Os efeitos da militância no meio artístico

teatro


O Terça Livre conversou na manhã deste sábado (18/1), com a atriz e roteirista, Bianca Montanas, que já perdeu a conta das peças que atuou e que empenha-se num projeto infanto-juvenil de Shakespeare, sobre o mercado do teatro no Brasil e a perseguição imposta pela militância comunista que ocupa os ambientes.

Bianca nos contou o que sofreu desde o começo da trajetória ainda em sala de aula e expôs consequências da doutrinação nos ensinos técnicos para o futuro profissional que atuará no mercado de trabalho.

Entre as dificuldades impostas para o mundo da arte atual, Montanas falou sobre o “politicamente correto“, que extrapola o universo profissional e afeta diretamente as relações interpessoais de forma geral, abrangendo toda sociedade e tolhendo a liberdade de pensamento do cidadão.

A atriz também falou sobre as dificuldades de captação de recursos para produção e realização de projetos artísticos como teatro e cinema, que tornam na maior parte do tempo, impossível para um profissional da arte, sobreviver das atividades que executa, necessitando na maioria dos casos trabalhar em outras ocupações para se manter.

Além de tudo isso, ela ainda deu dicas para aqueles que desejam ingressar no teatro e cinema.

Confira a entrevista completa abaixo

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...