Governo de Santa Catarina inclui ‘Identidade de Gênero’ em currículo de educação para crianças e adolescentes

 


O Governo do Estado de Santa Catarina, atualmente sob comando do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), homologou no documento final do Currículo Base da Educação Infantil e do Ensino Fundamental do Território Catarinense,  o item “Identidade de Gênero”.

De acordo com o documento, entre as habilidades trabalhadas, está “selecionar argumentos que evidenciem as múltiplas dimensões da sexualidade humana (biológica, sociocultural, afetiva e ética)”.

Mecanismos reprodutivos e sexualidade serão objetos de estudos de alunos do 8º ano do ensino fundamental (entre 13 e 14 anos). Eles verão, por exemplo, a maturação sexual do adolescente, ciclo menstrual, fecundação, métodos contraceptivos, etapas da gravidez, tipos de parto, reprodução e sexualidade – aspectos psicológicos, emoções, sentimentos (amor, amizade, confiança, autoestima, desejo, prazer e respeito), além da identidade de gênero.

O documento final do Currículo Base na última quarta-feira, 17, ao Conselho Estadual de Educação. De acordo com o Governo de Santa Catarina, o novo currículo foi escrito pela Secretaria de Estado de Educação (SED), União dos Dirigentes Municipais de Santa Catarina (Undime), Conselho Estadual de Educação (CEE), União Nacional de Conselhos Municipais de Educação (UNCME) e a Federação Catarinense de Municípios (Fecam).

O documento é norteado pela Base Nacional Comum Curricular do MEC. A versão catarinense aprovada pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) no dia 17 de junho.

“Com 450 páginas o currículo reúne as novas diretrizes e especificidades do ensino para o Estado, após cinco anos da última atualização. Ele engloba as dimensões de Educação no Campo, Ambiental, Indígena, Quilombola, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos. Nas novas diretrizes, todas essas dimensões são articuladas no percurso formativo, da educação infantil até as séries finais do Ensino Fundamental”, informa o governo.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

25 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Bom, esse assunto é motivo de muita briga e polêmica entre os que apoiam isso versus conservadores e elementos ligados a igreja. De qualquer forma, é bom vocês entrarem em algum acordo de forma civilizada, pois até o Papa Francisco já está sendo mais flexível em relação a alguns assuntos antes indiscutíveis. 😉 KKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • COLOCA A MENSAGEM REGINA DUARTE PEDINDO O POVO APOIAR O PROCESSO CONTRA A GROUBO!
    SUBORNO!

    ¨¨¨¨¨¨
    APOIAMOS REGINA DUARTE!

  • É aquela coisa, você não pode ser contra tudo. Como toda mudança negativa que entra no mesmo barco do progresso.

  • A Secretaria de Estado da Educação informa que o Currículo Base do Território Catarinense menciona uma única vez o termo “identidade de gênero” e o faz na Unidade Temática Vida e Evolução do componente curricular Ciências da Natureza no 8º ano.
    De acordo com a BNCC, diretriz nacional produzida no âmbito federal, pretende-se que, ao terminarem o Ensino Fundamental, os alunos estejam aptos a compreender a organização e o funcionamento do corpo humano, assim como a interpretar as modificações físicas e emocionais que acompanham a adolescência e a reconhecer o impacto que elas podem ter na autoestima e na segurança de seu próprio corpo.
    É no conjunto destas compreensões que a questão é tratada pelo Currículo do Estado de Santa Catarina, ou seja, no estrito respeito ao conhecimento necessário para o cuidado de si e do outro, conhecimentos necessários aos estudantes catarinenses.
    A menção ao termo não se refere a questão ideológica.
    A notícia contém, ainda, outro equívoco. A versão final aprovada do do currículo foi enviada ao Conselho Estadual de Educação em 17 de julho de 2019, e não na última quarta-feira.

  • Maria
    27 de agosto de 2019 às 18:38
    Bom, esse assunto é motivo de muita briga e polêmica entre os que apoiam isso versus conservadores e elementos ligados a igreja. De qualquer forma, é bom vocês entrarem em algum acordo de forma civilizada, pois até o Papa Francisco já está sendo mais flexível em relação a alguns assuntos antes indiscutíveis. KKKKKKKKKKKKKK!

    O PAPA FRANCISCO É COMUNISTA,LIGADO A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO.. O LIXO QUE FOI INVENTADO AQUI POR PADRES COMUNISTAS LIGADOS A GUERRILHA COMUNISTA.

  • Ao longo da história os LGBTs foram massacrados pela igreja e pelo Estado e em alguns países ainda tens-se pena de morte para quem for acusado de ser homossexual, muito boa a atitude desse Estado, que mais Estados tenham a consciência de levar o conhecimento e educação sexual às escolas.

  • Parabéns ao estado de Santa Catarina, por educar e ensinar que todos devem ser respeitados e orientar bem suas crianças. O povo brasileiro é muito hipócrita e atrasado, nem preciso dizer porque.
    Não é atoa que SC é o estado que sempre está a frente dos demais em quase todos os aspectos. Em breve me mudando para criar meus filhos em SC.

  • @roberto duarte silva – Falou e disse. Esse governador de SC é um traidor do PSL e dos eleitores do presidente Bolsonaro. Deve ser deixado de escanteio nesse mandato, e para o próximo pleito o partido deve apresentar outro nome para concorrer ao governo do estado. Decepção!

  • fetichismo sexual, nova matéria curricular, vocês pais, ou aceitam mandarem seus filhos pra escolas, ou responderão criminalmente

  • Será que terei que me arrepender de ter votado em um governador que tinha idéias que respeitavam os valores familiares, moral e cristãos e agora está mudando…não esqueça que sempre tem outras eleições e o país não tolera mais políticos de duas caras.
    Essa coisa de “Ideologia de Gênero” é a porta de entrada para difundir ideias LGBTS para crianças.
    Escola é para ensinar, informar e prepará-las para o futuro, não para difundir idéias distorcidas de uma minoria que querem uma “regra especial”… A constituição nos garante que somos todos iguais.

  • O Papa Francisco não é Deus. Deus não muda porque não é volúvel nem oportunista como o ser humano. E esses traíras, na realidade, são os canalhas que se aproveitaram de Bolsonaro para se eleger. E mais, para esse bando de demônios só Jesus

  • Os crentes eleitores do PSL vão ter que engolir o ensino da identidade de gênero na escola dos seus filhos se aposentando mais tarde e como pano de fundo a Amazônia em chamas.

  • Não estou defendendo ninguém e nenhuma ideologia partidária, estou buscando informações pois, como mãe de aluna que estuda na Escola Pública e do Estado, tirei um tempo e busquei na Internet o Currículo Base da Educação Infantil e do Ensino Fundamental do Território Catarinense, criado em 07 Agosto 2019. E como ela vai para o oitavo ano em 2021, com certeza fui ler para entender do que se trata. Não vi nenhuma tendência a doutrinação ou indução a questão do gênero. Observei como mãe, e como funcionária de uma instituição escolar, que os conteúdos estão dentro do normal, no que se trata de informações sobre o ser humano nessa idade de 13, 14 e 15 anos. •
    Conteúdos:

    Comparações de ciclos de vida e os tipos de reprodução.
    Sistemas Reprodutores: Masculino e Feminino.
    Adolescência, puberdade e sexualidade.
    Maturação sexual do adolescente.
    Ciclo menstrual.
    Fecundação, métodos contraceptivos, etapas da
    gravidez, tipos de parto.
    Reprodução e sexualidade – aspectos psicológicos,
    emoções, sentimentos (amor, amizade, confiança, auto-
    estima, desejo, prazer e respeito).
    Importância do pré-natal.
    A importância de exames preventivos.
    Gravidez indesejada.
    ISTs e políticas de saúde pública.
    Identidade de gênero. Ou seja: Identidade de gênero consiste no modo como o indivíduo se identifica com o seu gênero. Em suma, representa como a pessoa se reconhece: homem, mulher, ambos ou nenhum dos gêneros. Portanto, não aceitaria de forma alguma, que professores colocassem ou expusessem minha filha ou a induzissem no sentido de: ” você pode ser o que quer ser”, ” você pode experimentar, conhecer….pera ai!!! essa parte não! Educação voltada a ciência, ao conhecimento, não tem problema algum, conversar na sala sobre o tema é importante…Da mesma forma como o conteúdo traz a questão de informar sobre os ” métodos contraceptivos”, ou seja, o conteúdo não está induzindo que as meninas devam usar ” pilula, camisinha por exemplo….são informações. E isso eu acho válido, sem problema algum. Como pais, e se seus filhos como a minha estuda nas escolas do Estado, temos que ficar atentos e participar da vida de nossos filhos na escola…

  • Perderam a vergonha mesmo!!!! Deus criou Adão e Eva e não Adão e Ivo ou Evan e Adão !! Mais Jesus falou que ele iria volta quando o pecado se multiplicar e o amor de muitos se esfriaria esse seria um sinal da volta de jesus

  • Essa questão não tem nada a ver com ensino básico, fundamental ou superior! Cabe a família optar por esse tipo de educação, mudança simplesmente desnecessária! “Crianças não estão preparadas para certas loucuras dos pais” Deixem elas cresceram como crianças que são, e em paz!

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...