Índia Kaynã Munduruku denuncia FUNAI e ONGs indigenistas. Entenda!



Depoimentos esclarecedores no Amazonas

Depoimentos obtidos por dois jornalistas de Catolicismo, Paulo Henrique Chaves e e Nelson Ramos Barretto, e publicados na edição Nº 825, setembro/2019.

Por: Agência Boa Imprensa

Manaus capital do Estado do Amazonas, cidade moderna com dois milhões de habitantes — está cercada de águas e florestas quase intactas. Eis aí, já no início da nossa viagem, uma constatação visual oposta à falácia de que estamos queimando a Amazônia. E o fato concreto é que 97% do Estado do Amazonas encontra-se preservado!

Andando pelas ruas, encontramos brasileiros indígenas dispersos no meio da população. No dia 19 de junho, na Assembleia Legislativa, participamos de um Seminário das populações mestiças. Após nossa palestra, cujo tema foi “Princesa Isabel, a Redentora — mito ou realidade”, fomos procurados pela simpática índia Kaynä Munduruku, 41 anos, conhecida jornalista e radialista. Ela ficara encantada com a história da Princesa Isabel, que infelizmente não é contada nos livros escolares.

Depois de gravarmos uma entrevista para a sua rádio Tribos do Norte, conversamos longamente e nos impressionamos com o relato da sua vida pessoal, um verdadeiro depoimento para a história. Ela descende de várias etnias, como Munduruku, Sateré-Mawé e Mura. Seus antepassados são originários do Pará, onde o povo está enraizado e mantendo muito viva a sua língua.

Como qualquer amazonense do interior, Kaynä não calcula as distâncias por quilômetros, mas por dias de viagem em barco; e a essa informação um tanto imprecisa acrescenta-se uma particularidade pitoresca: rio acima ou rio abaixo. Até os 14 anos, quando faleceu seu pai, ela habitava em plena selva, em local isolado num dos braços do Rio Madeira, município de Manicoré. A que distância? Três dias de barco até Manaus… rio abaixo.

Perseguição e denúncia

Kaynä possui uma personalidade e capacidade de expressão fora do comum, a julgar pelo tempo de contato que tem com a cidade. Foi muito perseguida pela estrutura indigenista petista, mas não abre mão de sua independência. Gravou um vídeo num linguajar cauteloso e ponderado, mas também corajoso, em que faz uma denúncia contra a FUNAI e as ONGs indigenistas.

Ela mostra que a situação mudou para os povos indígenas. Eles estão despertando, querendo mais liberdade, e não aceitam que antropólogos e indigenistas “imponham a nossa identidade”, pois “sabemos quem somos”. Também as ONGs se meteram muito na questão indígena, fazendo com que milionários donos de ONGs, e os indígenas que se aliaram a eles, estejam muito bem de vida, enquanto os povos indígenas que realmente precisam estão na mais extrema miséria. Não têm nada, e muitos vivem como mendigos na rua, viciados em álcool.

Kaynä conclui: “O que precisa ser feito para os povos indígenas é dar-lhes oportunidade de trabalhar. Quem vai conseguir comprar suas coisas com uma bolsa família, ter uma vida boa e saudável? Não consegue. O índio precisa produzir. Não é preguiçoso, é capaz e tem uma inteligência grande. Sabe plantar, sabe produzir, só precisa de oportunidade. Com seu trabalho, os indígenas darão uma grande contribuição para a economia do Brasil”.

A fala da Kaynä contrasta com as imposições dos indigenistas e da nova eco-teologia, que propagandeiam o isolamento e a vida primitiva na pobreza. No vídeo de Kaynä* aparece o cacique Miguel de Santarém protestando contra o procurador Luís de Camões Boaventura, do Ministério Público Federal, por ter declarado abertamente que os índios devem viver na aldeia, na pobreza e na subsistência.

*Sínodo da Amazônia: Os índios querem mesmo ficar na selva? Veja o que eles dizem:

 

Link original da matéria

Sobre o Colunista

Redação TL

Redação TL

13 Comentários

Clique aqui para comentar

  • A Amazônia tem 5,5 MILHÕES de Km²! Como é que vocês podem chegar à “conclusão” de que “97% do Estado do Amazonas encontra-se preservado” apenas com uma “constatação visual”? 😐 KKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • O discursos de proteção da Amazônia e dos povos indígenas, não visam proteger a Amazônia e esses povos, mas acabar com qualquer atividade econômica, são discursos anti-capitalistas, qual é proposta desses ecos para a proteção da Amazônia? Criar reservas! Isso aumenta a burocracia e expulsa investimentos que poderiam tirar essa população da pobreza.

  • VERDADE. Há que rever todas as concessões dadas a estas ONGS. Há que se fazer uma faxina geral, por conta dos desrespeitos e roubos ao tesouro Nacional.

  • 97% preservado não é exagero, isso é má fé no jornalismo e falta de ética profissional. Colonizadores e opressores convencendo oportunistas a reproduzir o seu discurso é um truque velho que a gente já conhece de sempre. Quem essa mulher representa? Cadê a comunidade dela respaldando essa fala ridícula e mal informada que ela fez? Tem dezenas de paginas indigenas legitimas na internet, mas voces escolhem dar atenção pra uma perdida que repete um discurso mentiroso em vez de ouvir de verdade o que os povos indigenas tao dizendo ja faz muito tempo e voces ignoram porque nao agrada. tenham mais respeito por favor.

  • Terça livre né… Rssss
    Vcs tem o rabo mais preso que se possa imaginar.
    É um índia urbana e deturbada pela ganância dos brancos. Preservar o modo de vida indígena é justamente impedir que eles se transformem em nós…
    Se o índio começar a destruir a floresta pra plantar soja, acabou…

    E vc sentirá o medo que o índio sente de ficar sem sua casa.

  • Com pobreza e atraso as pessoas, indígenas ou não, irão desmatar, matar animais silvestres indiscriminadamente, traficar minério e tudo mais de ruim, isso de índio ficam recluso que nem zoológico e não exploraos nossas riquezas com a pretensão de preservar é mentira, não passa de idéia de patife, pobreza e atraso só empurram mais pra baixo. Alguns canalhas aqui, viúvas do PT, latem não porque gostam do índio ou da Amazônia, mas porque não gostam do Bolsonaro. Em tempo recente em que o PT e demais esquerda destruía nosso país, entregava nossas riquezas aos ditadores e bandidos amigos de dentro e fora do país, esses canalhas não latiam mas lambiam a bunda e cheiravam o peido dos bandidos que nos jogaram na lama.

  • 🙉🙉⚖⚖
    BRASIL ESCRAVO DE SUA PRÓPRIA HISTÓRIA…25/09/2019.

    PRETOS &
    ÍNDIOS

    Sem Direitos Humanos…
    Sem Direitos Constitucional…
    63% da População brasileira de Escravos Sociais…

    Ministério dos Direitos Humanos …
    Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial…
    9 meses de Martírio e massacre social das comunidades Indígenas Quilombolas e Populações tradicionais do Brasil,

    escravatura Africana é História Europeia e não história Africana
    Por: Professor Paulo Quilombola Sociólogo

    A escravatura foi um projecto de domínio Europeu, a escravatura foi o principal patriarca da civilização Europeia, e a ferramenta que garantiu a hegemonia Ocidental no mundo, o desenvolvimento e ascensão da Europa esta estritamente ligado a escravatura e ao colonialismo,logo a escravatura Africana é história Europeia e não Africana,Africanos foram vitimas da Europa dos planos megalómanos da Europa, e por a escravatura ser história Europeia imagino o dia que eles escreverem enciclopédias sem censura,a história da escravatura e como ela influenciou o desenvolvimento da Europa nos mais diversos aspectos, isso sim seria história para os Europeus ensinarem nas academias,quero um dia ver a Europa a explicar os benefícios da mão de obra barata,da escravatura, da força e da sabedoria negra usada por Europeus para construir a Europa, o extermínio de compulsivo de Africanos,aborígenes,Índios,maias,Astecas,para se apossarem de suas terras,o roubo indiscriminado de legados culturais, e ocupação de terras,a Provincialização do Mundo,o capitalismo,a história do racismo e suas fundações de classisimo e casticização, e depois a democracia, o neoliberalismo,estes todos “ismos” são todas continuidade de um vasto legado proveniente de projecto Europeu que começou na escravatura e no colonialismo, a escravatura nos dias de hoje pode ser entendida como a “Golden Age” (era dourada) da Europa pois permitiu a sua industrialização, controlo de terras ricas, a Europa é um projecto politico que foi financiado pela escravidão Africana, Holocausto Africano,pilhagem,genocídios na América Latina,pela exploração e pela exclusão sistemática e empobrecimento em massa de Estados atirados nas periferias do mundo que eles ironicamente denominaram 3º mundo.

    Brasília DF 25 Setembro de 2019

    MOVIMENTOS AFROINDIGENA NACIONAL

  • A presença dos esquerdistas tapados tem aumentado nas redes sociais! Sinal que a boquinha acabou, e saíram à luta virtual, porque, na real, não querem conta com o trabalho!
    😂😂😂😂😂😂

  • não consigo compreender como essas pessoas podem ser tão burra ou tão somente oportunista, que não enxergam verdadeira intenção dessas ONGs. que só estão interessadas nas nossas riquezas, quero fazer uma pergunta: porque essas ongs que são muitas não trabalhar no samiarido nordestino? lá também tem povos indígenas, mais não tem as riquezas que eles querem, esse povo burro e interesseiro se deixa manipular pela reportagem da famigerada rede globo,que está tão somente com medo de perder a sua concessão em 2022 por isso vive querendo desacreditar o presidente, já notaram que a apresentadora Renata Vasconcellos dá um sorriso discreto quando dá uma notícia tendenciosa contra o governo,assim também faz famigerado William Bonner mais não se preocupem eles não vão conseguir por que a maioria da população inteligente está atenta.

  • A Africa e índia são exemplos cabais da exploração vinda das nações ditas desenvolvidas, acha que e diferente com Brasil, e de singela inocência, ou de intenção obscura.

Blog Authors

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...