Petrobras e estatais chinesas arrematam maior bloco da cessão onerosa



O maior bloco oferecido hoje (6), no Rio de Janeiro, no Leilão dos Excedentes da Cessão Onerosa do pré-sal foi arrematado com o lance mínimo por um consórcio formado pela Petrobras e as estatais chinesas Cnodc e Cnooc.

A Petrobras havia manifestado preferência pelo bloco e teve participação de 90% no consórcio, no qual atuará como operadora. As duas companhias da China participaram com 5% cada uma.

Nos leilões do Regime de Partilha, os lances são avaliados conforme o percentual de excedente em óleo que é oferecido à União. No caso do bloco de Búzios, era pedido um mínimo de 23,24%, participação que foi a oferecida pelo consórcio vencedor.

Dinheiro será repartido

Somente o bloco de Búzios renderá R$ 68,194 bilhões, que serão pagos até o dia 27 de dezembro.

O dinheiro será repartido entre o estado produtor, o Rio de Janeiro, e entre os municípios, unidades da federação, a União e a própria Petrobras, que precisa ser ressarcida pelo contrato de cessão onerosa, assinado em 2010.

A estatal também arrematou o bloco de Itapu, o outro pelo qual havia manifestado preferência. Nesse caso, a estatal brasileira não formou consórcio e ofereceu sozinha o bônus de assinatura de R$ 1,76 bilhão. O percentual de excedente em óleo foi de 18,15%, o lance mínimo que era exigido.

Com informações, Agência Brasil

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

"Cheguei mesmo à conclusão de que escrever é a coisa que mais desejo no mundo" (C.L.) | Jornalista, Católica, 22 anos,

9 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Leilão mais sem sentido, onde os dois blocos comprados foram pela Petrobras.

    Depois reclamam de empresas públicas 👏👏👏

  • O arremate feito pela Petrobras nos 2 principais campos provam que além da empresa estar novamente no jogo, graças às excelentes gestões Parente/Castello Branco. O Rio de Janeiro deverá retomar o fôlego perdido durante o assalto nazipetista e isso é ótimo para o país, pois o Rio é um estado “vitrine” do Brasil.

    Outro ponto que ninguém comenta é que a Petrobras se livrou do antigo contrato de 40 anos feito na “gestão” do nazipetismo e fica livre para abrir para novos sócios futuramente e recuperar o capital investido. Foi excelente, tanto que as ações se recuperaram rapidamente.

    @AntonioHCardos1

  • Sinceramente, não gostei de ver a estatais comunas se metendo na Petrobrás. Comunas tem que ficar bem longe do Brasil.

  • O motivo pelo qual poucas empresas internacionais tenham avançado neste leilão não tem nada a ver com a recuperação da Petrobras e sim com questões geopolíticas globais da estratégia de cada país.

    A Europa se prepara pra se focar no futuro em carros elétricos ou movidos a biodiesel, o Japão se foca em carros movidos a Hidrogênio ou algum modelo híbrido gasolina-elétrico, e por ai começa a se desenrolar a estratégia de cada bloco geopolítico.

    E como a UE ‘amarrou burocraticamente’ o poder econômico do bloco Europeu, o resultado é que as empresas de Petróleo das maiores nações da UE agem todas dentro de uma mesma estratégia global.

    Principalmente agora com a Venezuela vendendo Petróleo abaixo dos preços e por baixo dos panos, ai fica difícil para o mercado retomar o antigo fôlego e a confiança para o mundo retomar os investimentos pesados neste segmento.

  • Esse é um engodo caralhistico feito pela dilma, ela vendeu esse petroleo já lá no passado pra cubrir divida, e pra issobampliou as ações comuns da petrobras e sendo assim quem comprou esse oleo comprou passivo, mas o oleo foi vendido a 100 dolares o barril e hoje vale menoa que iaso, pq sim o petroleo perdeu relevancia por causa do gas americano, que mata td o que encosta.. i o baguio é loco. Só sei q é bom se livrar do petroleo que da mais trabbalho pra tirar doque pagar por oleo venezuelano.

  • Não foram os 108 bilhões esperados, e isto todos que entendem do riscado sabiam. O sujeito compra os direitos de exploração, mas ganha junto um mamute chamado Petrobras. Se fosse realmente vender com casca e tudo, tudo seria vendido e passaria dos 150 bilhões. Esta forma de negociação, com ressalvas, foi inventada no governo Dilma, que exige um certo conteúdo nacional nos equipamentos para a corrupção correr solta.
    Coisa absolutamente sem importância, mas como no Brasil tudo é politizado, virou manchete.

  • Cadê a esquerda reclamando agora do leilão e entregando o pré-sal para a China? Para a China pode né para os outros países incluindo EUA é que não pode? Bolsonaro abre o olho a China não é confiável e é mais comunista que Cuba, Venezuela e Coréia do Norte juntas.

  • Parabéns Bolsonaro, você vendeu um recurso estratégico de guerra, petróleo, para o partido comunista chinês.

Blog Authors

Alexandre PachecoAlexandre Pacheco

Alexandre Pacheco é Professor de Direito na FGV, Advogado, Palestra...

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...