PGR pede acesso a inquérito sobre investigação do caso Marielle

Raquel Dodge


Agência Brasil

Raquel Dodge vai analisar pedido de federalização

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu sexta-feira (16/8) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) cópia do inquérito policial aberto no Rio de Janeiro para apurar supostas irregularidades na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

Na petição, Dodge explicou que o pedido de acesso é necessário para analisar possível federalização do caso, ou seja, o deslocamento de competência para julgar o crime passaria da Justiça estadual para a Justiça Federal. Desde novembro do ano passado, a procuradoria analisa suposta tentativa de obstrução das investigações, mas a Justiça do Rio negou o compartilhamento de informações.

De acordo com a procuradora, o pedido de federalização “só pode ser analisado diante de evidências que foram coligidas no inquérito instaurado para verificar se havia o desvio ou deficiência na investigação”. Além disso, Raquel Dodge disse na manifestação enviada ao STJ que há suspeitas do envolvimento de uma pessoa com prorrogativa de foro no tribunal na suposta obstrução das investigações.

Respondem pelo homicídio da vereadora os ex-policiais Ronnie Lessa (reformado) e Élcio Queiroz (expulso da Polícia Militar). A vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram assassinados com vários tiros dentro do carro da parlamentar, no centro do Rio de Janeiro, em março de 2018.

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Isso tudo para desvendar um crime a uma vereadora, e já se tem dificuldade, tem que investigar mesmo e muito! Agora para um cargo de presidente nenhuma investigação ou cobrança, justiça e sua “igualdade”.

  • Caso o inquérito caia nas mãos da PF de Moro ele ganhará uma arma poderosíssima contra seu principal adversário no momento, Bolsonaro, que recentemente não tem perdido uma oportunidade de fritar o incorruptível juiz. Moro deve ter percebido a burrada que fez ao se aliar a uma figura tão indigna e execrável quanto o Jair. Se confirmada a participação do Klan Bolsonaro nos assassinatos de Anderson e Marielle, daí para sua eleição em 2022 será um pulo. #Moropresidente.

  • A pgr não procurou o verdadeiro motivo da morte bruta, do então POLICIAL ANDERSON ANDRADE,foi atingido na Maré, da Força Nacional, segurança dos jogos das Olimpíadas __ RJ, 12-08-2016…
    Nascido em Roraima.

    POR QUE?

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...