BrasilNotícias

Fake News: Jornal Folha de São Paulo infla gastos do Aborto pelo SUS

Mais uma Fake News divulgada pelos abortistas

Médica desmascara notícia falsa publicada pelo Jornal Folha de São Paulo. A matéria traz dados inflados e sem fontes sobre os gastos do Aborto pelo SUS. Entenda:

Por: Dra. Elizabeth Kipman

EM 10 ANOS, FORAM R$500 MILHÕES GASTOS PELO SUS COM ABORTOS INSEGUROS?

O Jornal Folha de São Paulo noticiou na primeira página da edição de domingo, dia 29 de julho, que o SUS gastou R$ 486 milhões para tratar complicações do aborto, sendo 75% deles provocados entre 2.100.000 internações, total arredondado da soma das internações para curetagem durante os dez anos: de 2008 a 2017. Na exposição do tema no caderno Cotidiano B1, refere-se a R$ 500 milhões.

A única base para estas informações seria o relatório que o DataSus fornece sempre até dois anos anteriores. Portanto, temos as informações até 2016. É obrigatório analisar esses números autenticados pelo Ministério da Saúde para conferir a veracidade dessa notícia. É a verdade? É deficiência de informação?

Realmente, podemos arredondar para 2.100.000 internações pelo SUS de 2008 a 2017 (os números não sofrem grandes variações anuais e pode-se supor que serão os mesmos em 2017). Acontece que neste total de internações, fazendo o cálculo a partir dos nascidos vivos – 3 milhões por ano, número bem conhecido – pode-se ter estimativa de abortos espontâneos que também necessitam de internação. São em torno de 150 mil por ano. Portanto, de 2.100.000 internações pelo SUS, 1.500.000 não foram por abortos provocados, ainda sem contar os casos que necessitam de curetagem para diagnóstico de alguma doença e outras situações.

Seguem os valores atuais da tabela SUS para os procedimentos de curetagem (supondo que foram os mesmos desde 10 anos atrás); cada valor inclui os gastos com médicos (ginecologista e anestesista) e com o hospital.

Curetagem uterina pós aborto ou pós parto: R$ 179,62
Curetagem uterina para diagnóstico de doença: R$ 167,42
Curetagem uterina em mola hidatiforme: R$ 137,38 

Incluem as classificações do Código Internacional de Doenças (CID 10), todos os quadros de gravidez que termina em aborto (O00 – O08): gestação ectópica, mola hidatiforme, aborto espontâneo, falha de tentativa de aborto, abortos por razões médicas legais, etc.

Vimos que o possível número de internações devidas ao abortamento provocado é de 600.000, (2.100.000 – 1.500.000 = 600.000), descontando as internações por aborto espontâneo segundo o cálculo acima. Arredondando a tabela SUS para R$ 180,00, teríamos o resultado de R$ 108 milhões nos 10 anos, no máximo. Sem descontar casos de gestações ectópicas, degeneração molar e outras.

É obrigatório analisar esses números autenticados pelo Ministério da Saúde para conferir a veracidade dessa notícia. É a verdade? É deficiência de informação? Ou é estratégia para comover a opinião pública? Ou seria tentativa de manipulação de nosso cérebro e emoções através de números?

Referência: DataSus (Departamento de Informática do SUS) http://datasus.saude.gov.br/

Elizabeth Kipman
Titulo de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, Professora Adjunta por 2 anos na Faculdade de Ciência Médicas da Santa Casa de São Paulo, atuou na Secretária de Saúde do Município de Jacareí, Co-fundadora do Hospital e Maternidade São Francisco de Assis em Jacareí onde foi Diretora Clínica por 6 anos, Gerente de Qualidade do Hospital São Francisco, Diretora do Centro Interdisciplinar de Estudos Bioéticos do Hospital São Francisco. (informações: site do STF).

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. Sobre enganar a população com a arte de mentir por estatísticas, vejo que o jogo está virando. Cada vez.menos credibilidade, cada vez menos leitores. O que eles podem fazer ? Há salvação para essa mídia purulenta ?

  2. “Jornalista” da “foia” de São paulo é tudo picareta! Se esse jornal serviu para alguma coisa boa no passado, hoje não serve nem para limpar a *****.

  3. Liberar o aborto com essas justificativas de contenção de gastos e proteção a mulher penso ser como liberar o estupro pelo fato do estuprador estar contraindo doenças durante o crime.

  4. Diga não ao aborto, não importa o motivo que a mulher ficou grávida. O importante é que é uma vida. Aborto é crime. Diz uns dos dez mandamentos! NÃO MATARÁS. É aborto e matar um inocente. Eu Digo ( NÃO AO ABORTO).

  5. Não consigo achar esses dados, eu preciso deles para refutar os dados do meu professor comunista abortista, por favor me mandem um e-mail

  6. Não consigo achar esses dados, eu preciso deles para refutar os dados do meu professor comunista abortista, por favor me mandem um e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close