fbpx

Racismo: garoto de 14 anos é brutalmente agredido por apoiar Trump, diz mãe

 


Segundo o Jornal The Sun, um garoto de apenas 14 anos precisou ser hospitalizado, no dia 21 de Novembro, após sofrer agressões dentro de um ônibus escolar, em Hamilton County, na Florida. De acordo com jornais locais, o estudante, identificado apenas como Tyler, foi atacado por um grupo de adolescentes negros, que descobriram que o garoto era apoiador do presidente Donald Trump. O caso ocorreu no mês passado, mas o vídeo só foi divulgado nesta quinta-feira (12).

No Twitter, a mãe de Tyler afirmou que seu filho foi atacado porque foi para a escola com um boné que tinha escrito “Trump 2020”. Revoltada, ela divulgou os laudos médicos do filho e as imagens das agressões.

Quando Tyler foi examinado depois da escola, as enfermeiras encontraram outros hematomas junto com os novos ferimentos. “Ele não nos contou sobre o bullying, mas eles levaram isso para um novo nível ontem e agora estamos entendendo o que ele estava passando”, disse a mãe.

Laudo mostra as lesões que o adolescente sofreu após ataque racista.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Puro e simples, este foi um crime de ódio e tentativa de assassinato de acordo com o estado da Flórida, uma vez que foram mais de três crianças que o agrediram e essas crianças são muito maiores que ele”, disse a mãe.

Após o ocorrido, a família do adolescente entrou em contato com a polícia e com a escola e imediatamente os alunos agressores foram suspensos da escola.

O caso de Tyler é apenas mais um, entre vários crimes de ódio, incluindo ataques racistas, vindos de grupos de esquerda contra conservadores. No Brasil, dezenas de episódios de agressões físicas foram registrados durante a campanha eleitoral de Jair Bolsonaro. Ainda hoje, apoiadores do presidente sofrem ameaças de morte, agressões e tentativa de censura.

 

Autor: Fernanda Salles

Fontes: Jornal The Sun

American Greatness

American Diaries 

Sobre o Colunista

Fernanda Salles

Fernanda Salles

Jornalista/Repórter

10 Comentários

Clique aqui para comentar

  • noza… q trixte. bateu foi pouco, culpa dos pais do moleque que o ensinaram o caminho errado, não seguiram a biblia direito “ensina a criança no caminho em que deve andar e quando crescer não se desviará dele…”. Quer defender racista em estado americano do sul (região com mais negros)… A´panhou foi pouco, espero que tenha aprendido… Com aprendiz de neonazista a gente faz assim :'( :* #FogoNosRacista #FogoNosTrumpistas

  • Isso é caso para um processo contra as famílias destas jovens até por tentativa de homicídio e elas tem que pagar uma indenização pesada a mães deste menino, assim elas pensarão muito antes de serem intolerantes com quem pensa diferente deles

  • pra isso servem as guerras…
    Essa cena deprimente só me moatra que eatamos errados, pessoas são ruins por serem ruins. Não devemos misturar as coisas. Mas se fossem brancos batendo em um negro ai puta q pariu… que crime horroroso..

  • Esse é o tal ódio do bem da esquerda, a covardia é tanta que precisam de 3 maiores para agredir um menor (me refiro ao tamanho, não a idade), fico aqui imaginando, será que algum dos agressores teria coragem de encarar mano a mano alguém não maior, mas simplesmente do mesmo tamanho? Tenho nojo de esquerdopatas.

  • Isso tudo só significa 1 única coisa: estamos lidando com uma situação de eminente guerra civil. This means war.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...