BrasilNotícias

Médica cubana admite que tinha função política no Brasil

A saída unilateral da ditadura cubana do programa Mais Médicos está revelando estratégias mantidas em segredo por muitos anos.

Ramona Rodríguez, a primeira profissional de saúde cubana a deixar o Mais Médicos, foi entrevistada pela revista “Crusoé“.

Ela disse que recebeu ordens da ditadura de Cuba para falar bem da ex-presidente Dilma Rousseff. A médica cubana declarou:

A gente tinha de falar bem da Dilma. Para os pacientes, dizíamos que foi o governo dela que nos mandou para o Brasil. Falávamos que Dilma era boa porque ajudava o povo, porque se preocupava com a saúde dos mais necessitados. Estávamos inculcando uma ideia na população.

E acrescentou:

No caso de haver uma outra eleição, tínhamos de fazer com que os brasileiros votassem pela mesma presidente. Nós tínhamos uma função política.

Ramona também é uma das médicas que está processando a organização Opas por ter lucrado com trabalho escravo no Brasil.

Fonte: Tarciso Morais – Renova Mídia

Ver mais

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Por que que a tal revista ” crusoê” não descobriu de fato da médica cubana ter função “pulhitica” no Brasil, paga para falar bem da gover’anta?
    Será ____ agente___ infiltrada aqui?
    Ainda bem que dilma foi derrotada mais de uma vez: como terrorista, sequestradora (VAR PALMARES),impedimento na Presidência, derrotada nas eleições cargo de “çenadoura”, e mandamos para aquele lugar, acenando só com o dedo anular… VAI TOMAR…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close