fbpx

ONU declara apoio ao músico que chamou Jesus Cristo de ‘travesti’

 


Na noite desta quarta-feira (1), o perfil da ONU Brasil no Twitter publicou apoio ao cantor Johnny Hooker.

O artista virou notícia mundial após a lamentável apresentação no Festival de Inverno de Garanhuns, no qual o músico afirmou que “Jesus Cristo é travesti”.

“E se Jesus voltasse agora à terra como uma travesti? Não era para amar ao próximo como a si mesmo? Estamos aqui num festival de falso viva à liberdade. Pois, eu quero dizer que Jesus também é travesti”, declarou Johnny.

DECLARAÇÃO NO TWITTER

Neste contexto, a ONU publicou:

“Usando a arte para sensibilizar a sociedade sobre os direitos das pessoas LGBTI, o cantor Johnny Hooker é Campeão da Igualdade da Campanha ‘Livres e Iguais’ no Brasil. Saiba mais sobre o artista e seu trabalho na ONU”.

Na mesma publicação, uma imagem estava anexada; o conteúdo dizia:

“Solidariedade a Johnny Hoocker – contra os ataques de ódio e discriminação”, declarou a ONU Brasil.

CRIME

Para o jurista Jethro Ferreira, Johnny Hooker cometeu infrações penais. Segundo ele, “as pessoas que professam a fé cristã têm a pessoa de Jesus Cristo como uma pessoa do sexo masculino, heterossexual […] Qualquer afirmativa diferente desses dogmas é considerada uma ofensa à fé cristã”.

O advogado usa como base, o artigo 20 da Lei Federal nº 7.716, que prevê que quem “pratica, induz ou incita a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” está sujeito a uma pena de reclusão de um a três anos e multa.

Conforme previsto no Art. 208 do código penal, o músico poderá ser processado e preso pelo crime de “Vilipêndio da fé”, ou seja, fazer com que alguém se sinta humilhado, menosprezado e ofendido por palavras em razão da sua fé.

OPINIÃO

Não é de se espantar que a ONU preste “solideriedade” ao artista que incitou a fé de 87% da população brasileira ao fazer comentários pejorativos sobre Jesus.

É de conhecimento geral o alinhamento ideológico que a ONU possui. Estamos presenciando tão somente a materialização da agenda globalista internacional.

Os cristãos são um dos seus obstáculos principais e eles não desistirão facilmente.

Por: Raul Holderf Nascimento
Link original da matéria

Sobre o Colunista

Redação TL

Redação TL

5 Comentários

Clique aqui para comentar

  • “Não é de se espantar que a ONU preste “solideriedade” ao artista que incitou a fé de 87% da população brasileira ao fazer comentários pejorativos sobre Jesus.”
    Faltaram às aulas de Português????

  • Travesti é uma aberração da natureza, se acreditamos que Cristo era perfeito. Logo não seria uma aberração. Lamento ao travestis. Mas tenho que falar de Cristo.

  • Aproveito para apoiar a ONU. Todos somos iguais, sem julgamento. Cada um é aquilo que acredita e se sinta melhor em Ser. Nada contra os travestis mas não precisa comparar um ser querido, cheio de exemplo para alguém que precisa ser aceito pela sociedade ignorante. Respeito Todos os travestis, e isso basta. Não precisa comparar alguém que acredito e deu exemplo da perfeição as pessoas. Todos nos temos defeitos. E devemos respeitar a Todos. Inclusive os travestis.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...