Fuzil segue restrito às Forças Armadas, policiais e, obviamente, aos criminosos, aponta Bene Barbosa



O fuzil estava entre as armas cuja posse e o porte passariam a ser permitidos pelo decreto editado em maio pelo presidente Jair Bolsonaro. O decreto aumentava o rol de armamentos que poderiam ser comprados por cidadãos comuns, ao ampliar o limite de energia de disparo de 407 para 1.620 joules.

No entanto, em portaria publicada nesta quinta-feira (15), o Exército definiu os modelos de armas liberadas que serão liberadas. Os fuzis seguem restritos às forças de segurança.  A lista confirma que civis agora podem ter acesso a munições que antes eram classificadas como de uso restrito, como 9 mm, .40 e .45, por exemplo.

Para as munições permitidas, o Exército manteve parte da ampliação de Bolsonaro e incluiu calibres como 9x19mm Parabellum (9 mm), .40 S&W, .45 Colt e 357 Magnum. Na lista, aparecem mais de 30 tipos de munição com energia de disparo superior a 407 joules, conforme cálculos feitos pelo Exército.

Por outro lado, o Exército decidiu que calibres como 5.56 mm e 7.62 mm, usados em fuzil, devem permanecer como de uso restrito. A lista cita, nominalmente, mais de 115 calibres que continuam com acesso controlado no País.

Bene Barbosa

Segundo o advogado especialista em segurança e ativista da questão de armamentos,  Bene Barbosa, o que foi definido não foram os modelos de armas e sim, os calibres permitidos atualmente para os civis.

“A gente sai de uma restrição que ia, no máximo, até o calibre 380, que é considerado um calibre fraco para a autodefesa e parte para a possibilidade de calibres mais efetivos, entre eles o 9mm, .40 e .45”,  explicou em entrevista à Jovem Pan na manhã desta sexta-feira (16).

Ainda segundo ele, a questão do fuzil não é o armamento, mas o calibre. “O que não foi liberado foi o calibre 556, que segue restrito às forças armadas, policiais e, obviamente, aos criminosos que não obedecem lei nenhuma e têm acesso a todo tipo de calibre”, criticou.

O ativista ainda comentou sobre “especialistas” que afirmam que com a medida do Exército, bandidos agora terão acesso a armamentos que antes não tinham.

“Fiquei estarrecido com algumas matérias em jornais, dizendo que agora os bandidos vão ter acesso a armamentos que antes não tinham. Em que país esse pessoal vive? Não deve ser no Brasil, pois no Brasil que conheço, bandido sempre teve acesso a todo tipo de armamento, até restrito às forças policiais. Hoje nenhuma força policial usa o calibre 50, que são as metralhadoras, mas os bandidos utilizam porque não precisam pedir autorização ao Exército, como as próprias polícias precisam pedir”. concluiu.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Enquanto isso nas favelas aqui do Rio até lança foguete tem, metralhadora .50 arma do rambo é coisa banal.

  • Tô vendo que no Brasil só uma minoria tem direito a defesa. Enquanto isso a população fica desarmada e o número de homicídios vai aumentando junto com os “direitos dos manos” sendo mantido, já que no Brasil, qualquer cidadão honesto que tente reagir e acabar com um bandido cria um alvoroço…
    Em 2016, o Brasil que tem 209 milhões de habitantes, ficou em primeiro lugar em número de homicídios contabilizados, tendo em torno de 62 mil homicídios, ficando atrás da India que teve 46 mil homicídios, mas com uma população de 1,3 bilhões.
    Os EUA que tem mais de 308 milhões de habitantes, teve 17 mil homicídios. Se pegar nações mais pobres como a Nigéria que tem uma população de 190 milhões, quase igual ao do Brasil, teve também em torno de 17 mil homicídios.
    As fontes estão aqui: https://dataunodc.un.org/GSH_app

  • Essa nova portaria por um lado foi ruim mas por outro foi boa. Ruim porque proibir fuzis vai contra a liberdade do cidadão de se proteger contra o próprio estado se necessário. Por outro lado, foi boa pois isso acaba com possíveis cartéis em clubes de tiro. Antes para um cidadão possuir uma 9mm por exemplo, ele teria que estar afiliado a um clube de tiro mesmo detestando praticar o esporte pois era a única opção que o sujeito tinha para obter um calibre decente. Agora, só vai frequentar clube de tiro quem realmente goste do esporte pois qualquer um mesmo NÃO sendo atirador, poderá ter um calibre decente dentro de casa para auto-defesa pela PF (Sinarm) e não apenas pelo Exército (Sigma) como era antes. Mas no geral foi um avanço inquestionável sendo que de agora em adiante, temos que continuar enfernizando a vida dos políticos e dos militares para termos o nosso direito de possuirmos um fuzil em casa respeitado. Não apenas os CAC`s mas sim todo cidadão de bem pois como diz a própria constituição TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI.

  • Sabe, estes pseudo jornalistas que foram comprados pela grande mídia que está a mando da Nova Ordem Econômica Mundial precisam avançar a AGENDA deles e para tanto, mentem na maior cara dura. Os pseudo jornalistas estão carecas que saber que o crime organizado tem acesso a fuzil- é só um helicóptero sobrevoar uma favela no RJ que dá para ver vários traficantes com fuzil nas mãos. Mas, o negócio é desarmar a população de bem pq quando vier a Nova Ordem Mundial o povo não ter como reagir. É o que ocorreu na Venezuela com o Maduro e em Cuba.

  • STF vai comprar kit com armadura e capacete para se proteger de manifestações – (O Globo – 15/08/2019)

    Edital de licitação foi aberto no início do mês no valor de R$ 69,6 mil.

    https://oglobo.globo.com/brasil/stf-vai-comprar-kit-com-armadura-capacete-para-se-proteger-de-manifestacoes-23879758

    O prédio da ministra Cármen Lúcia em Belo Horizonte foi atacado com tinta vermelha – (O Sul – 06/04/2018)

    http://www.osul.com.br/o-predio-da-ministra-carmen-lucia-em-belo-horizonte-foi-atacado-com-tinta-vermelha

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...