Maia defende que Hans River seja punido por falso testemunho, difamação e sexismo



O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou punição ao ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, Hans River do Nascimento.

Por meio das redes sociais, Rodrigo Maia afirmou que River deve ser punido no rigor da lei por ter dado falso testemunho à comissão parlamentar de inquérito e feito “declarações de cunho sexista”.

“Dar falso testemunho numa comissão do Congresso é crime. Atacar a imprensa com acusações falsas de caráter sexual é baixaria com características de difamação. Falso testemunho, difamação e sexismo têm de ser punidos no rigor da lei”, disse Maia.

Hans disse à CPMI das Fake News que a jornalista da Folha de São Paulo, Patrícia Campos Melo, teria se insinuado para ele em troca de informações para escrever matéria em que acusava a empresa de disparar mensagens via Whatsapp durante a campanha de Jair Bolsonaro à presidência. Relembre.

Em nota, a Folha disse que “repudia as mentiras e os insultos direcionados à jornalista Patrícia Campos Mello na chamada CPMI das Fake News” e que “o jornal está publicando documentos que mais uma vez comprovaram a correção das reportagens sobre o uso ilegal de redes sociais na campanha de 2018”

Ainda de acordo com a nota, “causam estupefação, ainda, o Congresso Nacional servir de palco ao baixo nível às insinuações ultrajantes do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)”.

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...