Maia quer usar “intervenção no RJ” como motivo para não votar Reforma da Previdência



O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (Democratas) quer se apoiar na intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro para atrasar o processo de votação da Reforma da Previdência.

Na prática, o governo de Michel Temer (PMDB) ganha mais tempo para conseguir os votos que faltam para a aprovação da matéria ou então sequer vota o assunto neste ano.

De acordo com Maia, se o decreto foi publicado ainda nesta sexta-feira, dia 17, será votado na Câmara na segunda ou terça-feira, e no Senado na quarta-feira próxima.

Com isso, o decreto veda a tramitação constitucional e a Reforma não entra em pauta até o dia 20 como previsto anteriormente pelo presidente da Câmara.

Maia também declarou que a intervenção dificulta a discussão da reforma da Previdência para o mês de março. Na prática, portanto, pode acontecer da Reforma não ser apreciada em 2018. Os parlamentares não querem tratar do tema no momento em que esquentar o processo eleitoral. Temem a forma como isso passe a pesar em seus redutos.

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...