forças globalistas (segura o doido) que querem acabar com a soberania das nações e dominar o mundo.

    O ministro fanático das relações internacionais detonou o Mercosul. Pra logo depois firmarem acordo, voltando atrás numa postura prévia, e ainda se vangloriar pela negociação.

    Esse governo é um circo. Mas o congresso tá de parabéns. Mesmo com Bolsonaro tentando de tudo pra atrapalhar, conseguiu articular e concretizar essa reforma tão importante.
    Alguém dúvida que Maia é a maior autoridade do Brasil no momento? Graças, claro, ao vácuo deixado por essa figura jocosa que muitos chamam de presidente.

  • Muitos brasileiros não sabem que se o governo não liberasse , o presidente sofreria um impeachment , como aconteceu com a Dilma. Essa emenda ela é “IMPOSITIVA ” ou seja , que não se pode dizer ” NÃO” e o governo é obrigado a ceder. Político que mencionar a narrativa TOMA LÁ DA CA se referindo a essa emenda que é Lei a muitos anos, esse político está mentindo pra vc DESCARADAMENTE e chamando você de ignorante. Não seja idiotado e procure pesquisar antes de falar merda. Abraços

  • Decepcionante … os governos não têm aquilo roxo para enfrentarem as pressões. Afinal, governo no Brasil é sinônimo de conjunto de interesse, em síntese, denominado mercado. A verdade também é que depois que votamos, perdemos os controle de nosso voto. Aí, não tem presidente que resiste a pressão. Logo mais, nos jornais, veremos as desculpas deslavadas de nossos patriotas.

  • Nota-se que, por alguns comentários, o número de idiotas ainda é grande. Canalhas, burros ou ambos, distorcem porque são canalhas ou não sabem interpretar porque são burros!
    DCM, PT247 e IntercePT são sites mais apropriados pra este nível de comentários.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...