fbpx

Renan quer demissão da cúpula da Petrobras? Onde estava Renan quando a estatal era saqueada?

Renan Calheiros. Foto: Dida Sampaio/Estadão
 


Em seu papel de grande opositor do presidente Michel Temer (MDB), o senador Renan Calheiros quer que seja demitida toda a direção da Petrobras. E quer o quanto antes…

É de se concordar com Renan Calheiros em um ponto: o problema passa pelas cúpulas que tomaram e tomam conta da Petrobras até agora. Mas quem as comanda e quem participa da festa? O presidente Michel Temer não é solução, mas parte do problema.

Renan também não é solução, mas parte do problema.

Temer é mais uma das figurinhas carimbadas do estamento burocrático brasileiro onde o poder emana do povo, mas contra este mesmo povo é exercido.

O governo de Michel Temer é fraco e, diante da situação que é vivenciada no país, busca (como todos os outros já fizeram nas mais variadas crises!) solução paliativa sem encarar de fato o problema: a imensa máquina estatal e o preço que todos os brasileiros pagam por ela para sustentar um Estado ineficiente, metido a empresário e com péssima prestação de serviços.

Uma hora a bolha estoura. O governo deveria começar se livrando da imensa quantidade de estatais ineficientes, cortando custos, dentre outras medidas.

Rever de forma séria o papel do Estado é urgente nesse país, no qual trabalhadores são obrigados a entregarem cinco meses de suas vidas para custear a bela máquina estamentária e o bancar os privilégios de quem dela faz parte. Michel Temer lambe os beiços nesse estamento!

Ao se apossarem desse estamento, do qual Temer é parte, os governos petistas agigantaram ainda mais o Estado, maquiaram as contas públicas e promoveram um verdadeiro saque às estatais, incluindo a Petrobras, que foi loteada entre partidos, incluindo o MDB do qual Calheiros faz parte.

Onde estava toda essa indignação de Renan Calheiros na época? Onde estava o Dom Quixote alagoano a mirar em seus Moinhos de Vento pedindo a queda de todos? Era muito mais ameno com o governo.

Para Renan Calheiros, o presidente Michel Temer é uma catapulta para uma agenda positiva, já que quase não há quem não odeie – em com toda razão! – Temer.

Agora, o que Renan Calheiros – o profeta do caos – defende? Controle de preços com maior intervenção na economia para mais uma vez disfarçar o caos oriundo das decisões do passado, tomadas dentro de um projeto de poder cujo cunho ideológico dispensa apresentação? Renan Calheiros quer mais Estado para resolver os problemas causados pelo estatismo de base socialista do qual o emedebista era aliado? Aliás, ele e Michel Temer eram aliados ao custo de uma parceria nefasta ao país com o PT.

Em passado recente, Renan Calheiros era um homem importante aos petistas que, ao lado de Michel Temer (que era o vice de Dilma Rousseff (PT)), ajudaram a quebrar o país. Michel Temer é o efeito colateral da tragédia, logo trágico também. No presente de agora, Renan Calheiros é aliado do PT com toda força, inclusive brigando pela candidatura do condenado Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No Inferno de Dante chamado estamento burocrático brasileiro, Renan Calheiros é um personagem que transita em todos os círculos, mas escolheu o vilão da vez para praticar seu antagonismo de momento.

Diante da incompetente Dilma Rousseff, uma das personagens centrais dos dramas da Petrobras, Renan Calheiros também escolheu um lado: rasgar a Constituição para garantir os direitos políticos da ex-presidente. Para Renan, EX-PRESIDENTA!

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...