fbpx

Guerra cultural e o misterioso financiamento da grande mídia

jornais
 


O Terça Livre ouviu ontem (19/11) o publicitário e editor, Márcio Scansani, sobre o fenômeno contemporâneo da guerra cultural e o mistério acerca do financiamento da grande mídia ao passo que a grade de programação dos veículos não agrada os expectadores enquanto gradualmente os indicadores demonstram uma queda na audiência. Quem paga essa conta? É um mistério.

Nosso convidado tem quase 30 anos de experiência na área comercial da mídia, mais de 10 anos como editor, mais de 120 livros trabalhados, uma vasta experiência que conta com Estadão, Isto É, RBS, Gazeta Mercantil, entre outros, além estar a frente da Editora Armada, que tem sido um bastião da justiça na democracia, dando voz a uma direita recém nascida.

De posse de toda essa caminhada profissional, Márcio nos ofereceu uma luz sobre os temas da “lacração“, “juniorização“, os processos de aquisição de receita com publicidade em comparação aos custos de manutenção de um veículo de mídia, e ainda o prejuízo sócio-cultural da falta de apreço pela literatura nos dias atuais.

Para concluir, esta agradável figura nos deixou conselhos e recomendações preciosos, que valem a pena ser conferidos.

Confira a entrevista

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

5 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Resposta:

    Globalistas/Iluminatis.

    Donos de “quase tudo”, por isso esses sistemas de mídia, redes sociais prejudicam tanto os direitistas e afins.

    É a verdade, doa a quem doer.

  • Vou fazer uma observação, não sei se estou ficando maluco, mas já pensava isso há tempos também.

    Exemplo da Revista Veja.
    Antes, há uns 4/5 anos, essa revista era referência nas casas das famílias, nas compras de farmácia de final de semana, nas bancas aos domingos junto com o jornal e etc. Isso numa época em que era uma revista normal, pois depois que passou a ser exclusivamente de esquerda, com ideias totalmente focadas nessas paranóias GLOBALISTA a revista cai a cada edição, não vejo mais ninguém comprando essa publicação há muito tempo.

    Só vejo estoques em todo lugar, mas ela sempre está lá. Venda ou não, lá está ela.
    A pergunta:
    Quem PAGA por isso? Clientes/leitores não tem, quem financia isso!?

    Mistério?
    Está mais do que claro que há algo MUITO RICO POR TRÁS DE TUDO!

  • Excelente entrevista. Muito importante os conselhos finais sobre ler , se educar , procurar informações fora da grande mídia. Todavia discordo do termo “infantilização”. Na verdade o que a classe política sempre usou no Brasil foi o “emburrecimento”. Levado a extremos nos últimos 16 anos.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...