fbpx

Polícia procura em cisternas de condomínio arma que matou Marielle

 


Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro e integrantes do Ministério Público (MP) realizaram inspeção em cisternas de um condomínio em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade, território com forte presença miliciana.

O objetivo era checar informações da localização da arma usada na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Mergulhadores inspecionaram 27 cisternas do local, mas a arma não foi encontrada.

Durante a ação, os policias apreenderam munições e carregador de pistola. Um carro de luxo foi levado para verificação e perícia. A operação foi realizada na manhã desta quarta-feira (12).

Marielle e Anderson foram mortos na noite de 14 de março de 2018, em uma emboscada no centro do Rio, quando um carro emparelhou com o veículo em que ambos estavam, e um atirador fez 13 disparos.

Duas pessoas estão presas pelo crime: os ex-policiais militares Élcio Queiroz e Ronnie Lessa, mas, até hoje, não se conhecem nem os motivos, nem os mandantes do crime.

(Agência Brasil)

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

3 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Eu já falei e repito. Os matadores estão na Venezuela e são de Cuba.
    O carro foi desmontado inteiro e vendida e ou destruída suas peças. Seus bancos e assoalho queimados e destruídos e o Frouxo está rindo de todos

  • E nem prova consistente, só deduções e ilações. Já haviam acusado outro e era mentira. Não querem descobrir nada, querem manter palanque político pra 2022, tentando ligações com a família Bolsonaro. Federalizção JÁ.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...