fbpx

Haddad diz que lutará contra o fascismo, ele irá desistir de sua própria candidatura?

 


O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira (23) que lutará até o último minuto para “impedir que o fascismo se instale no Brasil”, a cinco dias do segundo turno das eleições, que têm como favorito o candidato Jair Bolsonaro (PSL).

“Até sábado estou na rua lutando pelo o que eu acho que é melhor para o Brasil (…), porque o outro projeto realmente dá medo, e quem conhece o entorno do Bolsonaro fica receoso do que vai acontecer”, declarou o pupilo de Lula.

Por alguns instantes aparentava que o petista estaria abrindo mão de sua própria candidatura, afinal, o fascismo está no projeto de governo do Partido dos Trabalhadores. Com 50 tons de bolivarianismo, grande parte dele elaborado pelo presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, inclui, por exemplo, censura da mídia e controle social. Seus militantes, vestidos de vermelho pelas ruas, estão defecando em igrejas, pichando muros e agredindo brutalmente conservadores. Isso é fascismo.

“Nós vamos lutar pela democracia até o fim”, acrescentou o candidato do PT, que pega emprestado trechos de discursos de Fidel Castro, que se dizia democrata durante a revolução cubana.

Sobre o Colunista

Fernanda Salles

Fernanda Salles

Jornalista/Repórter

3 Comentários

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...