Magistrados apoiam Lewandowski e repudiam advogado que criticou STF

ricardo lewandowski 3


A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Magistrados do Distrito Federal (Amagis-DF), Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM) e Associação dos Juízes Federais (Ajufe) divulgaram nota ontem (5) em apoio ao ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), e em repúdio a um advogado de 39 anos que fez críticas à Suprema Corte.

Lewandowski deu ordem de prisão ao advogado depois de ouvir dele que o Supremo era uma vergonha. A discussão ocorreu durante um voo de São Paulo para Brasília. Incomodado, o ministro pergunta ao passageiro: “Vem cá, você quer ser preso?”. Em seguida, Lewandowski manda chamar a Polícia Federal. O advogado retruca: “Eu não posso me expressar? Chama a Polícia Federal, então”.

Um agente da PF chegou a ir até a aeronave, mas o advogado se comprometeu a manter a calma e o voo seguiu seu curso. Após desembarcar em Brasília, entretanto, o advogado foi abordado perto da esteira de bagagens e levado para prestar depoimento.

No comunicado, as cinco entidades definem o que para elas representa liberdade de expressão: “A liberdade de expressão é um direito fundamental, propicia o debate democrático e o exercício da crítica, mas não autoriza a prática de agressões pessoais, a invasão da privacidade ou o desrespeito às instituições e a perturbação de voos. Trata-se de reconhecer as mais comezinhas regras de civilidade e convivência, que vêm em socorro de qualquer cidadão, como também da coletividade.

O texto defende o STF como Corte Suprema. “O Supremo Tribunal Federal é a instituição garantidora das liberdades democráticas e do Estado de Direito, e só aos irresponsáveis aproveita ou interessa a deterioração de sua autoridade e a sua deslegitimação social.

Por fim, as entidades afirmam que repudiam qualquer atitude de agressão ou violência. “A ninguém é dado o direito de perturbar a tranquilidade de passageiros em voos comerciais, tendo as autoridades constituídas não só o direito como o dever do exercício do poder de polícia para coibir a prática de comportamentos impróprios, que possam desaguar em desinteligências ou perturbações aptas a comprometer a própria condução da aeronave.

Fonte: EBC

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

17 Comentários

Clique aqui para comentar

  • STF INSTITUIÇÃO GARANTIDORA DA LIBERDADE E DA DEMOCRACIA DO PRÓPRIO STF
    O RESTO É RESTO E OS CARAS POE NO GULAG KKKKK REPUBLICA DAS BANANAS KKKKKKK

  • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK …
    O tal ministro do serviço troca de favores __stf atual__ (ainda com ranço petista, governam num estado que exige regras da correção àqueles que agridem a sigla p/t, o tal p.t.osco.
    Suas palavras não são humildes, são trocistas, por isso zombam ainda.
    XÔ. FORA!

  • O futuro governo Presidente Bolsonaro/ Mourão deve separar o departamento de Diplomatas e Ministros, pela ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA, ali prestar concursos.

    Acabar com a indicação de partidos.
    ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA JÁ.

  • “O Supremo Tribunal Federal é a instituição garantidora das liberdades democráticas e do Estado de Direito, e só aos irresponsáveis aproveita ou interessa a deterioração de sua autoridade e a sua deslegitimação social.”
    Risos.

  • E a OAB? Não vai se pronunciar em defesa da Prerrogativa dos advogados e dos Direitos Civis e Constitucionais da Livre manifestação?

  • Tem que acabar com o sistema de indicação pelo Presidente. Este tem pleno domínio do seu indicado.
    E mais o cargo não pode ser vitalicio, senão aposentam com o salário lá nas nuvens. Todos sabem perfeitamente que um indicado por determinado presente, o defendeu até não poder mais. Tem que ser escolha pelos membros do Ministério Público, pois tem que ter uma instituição acima deles. Dominarem o Brasil, nunca.

  • Nossa, mas que vontade de xingar esse STF, em especial esse f* da pu* do Lewandowski! Obrigado ao inventor dos 3 Poderes. Obrigado ao Deodoro, pelo fim da monarquia brasileira.

  • Na época dos militares diziam que era ditadura quando os esquerdinhas promoviam ataques fisicos e verbais as instituições públicas e privadas.

    Quando sindicalistas promoviam badernas com depredação de patrimônio privado e público e por tal eram questionados e até detidos, ESSES MESMOS CANALHAS entravam em frenesi histério para gritar que “isso é uma DITADURA” e “ABAIXO a DITADURA”.

    Agora que estes SAFADOS estão COVARDEMENTE no PODER, eles FAZEM MUITO PIOR do que os MILITARES e aí dizem que “AGORA é DEMOCRACIA”

    Na época dos GOVERNOS MILITARES, prender baderneiros que DEPREDAVAM PATRIMÔNIO público e privado, era chamado de DITADURA.

    Na época do s governos militares, quando vagabundos a soldo da URSS, CUBA e CHINA iam para porta dos quartéis incentivar que soldados atacassem seus superiores e xingavam as FA’s e iam presos …AÍ gritavam que era ditadura. Agora esses ladrões dos cofres estatais (ditos públicos) mandam prender um cidadão EXCLUSIVAMENTE por ter MANIFESTADO SUA OPINIÃO e agora chamam isso de “DEMOCRACIA” …PQP!!!!! …a canalhice, o descaramento, a falta de vergonha na cara, a covardia e o banditismo mais covarde não encontram limites.

  • Lógico que apoiam. São todos bandidos, desfalcando o país, todos com rabo preso. Como não vão apoiar? Quem não apóia é a nação brasileira, que na verdade é o que interessa. E dia 1, finalmente, está chegando!!

  • Na verdade eu estou cansado deste país! a vitória do Mito alegrou-me um pouco, mas ainda assim me sinto extremamente cansado!

  • Então o erro do advogado não foi apenas ter criticado o STF mas tê-lo feito na presença e diretamente a um dos ministros do STF e principalmente dentro do avião em voo comercial.

    Agora entendi!

    Então o Sr. Ministro Lewandowski chamou um funcionário da PF só por causa de uma crítica invasiva e fora de hora? Qual a justificativa para o abuso de autoridade do Sr. Ministro no qual a Associação de Magistrados sequer comentou? Prender alguém por fazer uma crítica dentro do avião é algum tipo novo de crime que justifique dar ‘ordem de prisão’?

    O pior de tudo não foi só uma imensidão de pessoas no avião não terem apoiado o cidadão brasileiro que fez uma crítica justa. O pior de tudo também não foi o Sr. Ministro do STF não ter tido compaixão e ‘jogo de cintura’ para responder apropriadamente a uma crítica ao seu trabalho e de seus colegas do STF, não foi o exagero da reação abusiva de poder do Sr. Ministro, o pior de tudo é o CORPORATIVISMO implícito em todas notas de apoio que as milhares de associações de magistrados diferentes irão anunciar em ‘nome do respeito a autoridade’!

    Isso em si já é um desvio grave de conduta, pois a autoridade é o cargo e não a pessoa ocupando-o, e o Sr. Ministro fora do trabalho dele goza de tantos privilégios, como tantos outros funcionários públicos de carreira que se esquecem que estão lá para SERVIR o povo brasileiro!

    É por essas e outras que a OAB realmente é inútil.. me parece certo que seria melhor para o Brasil acabar com esse ‘Ordem’ que mais parece um sindicato de corporativistas unidos em prol de si mesmos.

  • Brasil, terra onde vilipendiar à Cristo e a fé cristã é lindo, maravilhoso e até incentivado, mas falar meia duzia de verdades na cara de um ministrinho safado, arrogante e canalha é um pecado mortal, um crime gravíssimo, digno de prisão imediata. A mentalidade revolucionária é uma coisa tão diabólica, que eu acho que até o próprio diabo às vezes tem medo.

Blog Authors

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...