fbpx

Moradores de Pacaraima expulsam venezuelanos após assalto

BRA03. PACARAIMA (BRASIL), 18/08/2018.- Policías brasileños prestan guardia mientras ciudadanos brasileños se manifiestan contra la presencia de inmigrantes venezolanos hoy, sábado 18 de agosto de 2018, en la localidad fronteriza de Pacaraima (Brasil). Un grupo de brasileños se manifestó hoy en la localidad de Pacaraima, fronteriza con Venezuela, contra la presencia de inmigrantes venezolanos, a los que les quemaron sus objetos personales y las tiendas de campaña en las que dormían, informaron fuentes oficiales. EFE/Geraldo Maia/MEJOR CALIDAD DISPONIBLE
 


A cidade de Pacaraima, na fronteira de Roraima com a Venezuela, registra um tumulto neste sábado (18) com atos de violência e destruição em acampamentos de refugiados venezuelanos.

A situação, segundo a Polícia Militar, ocorre em razão do assalto a um comerciante na noite da última sexta-feira (17). A suspeita é que o crime tenha sido praticado por venezuelanos, conforme a PM. Ainda não há informações sobre pessoas feridas ou detidas.

O tumulto começou por volta das 7h (hora local) desde sábado. O vigilante Wandenberg Ribeiro Costa, um dos organizadores do ato, disse que cerca de mil moradores de Pacaraima participaram do protesto e que todos os venezuelanos que viviam pelas ruas da cidade foram expulsos.

De acordo com ele, o ato dos moradores foi motivado pela insegurança causada pela imigração na fronteira. O assalto ao comerciante, segundo os manifestantes, foi o estopim para a revolta da população contra os venezuelanos.

Pacaraima é a porta de entrada para venezuelanos que fogem da crise política, econômica e social no país de origem e entram no Brasil. A estimativa é que entrem 500 refugiados da Venezuela por dia pela fronteira do estado.

Os moradores também fizeram uma barricada de pneus com fogo na BR-174 na entrada da cidade e o acesso está bloqueado nos dois sentidos da pista. Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão no local e ficou acordado que a pista será aberta a cada uma hora a partir das 15h30.

“Expulsamos todos os venezuelanos e vamos manter a entrada da cidade fechada até que tenhamos uma solução para o problema. Queremos que se tenha um controle rígido de entrada na fronteira e que seja estipulado um horário para circulação de pessoas que fazem compras em Pacaraima”, disse Costa, acrescentando que todo o ato foi organizado pelas redes sociais logo após o assalto ao comerciante.

Fonte: Tarciso Morais – RENOVA Mídia

 

Sobre o Colunista

Redação TL

Redação TL

8 Comentários

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...