Não haverá divórcio entre MEC e os globalistas



Quem precisa se preocupar com Jair Bolsonaro, se com algumas ações pode determinar como pensarão todos os eleitores das próximas décadas? É o que anima e tranquiliza todos os globalistas quando suas atividades permanecem intactas no governo do primeiro presidente genuinamente conservador que a nossa república já teve. Constantemente a imprensa critica os ministérios onde o programa de Bolsonaro é seguido a fio: Ernesto, Damares, Ricardo Salles. O MEC virou alvo desde a primeira nomeação. Algumas críticas são absolutamente histéricas e sem qualquer argumento plausível, recheadas de argumento de autoridade e dogmas sacramentalmente celebrados e propagados pela ONU, UNESCO, tanto na voz de Lula como na de FHC.

Segundo informou o site do CONSED (Conselho Nacional de Secretários de Educação http://www.consed.org.br), o MEC reuniu-se com secretários estaduais e municipais de Educação, discutiram um plano de ação conjunto para desenvolver uma agenda integrada. O que surpreende, pero no mucho, é que o convite foi feito pelo Secretário de Educação Básica do ministério, Jânio Macedo. Não haverá uma nota sequer na grande mídia reclamando do evento, acredite.

Um seguidor assíduo de nosso trabalho no Terça Livre pode não acreditar, mas o MEC convidou não apenas um órgão da UNESCO, como é o caso do CONSED, mas representantes de entidades do terceiro setor, como os professores Mozart Ramos e Ricardo Paes de Barros, do Instituto Ayrton Senna. E não para por aí. Ainda compõem a sinistra reunião o presidente do Instituto Natura, Davi Saad.

A presidente do Consed, Cecilia Motta, disse que “essa iniciativa do MEC, de escuta, de querer aproveitar o que já existe de bom, com base em evidências, é vista com bons olhos pelo Consed. A nossa expectativa é que possamos sair daqui com uma agenda integrada, avançando no regime de colaboração.” (grifo nosso)

Além dos Institutos Natura e Ayrton Senna, também participaram representantes do Instituto Unibanco, da Fundação Lemann e do Todos Pela Educação. Todos ligados ao grupo globalista do GIFE, tantas vezes por nós denunciado em nosso canal.

O terceiro setor é uma terra arrasada onde os players verdadeiramente preocupados com a educação vivem a minguar sem dinheiro. Por outro lado, os mais nefastos nadam no dinheiro de repasse tributário das grandes empresas nacionais e internacionais, alguns até com contas em paraísos fiscais onde sequer precisam declarar o que se gasta no cartão de crédito, por exemplo.

Com uma fortuna estimada em 25 bilhões de dólares, Soros de fato é um estimulador de organizações do terceiro setor mundo afora por meio de sua “Open Society Foundations”, da qual é fundador, chairman e principal doador. Ao longo de sua vida, teria doado bilhões de dólares à entidade, que dentre tantos projetos financiados, estão, como informou Bruno Garschagen, o “Fora do Eixo” (da rede “Mídia Ninja”), a “Agência Pública” (organização liderada pelo jornalista Leonardo Sakamoto) e o Instituto Igarapé (da ativista Ilona Szabó).

Se o MEC tivesse noção da ação desses globalistas, certamente iria fazer de tudo para periferizá-los e buscar aqueles que labutam em prol da verdadeira educação, isto é, os que não ensinam teorias estapafúrdias como aquecimento global, ideologia de gênero, “educação” sexual e etc. Preferiu, porém, buscar uma agenda conjunta (sic) com UNESCO e demais bichinhos de estimação de Soros, Rockefeller e associados. Repito o que disse acima: não haverá uma nota sequer de repúdio por parte da grande mídia. Afinal, o MEC está de mãos dadas com a UNESCO, empresas ligadas ao GIFE e nada disso é contrário ao que quer a imprensa brasileira. O silêncio necessário para manter essas ações longe dos olhos da população segue junto com a ausência de qualquer crítica. Acha exagero de minha parte? Experimente perguntar ao FHC o que ele acha dessa submissão, digo, aproximação do MEC com a UNESCO.

Os conselhos do Prof. Olavo de Carvalho fazem falta no MEC.

Sobre o Colunista

Allan Dos Santos

Allan Dos Santos

Pai, empresário, jornalista e apresentador do Boletim da Manhã no canal Terça Livre TV.

26 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Corretíssimo o texto. O apoio ao atual governo eu dei durante meses. Depois das escaladas de pessoas a ministérios que sequer deveria existir, caso do ministério da mulher (pq?), e vários cargos conseguidos a base da agiotagem de camaradagem ou simples amizade fizeram do atual governo ter tantas falhas não desejáveis. O caso do MEC eu já comentei vários momentos que a prática passaria por três pontos basilares. Mas continuam marcando passos. Nem sempre a estratégia de pressionar demais é a melhor forma. E se em seguida fazer atos de conchavinhos fica ainda pior. Tipo morde e sopra. Contudo, muitos bolsominios são piores do que alguns petistas. E usam o estômago no cérebro.

  • Tá na hora de essas denúncias chegarem a todos, o presidente tem que fazer alguma coisa, é óbvio que o positivismo militar vai se contrapor, as temos que fazer um barulho federal e chamar a atenção de todos, já que o silêncio está ensurdecedor!

  • Com todo respeito, acredito ficar MAIS inteligível se escrito dessa forma:

    “Quem precisa se preocupar com Jair Bolsonaro se determinará como pensarão todos os eleitores das próximas décadas? É o que anima e tranquiliza todos os globalistas quando suas atividades permanecem…”

    -Quem precisa se preocupar com Jair Bolsonaro se NÃO SERÁ ELE QUEM determinará como pensarão todos os eleitores das próximas décadas? É o que anima e tranquiliza todos os globalistas ENQUANTO suas atividades permanecem….”

    Paz e Bem.

  • Todas estas coisas são lastimável de fato e é óbvio que não serão destruídos em um único governo. O processo de desmanche do status quo vai longe, afinal essa é uma guerra que extrapola as fronteiras brasileira.

  • Estamos sem esperança. O professor Orley, conservador (Goiás) foi demitido do MEC pelo novo ministro.

  • O MEC é o ministério mais importante para os socialistas. É ali que a “revolução” ocorre. Esqueçam o ministério da economia, até porque todo país socialista não se importa com a economia do país.

  • Poxa Alan, como você é inocente, ingênuo mesmo. Nunca ouviu falar em nova ordem mundial, os 13 pontos, ilumminatti, Adam Weishaupt, afff, que tolinho. Você acha mesmo que é a UNESCO, ou o George Soros, ou as fundações, ou os bilderberg, e tantos outros, ou o Bahai’s, eita menino bobinho. E quando vcs falam contra o Comunismo então, contra os “ain genocidas Stalin, Mao, Mussolini, o norte coreano, o antigo imperador japonês da 2°a guerra, e outros tantos (Fidel não, esse é cria do nefasto Nikita Kruschev aquele pilantra gramcista).
    Alan, o mundo será necessário uma nova ordem sim, pois os princípios até aqui favorecem privilegiados no entanto temos a disposição um mundo extremamente rico e suficiente pra fornecer dignidade a cada ser humano vivo é que ainda irá nascer, porém na visão desses privilegiados devido a ganância egoísmo crueldade contra a luz, um mundo inteiro não é suficiente pra saciar sua sede de poder. É que se fodam os semelhantes. Essa a visão deles, os privilegiados. É necessário sim uma nova ordem mundial, e essas pessoas que você tanto critica, sua graça visão não enxerga, que estão conduzindo o mundo a esse propósito. Dar dignidade a cada ser humano vivo é que vira a nascer. O futuro do mundo é o Comunismo. Não tem saída.

  • Mais um erro na educação e na cultura. Eu não esperava disso de um homem que Olavo elogiou saber dessa realidade. Sinceramente, lembro-me dos fatos históricos sobre o erro dos militares no passado que nos trouxe até aqui e o granschismo cultural. Agora também os globalistas. Exato, mesmo erro e aprofundado hoje.

    Esperamos melhor do governo como última esperança contra avanços desses no mundo. Mas só é um último fôlego antes do mergulho profundo em um futuro sombrio. Espero também que o ministro repense e reflita antes de uma decisão final.

  • Sinceramente não vejo o MEC, como solução!

    Devido mesmo aos interesses particulares, tão incidentes no ministério!

    Sendo bem franco. Vamos parar de acreditar no ensino oficial! Seja Ricardo Velez, seja Abraham Weintraub, ou qualquer outro nome, mesmo sendo discípulo de Olavo de Caravalho. Não terá sucesso.

    O próprio Olavo de Carvalho, disse, que NÃO tem vontade de ser ministro da educação. Pois as amarras politicas, mimam qualquer trabalho feito para mudar a educação do Brasil.

    O jeito, é caminhar para uma educação que dependa de iniciativas particulares, foram de manobras do Estado.

    Se o oficial foi estabelecido apenas para formar profissionais competentes para o mercado de trabalho, já ajudou muito. Quanto a formar cidadãos que pensam, cidadãos conscientes da realidade, teremos que pensar em outros meios.

    Se conseguirem que o homeschooling, seja liberado no país, será uma grande vitória.

    Olavo de Carvalho é uma escola, que não depende em nada do governo. E deu muito certo, graças a Deus.

    O próprio Terça Livre, se conseguir se firma com seus cursos, ele será uma escola. Uma escola que não depende do sistema livre para ensinar o que convém.

  • Sinceramente não vejo o MEC como solução! É apenas um tapa-buraco!

    Devido mesmo aos interesses particulares, tão incidentes no ministério!

    Sendo bem franco. Vamos parar de acreditar no ensino oficial! Seja Ricardo Velez, seja Abraham Weintraub, ou qualquer outro nome, mesmo sendo discípulo de Olavo de Caravalho. Não terá sucesso.

    O próprio Olavo de Carvalho, disse, que NÃO tem vontade de ser ministro da educação. Pois as amarras politicas, mimam qualquer trabalho feito, para mudar a educação do Brasil.

    O jeito é, caminhar para uma educação que dependa de iniciativas particulares, fora de manobras do Estado.

    Se o ensino oficial for estabelecido, apenas para formar profissionais competentes para o mercado de trabalho, já ajudou muito. Quanto a formar cidadãos que pensam, cidadãos conscientes da realidade, teremos que pensar em outros meios.

    Se conseguirem que o homeschooling, seja liberado no país, será uma grande vitória.

    Olavo de Carvalho é uma escola, que não depende em nada do governo. E deu muito certo, graças a Deus.

    O próprio Terça Livre, se conseguir se firma com seus cursos, ele será uma escola. Uma escola que seja livre para ensinar o que convém.

  • É de fato muito triste ver o ministério de maior importância no governo, apesar de que não deveria nem existir, estar sujeito a continuar compactuando com globalistas. O Vélez cometeu alguns equívocos, mas estava menos pior que esse atual positivista.

  • Imagino pessoas “indo para o abatedouro felizes e sorridentes”, porquê não tem a mínima noção do que está acontecendo nesse mundo e principalmente nesse país. Ao mesmo tempo, sofrem Lavagem Cerebral, através das TV’s e Jornais. Fingem que estão se “informando”, mas na verdade estão se auto destruindo!

  • Fazer igual a Polônia, expulsar todos os Globalistas e suas fundações. E em seguida privatizar todo o sistema educacional público brasileiro, mudando métodos e grade curricular para os alunos. Seria um sonho.

  • Quando foi criado o MEC ? Qual era Instituição responsável pela Instrução do povo, antes do MEC ? Porque criaram o MEC ? Professor é Educador ? O MEC foi copiado do Sistema de castas de Ensino da Índia ? Quem educa não é a família ?

  • Realmente, é impensável que um Ministro nomeado que já deu provas de ter estudado as teorias do Prof. Olavo – algo reforçado pelo próprio Olavo no FB – esteja cego. Aliás, cegueira que pode ser de 3 tipos: a) cegueira do Ministro da Educação e Cultura sobre as multiatividades da sua equipe; b) cegueira dos diretores e assessores do Ministério, que estão cometendo essa cagada sem terem sido avisados de onde se meteram; ou c) cegueira nossa e do Prof. Olavo de que nosso Ministro olavete teria culhones para comandar aquela joça como fora esperado por todos nós.

  • É por esses comentários e análises precisos e contundentes que o Allan é persona non grata para os globalistas e seus acólitos.

  • Fico a pensar que o Ministro terá de apresentar o plano à JB e que excessos serão coibidos. Allan vcs conseguiriam reunir especialistas e criar uma sugestão de plano de Educação para o Brasil?

  • Acredito que a melhor maneira de se conscientizar sobre os planos 2030 da ONU é fazer um paralelo com a Agenda Nazista. Eu realizei algumas inferências sobre a Agenda ONU 2030 e Agenda Nazista e elas são muito parecidas só que a ONU utiliza nomes mais glamoriosos para extermínio como Suicídio assistido (eutanásia de deficientes e enfermos), Escolha da Mulher(aborto) e assim por diante. Eles são mais maquiavélicos que Hitler.

  • Allan boa noite, nesse caso do MEC o presidente não sabia das intenções do Abraham Weintraub ???
    Será que o presidente e ingenuo a esse ponto ou está sendo mal assessorado nas suas escolhas, te pergunto isso pois vc e um dos mais próximos a ele, e essas situações me deixam bem desconfiado,

  • Alan, caro amigo. Não trata-se de George Soros, Unesco entre outros agentes meramente ideológicos, tentando promover o comunismo no mundo ou suas agendas pessoais, trata-se da Nova Ordem Mundial ou seja, um vasto movimento internacional, cujo objetivo único é o controle do planeta como um todo. Vocês dos Terça Livre, quando nomeiam esses agentes revolucionários, como se fossem elementos independentes e à parte do movimento da nova ordem, você desinformam ao invés de informar. É preciso dar nome aos bois.

  • Realmente não dá pra entender. Não, acho que dá sim….
    É rezar, rezar e rezar pelo pais…..

Blog Authors

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...