MundoNotícias

Jornalistas agredidos na Venezuela

Consequências da ditadura atingem a imprensa

A ditadura de Nicolás Maduro continua castigando a Venezuela e restringindo cada vez mais a liberdade da população. Dados divulgados pelo sindicato de imprensa do país apontam que: jornalistas e veículos de comunicação do país sofreram 113 agressões durante o primeiro semestre de 2018. A ditadura também promoveu o fechamento de jornais, sanções governamentais e bloqueios a sites na internet.

“De janeiro a junho de 2018 foram contabilizados 113 atos de agressão”, dos quais 26 são “fechamentos, sanções e bloqueios” contra veículos de mídia e 87, ataques a jornalistas, destacou o Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa (SNTP) em um relatório.

O SNTP destaca, ainda, que 24 jornalistas foram detidos pela guarda bolivariana de Maduro.

Segundo o documento, oito jornais tiveram que fechar este ano por falta de papel, monopolizado no país por uma corporação estatal; e vários portais de notícias sofreram bloqueios da estatal CANTV, o principal provedor de telefonia e internet do país.

Tudo isso configura, segundo o SNTP, uma situação de “censura imposta pelo governo nacional” e “fechamento de veículos por medidas diretas ou indiretas que buscam frear e controlar a crítica e a auditoria social”.

Fonte: Agence France Presse

Ver mais

Fernanda Salles

Jornalista/Repórter

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close