Notícias

Francischini sobre intervenção: “É um decreto eleitoreiro do presidente” 

O deputado federal Fernando Francischini também comentou – em entrevista exclusiva ao Terça Livre – sobre a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. De acordo com o parlamentar, a situação a qual o Estado chegou é culpa da “irresponsabilidade dos governadores e dos presidentes da República, que deixaram deteriorar as polícias militares, civis e até a Polícia Federal”.

O parlamentar ressaltou que a única forma de enfrentar bandidos altamente perigosos, que matam, é com a prisão, a bala da polícia ou cidadão armado. Francischini ressaltou sua vida profissional na área da segurança pública passando por diversas instituições. “Jogaram para as Forças Armadas um abacaxi para dar uma falsa sensação de segurança para a população”, complementou.

Ao falar dos governadores do Rio de Janeiro, lembrou da prisão de Sérgio Cabral e o fato de Pezão está denunciado. “Assaltaram o Estado”, destacou, ao falar das dificuldades financeiras e estruturais que o Rio de Janeiro enfrenta, ao lidar com bandidos armados de fuzis e com facilidade para conseguir armas por meio do tráfico.

“O policial tendo que enfrentar isso subindo o morro com um revólver. Muitas vezes, o morro onde ela mora. Quebraram o aparelho policial”, sentenciou.

Para o parlamentar é um “contexto de falta de responsabilidade” que fez com que Michel Temer tomasse uma medida “eleitoreira que traz uma instabilidade jurídica para as Forças Armadas”, já que esta não tem o preparo para lidar diariamente com as situações que o Rio de Janeiro vivencia. A ação das Forças Armadas – na visão de Francischini – teria que ser cirúrgica.

Em breve, a entrevista na íntegra estará no canal do Youtube do Terça Livre.

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close