Informações do Pavão parecem concordar com carta de Lula a Jean: “Consolidar forte enfrentamento político com o governo”



“Pois é Glenn, agora vamos dançar a sua música, já que vale invasão e informação anônima, saia dessa agora”

O Pavão Misterioso voltou a voar neste final de semana, no Twitter. Na sexta-feira, 5, o perfil divulgou prints de possíveis conversas entre o fundador do The Intercept, o ativista Glenn Greenwald, seu marido, David Miranda, o editor executivo do Intercept, Leandro Demori e o ex-deputado federal, Jean Wyllys.
“Pois é Glenn, agora vamos dançar a sua música, já que vale invasão e informação anônima, saia dessa agora. Te pegamos, aliás, vc e seus capachos, tal qual vc é de Pierre, avançaram na escala humana de podridão. A nova corja, né Demori?”, dizia um dos tuítes do Pavão, seguido de uma série de outros prints que seriam mensagens trocadas via Telegram entre Greenwald, Miranda, Demori e Wyllys.
Ainda no sábado, o pavão afirmou que no domingo, dia 7, as publicações continuariam, com mais de 200 prints. E assim foi feito. Apesar das novas conversas, não foi revelado muito mais do que já havia sido mostrado anteriormente. A trajetória de publicações do Pavão Misterioso teve início no dia 16 de junho.

Depois das postagens de domingo, o perfil anunciou o fim dos trabalhos e saiu do ar.

Em suma, todas as diversas conversas divulgadas pelo Pavão, apontam, principalmente, para uma suposta venda do mandato de Jean Wyllys, para David Miranda (PSOL), marido de Glenn Greenwald.

Em um dos prints do domingo, Jean questiona David Miranda do motivo de Glenn não falar com ele: “Por quê GG não fala comigo então? Pra renunciar era todo dia”. “Ele não está confiando em aplicativos e tem seus motivos”, responde David.
Genn Greenwald seria responsável pela compra do mandato de Jean Wyllys, pelo valor de R$ 700 mil dólares. Além disso, Jean receberia uma mesada em dólares, enviada do Brasil, para se manter no exterior.

Em outro print que chama atenção, Leandro Demori revela que Glenn está ciente que pode ir para a cadeia, possivelmente após o vazamento criminoso de mensagens atribuídas ao ministro Sergio Moro e membros da Operação Lava Jato. Em outra mensagem, afirma-se que Lula será solto em agosto.

Também afirma-se, em uma das mensagens, que uma jornalista da grande imprensa, cujo nome custa a ser compreendido, mas que pode ser “Amanda” tem ajudado nos trabalhos do grupo.

O grupo ainda estaria “preparando um áudio” para atribuir uma suposta fala a Deltan Dallagnol e a uma juíza, que seria um tiro certeiro à Operação Lava Jato e o Sergio Moro. O áudio seria forjado e estaria sendo produzido por um indivíduo de apelido “Careca”, pelo espião russo Edward Snowden (amigo pessoal de Gleen) e por Pierre, dono do site e-Bay.

Relembrando: Ainda na primeira aparição do Pavão, foi revelada uma possível ligação de Greenwald com o multimilionário globalista Pierre Omidyar (que doou 250 milhões de dólares para a criação do The intercept. Glenn também poderia estar envolvido com espionagem internacional.
Durante cinco anos Glenn ainda teria defendido (de graça) o líder neonazista Matthew Hale, reconhecido “Pontífice Máximo” de uma igreja de supremacia branca que chegou a realizar atentados terroristas contra negros e imigrantes.

Outra revelação: um agente da Polícia Federal estaria supostamente passando informações ao grupo, tendo informado, inclusive, que Glenn Greenwald poderia sofrer busca e apreensão.

Sem dúvidas, toda a história é muito estranha e faz sentido. Mas não é possível afirmar que o conteúdo divulgado pelo Pavão Misterioso é verdadeiro, sem antes o caso ser investigado pela Polícia Federal.

As conversas divulgadas são aparentes de um caso de espionagem internacional. Trata-se o tempo inteiro da cobrança de Jean Wyllys a David Miranda e Glenn, além de uma possível conspiração contra o procurador Dallagnol e Sergio Moro para soltar Lula e derrubar o atual governo.

Carta

As informações do Pavão também parecem estar de acordo com uma carta em que Lula diz a Jean Wyllys ser necessário “consolidar um forte enfrentamento político com o governo”, além de organizar politicamente o povo. A carta foi publicada na íntegra no twitter de Jean Wyllys, em 17 de janeiro de 2019.

As perguntas que ficam aos brasileiros:

  • Como Jean Wyllys se mantém no exterior?
  • Qual a ligação de Glenn Greenwald com os atentados de hackers às autoridades brasileiras?
  • A grande mídia está envolvida nesta história, já que veículos midiáticos estão incorporando as narrativas e usando informações que nem ao menos foram esclarecidas pela PF, como fez recentemente a VEJA, afirmando que Moro cometeu, sim, irregularidades?
  • Se nenhum dos fatos expostos até o momento têm comprovação e perícia da PF, por quê o The Intercept tem mais credibilidade que o Pavão Misterioso?

Vamos continuar aguardando respostas para estas e muitas outras perguntas.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Considerando-se a abrangência das condenações em vista da gravidade dos atos investigados e o desfecho das operações mais recentes, do ponto de vista da sociedade trabalhadora e honesta (o povo, de onde o poder emana), complete a lacuna:

    Mensalão: Um fracaço;
    Petrolão: Um fracaço;
    BNDES: Um fracaço;
    A facada: Um fracaço;
    The Intercept: ___________

  • Certamente os esquerdistas vão desdenhar de tudo o que o pavão jogou no ar alegando completa falta de credibilidade da fonte anônima, porém essa mesma esquerda quer que acreditemos que o sr. Glenn (verdevaldo) tem alguma credibilidade alegando que o sujeito é ganhador de um prêmio de jornalismo, esquecendo do único detalhe que coloca tanto o pavão quanto glenn no mesmo patamar, ou seja a falta de apuração (ou possibilidade de) das informações. Enfim, é nesse entroncamento que percebemos claramente a diferença entre esquerda e direita, enquanto a direita procura e se apega à VERDADE, a esquerda se apega a narrativas e tenta torna-la verdade, conforme seus interesses.

  • Boa tarde, Bruna!

    Só a título de colaboração: o jornalista que tem um filho portador de necessidades especiais é o Diogo Mainard, não o Mario Sabino.

    De resto, valeu pela reportagem.

  • Olá. Correção. Não é o Sabino que tem filho com problemas e sim, o Diogo. Foi um erro médico, infelizmente

  • A esquerda está histérica com a perda das “T.e-T.a.s.” de onde jorrava dinheiro público revertido em benefícios para esses V.A.G.A.B.U.N.D.O.S. / C.O.M.U.N.I.S.T.A.S. / “C.A.V.I.A.R.” …

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...