Praga dos javalis assola agricultura brasileira

javalis


O Terça Livre ouviu nesta sexta-feira (6/12) o Rafael Salerno, engenheiro agrônomo e um dos líderes do Aqui Tem Javali, uma rede de voluntários no combate à praga dos javalis no Brasil, que já completou 11 anos de existência e reúne mais de 300 mil agentes ambientais.

O engenheiro nos falou da extensão geográfica, dos danos ao meio ambiente e dos prejuízos ao produtor rural causados pela praga. O javali, segundo Rafael, é um animal selvagem que se reproduz em alta velocidade e se espalha pelo país num ritmo incalculável.

Salerno explicou como a dificuldade de acesso às armas para caçadores dificultam a defesa do meio ambiente e da produção de alimentos que movem a economia do país. Aprofundando o tema ele também narrou as ameaças às vidas humanas e de animais domésticos, com casos registrados em regiões afastadas dos centros urbanos.

Sobre as políticas envolvidas no problema, o entrevistado revelou uma série de empecilhos e discursos vazios que em nada colaboram e muito atrapalham a busca por soluções reais.

Confira a entrevista completa

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

8 Comentários

Clique aqui para comentar

  • E ainda reclamam do preço da carne! Tanto Javali quanto Capivara que viraram pragas, podiam sem muito bem caçados ou pelo menos deixar o abate livre para criadores regulados. Mas não! Duas empresas ainda tem tanta influência no Estado que conseguem manter 90% do comércio de carnes. Tem prova maior que o mercado de carne bovina não consegue manter as exportações e o mercado interno?

  • Trabalho numa empresa agro e posso afirmar que o problema é gigantesco.
    Aqui no Mato Grosso o nosso maior problema é o Cateto, também conhecido como porco-do-mato é uma espécie nativa, portanto, tem a caça proibida. O Cateto causa prejuízos milionários na agricultura mato-grossense, devastam plantações de soja, milho, entre outros cereais. No Youtube encontrando vídeos desses animais atacando pessoas.
    O problema é sério e deveria ser revisto essa proibição da caça e autorizado por certos períodos do ano, mas não fazer igual com os javalis que só pode ser usado armadilhas para a caça, pois essas armadilhas são caras e é melhor deixar estragarem a lavoura ou não plantar.
    Infelizmente os deputados federais e estaduais do Mato Grosso não dão a devida atenção ao agro mato-grossense, a grande mola propulsora do nosso querido estado.

  • E que leis são essas para os caçadores legalizado , não tem mais como caçar eu e vários colegas paremos , temos que deixar os javalis devorar as lavouras ,,, gente vamos aliviar as regras

  • Boa tarde
    Sou filho de caçador e sou caçador e fizemos nosso primeiro abate de javali no ano de 1982 na cidade de Alegrete RS e naquele tempo já era praga imagina quanto já se reproduziu neste tempo todo e nosso maior problema hoje são as leis que não nos ajudam e só atrapalha o nosso controle que e totalmente voluntário e contamos com nossos próprios recursos precisamos de apoio

  • Essa praga ja generalizou quase em todo país onde tem produção agrícola, atacam em
    bandos, destruindo lavouras e plantações principalmente milho e soja, tem que fazer
    um loby fortissímo junto a câmara e senado, e liberar a matança controlada, ou daqui
    algum tempo nao vai ter condições de plantar.

  • EM CIANORTE PR. TEVE QUE MORRER 2 PESSOAS PARA PODER CHEGAR A UMA SOLUÇÃO ATRAVEZ DO MINISTÉRIO PÚBLICO QUE TEVE QUE INTERVIR ATRAVES DE AUDIÊNCIA PUBLICA PARA CONTER OS POMBOS ATRAVÉS DE SIMPLES ROJOES

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...