fbpx

“Museu das putas” está sendo construído em BH com apoio de vereador

 


A construção de um espaço, em Belo Horizonte, chamado “Museu do sexo das Putas”, está gerando polêmica nas redes sociais. Segundo publicação no site da prefeitura de BH, do ano de 2016, o ” museu emerge a partir de encontros entre prostitutas[…]”. O casarão tombado está sendo usado pela Aspromig (Associação de Prostitutas de Minas Gerais), sim, existe uma associação.

Quem saiu em defesa dos “direitos das prostitutas” foi o vereador Gabriel Azevedo (PHS), que admitiu frequentar prostíbulos da capital. Em seu instagram, Azevedo afirmou, entre outras coisas, que não há dinheiro público sendo investido na obra, mas a prefeitura, segundo ele, autorizou a utilização do espaço.

O jornal o “Estado de Minas” descreveu o espaço da seguinte forma: O “Museu do Sexo das Putas” é uma iniciativa que começou a ser desenvolvida em 2016 pela Aprosmig com objetivo de desmistificar a prostituição e contar a história da região do baixo centro de Belo Horizonte”.

” Estive com prostitutas muitas vezes nessa vida. Frequentei quase todas as casas de prostituição da capital […] Há muita gente que trata o sexo como algo pecaminoso. Eu acho o sexo delicioso”

 

Segundo o vereador, o espaço, que estava abandonado, foi cedido para a Aspromig pela prefeitura. A “associação” realizou um evento, chamado “puta day 2019”, em que “inauguraram” a placa que anuncia o casarão como local dedicado a “eventos” que envolvem a prostituição.

O anúncio da obra desagradou a deputados e vereadores, que cobraram nesta terça-feira (2) explicações da Prefeitura de Belo Horizonte sobre gastos com o museu.

A presidente da “associação”, Cida Vieira, criticou os ataques feitos pelos deputados e justificou: “alguém foi ver a arquitetura do nosso planejamento? Ou o preconceito fala mais alto dos eleitos do povo?”.

O ex-deputado federal e ex-BBB, Jean Wyllys (PSOL), também já deixou seu apoio às prostitutas.

Reprodução: Facebook

 

View this post on Instagram

A política na era do Grupo de WhatsApp representa um risco de polêmica a cada compartilhamento. Um cidadão passava pela Rua dos Guaicurus, em Belo Horizonte, e viu essas duas placas. Zeloso pelo erário público, resolveu gravar um vídeo. E espalhou. Isso começa no celular dele e termina no meu. Ou no app “meu vereador”. Nada passa batido sendo tão hiperconectado. Muitas pessoas se indignaram. E falaram comigo. Consideraram um absurdo o uso de recurso público para a construção do “Museu do Sexo das Putas”. É importante esclarecer: NÃO HÁ NENHUM CENTAVO DE DINHEIRO PÚBLICO ENVOLVIDO NA EMPREITADA. E qual a razão da placa? O imóvel privado, tombado, abandonado, quase caindo aos pedaços, precisa da autorização da prefeitura para qualquer intervenção. É lei. Acho que muita gente talvez tenha passado por ali muitas vezes sem ligar por ver um bem histórico tão degradado. Agora, ele deixará de ruir. Foi cedido para a ASPROMIG. Presumo que haja gente incomodada com a construção do espaço. Eu não. Acho que as prostitutas possuem todo o direito de contar a sua história. Aliás, é parte do enredo de Belo Horizonte. Aquela via foi o foco da nossa Zona Boêmia. Recomendo o livro “Hilda Furacão”, de Roberto Drummond. Lá ficava o famoso Montanhês Dancing, dirigido por Olympia Vásquez García. Frequentado por políticos conhecidos, coronéis do interior e tantos mais. Até o cineasta Orson Welles foi. Sei que há séculos de hipocrisia pesada e culpa religiosa na nossa formação mineira. Eu me livrei disso. Estive com prostitutas muitas vezes nessa vida. Frequentei quase todas as casas de prostituição da capital. Nunca escondi isso das minhas ex-namoradas e do meu ex-namorado. A família sabe. Aliás, meu pai foi, meu avô foi… E quem é que não foi? Há muita gente que trata o sexo como algo pecaminoso. Eu acho o sexo delicioso. O espaço, certamente proibido para menores de 18 anos, estará aberto para quem quiser ir. Vai quem quer! E os demais podem ir onde quiserem. Quando digo que sou um liberal político, o digo por ser liberal onde mais importa. Não é na economia. É na percepção que o indivíduo tem a liberdade de ser quem quiser e fazer o que bem entender. E ponto.

A post shared by Gabriel Azevedo (@gabrielazevedo) on

Entramos em contato com a assessoria de Gabriel Azevedo, mas até o fechamento desta matéria não recebemos retorno.

 

Sobre o Colunista

Fernanda Salles

Fernanda Salles

Jornalista/Repórter

28 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Belo Horizonte, cidade conservadora de princípios. Pelo menos demonstra.

    E o “Modus operandi” da esquerda e globalistas continua…. nas cidades mais conservadoras, com valores sociais firmes, eles sempre vêem com “Museu Gay”… “Museu de PUTA”… “Museu de pornografia” e afins…. é a forma que têm de fazerem “PUBLICIDADE”, atacar a maioria…. desafiar a sociedade!

    É sempre assim…. BH…. Curitiba…. sempre começam nessas cidades para OFENDER os cidadãos e para fazerem BARULHO MESMO!

  • Quando você acha que já viu de tudo quanto é putaria nesse pais, você percebe que ainda não viu nada!
    Se você procura algo de bom nesse pais aqui não vai encontrar!
    Apenas a degradação Moral, cultural e religiosa!
    Vá para outros países ou Marte que vai ser muito mais vantajoso.

  • Desde quando sexualidade é assunto tema de políticas públicas?
    Desde quando a vida sexual de deputados é assunto de interesse do poder público e do povo?

    Esse pessoal realmente acha que o mundo gira em torno do umbigo deles!

    Deveria ser cassado por quebra de decoro, no mínimo! Ninguem está interessado na vida sexual dele e muito menos em iniciativa privada de prostitutas.

    O pior de tudo não é a pseudo-polêmica envolvendo as prostitutas mas é o uso político que os canalhas fazem disso como se fosse um assunto de interesse de todo povo e do poder público!

    Isso só nos mostra a decadência moral completa da sociedade.

    Em um país a beira da falência economica, com milhões de desempregados, onde policiais civis que não solucionam sequer 70% dos crimes mas pedem por mais privilégios para o governo federal, onde a Justiça atua de acordo com a orientação ideologica e partidária e ainda vemos imbecis que empreendem campanha para satisfação sexual de seus pares com o erário público!!!

    É o cúmulo do absurdo.

  • Liberalismo x Liberdade x Libertinagem… acho que ele confundiu algum conceito ali. É segue o trem onde o certo é taxado de errado e o errado é proclamado como certo. Só contemplando a luz de Cristo para fugir dessa hora tão sombria…

  • Um defensor de minorias defendo uma “profissão” que coloca a mulher em posição degradante, sendo tratada como mercadoria, onde irá definhar e ser jogada no lixo tão logo perca os atrativos físicos. Nada de novo no front.

  • Ô sô, prestenssãum.
    Ôtro tirpu de açartim, bufunda a molde de petralha axá bunito. Eleiçãum tá xegano.

    Cê besta trêim.
    Cadê o kamburãum, num têim aí nãum?

  • Enquanto museus e outros patrimônios históricos são queimados, a esquerda, utiliza de narrativa democrática, contra a vontade e contra as necessidades da população para desvalorizar cada vez mais a hitória e cultura do Brasil.

  • Quem votou nessa porcaria,nos mineiros precisamos boicotar e impedir esse lixo de ir adiante com isso. Terça livre se puder ajudar seria muito bom.

  • Absurdo!!! É a banalização do sexo!!! O relativismo!!! Isso é reflexo de uma sociedade indiferente, seja nos costumes ou na política, não é atoa que estamos reféns de um tal centrão no parlamento!!! Chegou a hora de nos posicionar e definir!! Ou somos joio ou trigo!!!

  • Professora de Belo Horizonte critica Bolsonaro no Big Brother: ‘não vale nada’ – (BHaz – 26/01/2018)

    A cientista política Mara Telles, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), fez duras críticas ao deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC).

    Em conversa, durante o almoço, os brothers começaram a falar sobre política e Mara foi enfática ao comentar sobre Bolsonaro.

    Com receio de que poderia sofrer alguma punição do programa, alegando que não é permitido comentar sobre política, ela resolveu encerrar a fala. Porém, Diego alertou que não há esta proibição. “A única coisa é que o programa não vai te defender por nada”, lembrou.

    Ciente da permissão, ela retomou ao assunto concluindo: “Que me processe mesmo, não vale nada. Quero ganhar um milhão com as bandeiras que tenho”, concluiu a belo-horizontina.

    https://bhaz.com.br/2018/01/26/professora-de-bh-critica-bolsonaro

    UFMG recruta voluntários, de preferência gays de 15 a 19 anos, para testar novo método contra o HIV – (DeFato Online – 12/06/2019)

    Universidade ressalta que os resultados do estudo serão um passo importante para a formulação de políticas públicas para essa faixa etária, que apresenta aumento na ocorrência da doença.

    https://www.defatoonline.com.br/ufmg-recruta-voluntarios-de-preferencia-gays-de-15-a-19-anos-para-testar-novo-metodo-contra-o-hiv

    Mineiro(a): – Que futuro você quer para o PUTEIRO?

  • A iniciativa desse vereadorzinho aí não nos surpreende, pois ela reflete toda a ignorância, falta de capacidade e mentalidade rasteira dos esquerdistas, diante das questões produtivas e evolutivas que realmente interessam para o Brasil e para o resto do mundo.

  • São nessas bostas que o povo vota… Ficam fazendo firula enquanto o que tem que ser feito vai ruindo. Saúde, segurança e educação para nossos filhos ficam de lado.

  • Importante ver políticos que se posicionam fora dos dois extremos da política brasileira e de seus discursos limitados. Parabéns por dar à região o que é dela, ou seja, dar às prostitutas o respeito e identidade que lhes é de direito.

    E como o próprio vereador disse no seu instagram: “NÃO HÁ NENHUM CENTAVO DE DINHEIRO PÚBLICO ENVOLVIDO NA EMPREITADA.”

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...