Pouco explica e não justifica, Alvim



Roberto Alvim cometeu um baita deslize, no mínimo. Se deliberadamente copiou o discurso cometeu uma infração grave contra o governo Bolsonaro. 

Por Guilherme G. Villani

Quem leu e ouviu Roberto Alvim relatar sua história recente entende que é alguém ressentido com o meio cultural brasileiro, altamente intoxicado com marxismo cultural.

Tudo bem, o que ele passou foi grave e tem motivos para estar assim.

Nomeado a um cargo público, não deveria carregar consigo o sentimento. A esquerda é covarde e maliciosa, qualquer deslize é motivo para bombardear com ilações o governo conservador do Presidente Bolsonaro.

O discurso que fez, claramente identificado com o do nazista Joseph Goebbels, além de ultra-nacionalista é um convite para todo o tipo de crítica, à esquerda e à direita.

Resta Alvim esclarecer se foi ele quem escreveu e se ele sabia ou não que era copiado de Goebbels.

Se sim, ou pede demissão e desculpas ao Presidente e a todos que confiaram nele, ou o Presidente o demita por irresponsabilidade e incapacidade emocional/mental para o cargo.

Caso não tenha escrito, e tenha sido acidental seu discurso, que ofereça alguma explicação mais razoável do que “coincidência retórica”.

O Brasil vai aos poucos se reerguendo, e o que menos precisa é termos pessoas inconsequentes nas palavras em cargos públicos.

“Ah, mas o estilo do Presidente é igual” Não é não! O Presidente tem uma retórica dura e bélica contra o marxismo cultural esquerdista, mas é genuína e consonante com os valores cristãos.

O que aconteceu foi lamentável. Ao Alvim e ao governo.

Ou oferece algo melhor que sua postagem no Facebook e mude sua postura, ou é melhor para o Brasil ter alguém com mais serenidade e equilíbrio emocional no cargo.

 

 

Sobre o Colunista

Guilherme Galvão Villani

Guilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atua em Mercados de Capitais. Agente Autônomo de Investimentos.

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Esse é outro comentarista que aderiu ao discurso da esquerda e está sendo induzido pelo alarmismo midiático. Direita límpida e pomposa. Sr. Villani, por gentileza, não sofra de ejaculação precoce.

  • Boa tarde, acompanho sua coluna sempre que possível, mas não posso me furtar em pedir mais serenidade no caso do Roberto Alvim. É preciso ter calma e não colocar tão alto o nível de cobrança do secretário, precisa ouvi -lo, saber de sua motivação para tal citação, o que ele já o fez. Agora, apressadamente juntar ao coro de alguns veículos de comunicação que usam de desonestidade em transmitir informação ao seu público tá muito chato. Precisamos ter mentes com claridade suficiente para analisar cada ponto em respeito ao público.

  • To rindo infinito kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    O pior de nervoso…

    O cara é um idiota…, como ele pediu ajuda para um esquerdopata escrever isso kkkkkkkkkk
    A musica foi a cereja do bolo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu to rindo mas gente é absurdo que parece uma cena de Debi e Loide…, um Mr. Bean de terno dando discurso…kkkkkkkkkkkkkk

    Meu vamos fazer a propaganda do super bonder com ele…
    Pendurar ele de cabeça para baixo na asa de um avião com super bonder e decolar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Pegou muito mal mesmo. Ele acabou fornecendo combustível farto e gratuito pros esquerdopatas taxar o PR e a nós, seus apoiadores, de fascistas, nazistas e por aí vai. Mas a dúvida que fica é: a assessoria dele, não falou nada? Será mesmo que ninguém notou que iria pegar super mal?!?

  • Discordo.
    Não há nada demais no discurso.

    As palavras são corretas. Tudo passa a ser anulado por associação?
    Fazer coro à esquerda é um erro terrível.

    Quem descobriu essa semelhança? Isso é essencial saber. Ninguém conhece ou faria essa simetria de cabeça.
    Foi mais um ataque coordenado.

    Esquerda conseguiu sabotar o renascimento da cultura brasileira.

  • Esse era o grande artista conservador injustiçado pelo marxismo cultural.

    Chegou ao auge e durou pouco para cair eternamente no ostracismo.

    Fim de carreira

Colunistas

Guilherme Galvão VillaniGuilherme Galvão Villani

Mariliense. Gosto pela Administração, Contabilidade e Finanças. Atu...

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...