Notícias

Mantendo o foco

Por Leandro Ruschel

A postura de alguns no caso Temer me faz lembrar do filme “The Butterfly Effect”, onde Evan Treborn, o personagem principal, desenvolve a capacidade de voltar no tempo para tentar mudar os desdobramentos desastrosos da sua vida.

A cada tentativa de voltar no tempo e “corrigir” um erro cometido por alguém, ele acabava gerando novos desdobramentos ainda piores.

Manter Temer no poder como uma manobra para impedir a volta de Lula pode se encaixar exatamente nessa tentativa de fazer o certo por vias tortas e acabar gerando um resultado ainda pior.

A Lava Jato é um movimento gerado a partir de alguns elementos saudáveis dentro do sistema, ganhando força a partir do momento que a sociedade ficou indignada com o estelionato eleitoral do PT e a maior crise econômica da história, criada não só pela corrupção, mas também pela desastrosa gestão petista.

A operação, desencadeada por Sérgio Moro e por sua equipe, atingiu o coração do podre sistema político brasileiro. Ao chegar em Brasília, passou a ser manipulada ou freada, de acordo com os interesses da atual quadrilha no poder. Delcídio Amaral em sua delação contou que o objetivo inicial do PT era usar a Lava Jato para enfraquecer o Congresso. Acharam que poderiam controlar a operação e se deram mal.

Quando a Lava Jato atingiu em cheio a quadrilha petista, o sistema inteiro se levantou para protegê-la. Não esqueçamos que o Sr. Janot não queria investigar Dilma Rousseff de maneira alguma. Que o STF rasgou a Constituição para tentar barrar o Impeachment. O processo inteiro foi um parto, o PMDB abandonando o PT apenas quando percebeu que não havia mais como frear o processo.

A partir daí, o PMDB, como principal força política do país, decidiu junto com os seus aliados que a solução para a crise seria dada por dois caminhos: por um lado seriam buscadas reformas para evitar o colapso das contas públicas e por outro seria costurado um acordão que acabasse com a Lava Jato, algo que fosse feito aos poucos e que não gerasse revolta na sociedade.

A delação de Sérgio Machado é claríssima nesse sentido.

Seguiram as ações de remanejar delegados, cortar verbas da PF, mudança das dez medidas conta a corrupção, tentativa de aprovação da Lei de Abuso de Autoridade e soltura de presos como José Dirceu pelo STF.

No meio do caminho, o Congresso aprovou o desastre da nova Lei de Migração, que está sobre a mesa de Temer para ser sancionada.

De fato, a equipe econômica fez um bom trabalho, corte de gastos, encaminhamento de reformas essenciais, realismo de projeções e gestão técnica. A Petrobrás e outras estatais como o BNDES passaram a contar com uma gestão profissional e menos política.

A economia começou a dar sinais de recuperação, é verdade, mas o maior problema continua a ser a manutenção do poder na mão de uma verdadeira quadrilha, que não envolve apenas políticos, mas também membros dos outros poderes.

A esquerda sofre de miopia nesse momento. Por conta de Lula ser o candidato deles que conta com a maior chance de vitória, jogam todas as suas fichas no sujeito, claramente o chefe do esquema criminoso das últimas décadas.

Para Lula, a decisão é simples. Se ele tiver 10% de chance de ser eleito, vale a pena tentar, mesmo que para isso seja necessário criar uma guerra civil. A alternativa é ir preso, o que invariavelmente acontecerá se os processos na justiça seguirem o seu curso.

O objetivo seria alcançar a presidência através do voto, contando com a base de 25% da população que vota nele, por ignorância ou por falta de caráter, para de alguma forma ganhar a eleição, seja através da fraude utilizando as máquinas venezuelanas da Smartmatic ou pela destruição de algum oponente através de algum golpe sujo.

Na presidência, seria o momento de Lula se vingar, rasgando a Constituição e impondo uma espécie de ditadura chavista, sonho da esquerda brasileira.

Essa possibilidade é tão assustadora que faz muitos conservadores apoiarem nesse momento a manutenção de um bandido como Temer e a sua turma que rouba o Brasil há várias décadas. Concordo que é menos nefasto para o país a simples corrupção do que a corrupção como meio para criar uma ditadura chavista, mas nesse momento há no horizonte uma possibilidade melhor, e além disso, é falsa a premissa que a manutenção de Temer impeça Lula de chegar ao poder, 2018 é logo ali.

Ele pode estar condenado até lá e ser impedido de se candidatar? Pode, mas há a possibilidade que ele possa sim ser candidato.

Mesmo que ganhe, o que acho possível mas improvável, há o impedimento de sentar na cadeira presidencial por ser réu. Se o STF ajudá-lo nesse ponto, com esse grau de rejeição, o seu intento de virar mais um Chávez seria bastante dificultado, pois não teria o apoio suficiente para tal, especialmente sem contar com as Forças Armadas. Esse seria um cenário de crise política forte e continuada, com reflexos desastrosos na economia, mas com baixo potencial de geração de uma ditadura.

Por mais que a PGR e o STF não sejam confiáveis, que a imprensa não seja confiável, a Lava Jato deu mais um passo na delação dos irmãos Batista. O acordo com eles é espúrio no sentido de aparentemente não gerar nenhuma condenação a bandidos da pior espécie, mas o que foi revelado atinge todo o espectro político, em especial os três partidos que monopolizam o poder há décadas: PMDB, PT e PSDB, apesar da ação cinematográfica ter sido mais benéfica ao PT nesse momento, já que abate dois opositores do partido e aumenta as chances de eleições diretas agora.

De qualquer forma, creio que as pessoas honestas desse país devem continuar mobilizadas para pressionar TODAS as autoridades, para que a limpeza continue, doa a quem doer. Até aqui, essa mobilização tirou o PT do poder e impediu o acordão que os políticos tanto almejam.

Dado que a delação da JBS já é um fato, e que Temer não apresenta mais condições morais e políticas para permanecer na presidência, que renuncie logo, para que a Constituição seja seguida e uma nova chapa possa ser eleita pelo Congresso, com um nome que tenha condições mínimas para impedir que o país naufrague, até que possa surgir uma nova liderança em 2018 ou alguma outra solução seja encontrada.

Não devemos manter um bandido no cargo para que outro bandido, por pior que ele seja, não possa voltar ao poder. Temos que exigir a prisão dos dois bandidos! De todos os bandidos!

Temos que continuar o trabalho de mudança culturais que envolvam a diminuição do poder estatal e da sua concentração, em benefício da livre iniciativa. A luta por um sistema judicial mais efetivo, que puna rapidamente bandidos e proteja as pessoas de bem. O fim dos benefícios legais e ilegais de uma casta de privilegiados que orbitam a máquina pública, mantidos pelo suor daqueles que realmente trabalham.

A construção de um novo país é um processo longo e penoso, mas a tragédia socialista, iniciada na Constituição de 88, culminando com a destruição do país por Lula e sua quadrilha, abre uma janela de mudança.

Não podemos perder o norte.

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

Close