fbpx

Ricardo Salles presta esclarecimentos no Senado sobre Fundo Amazônia

 


O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participa nesta quarta-feira (7), a partir das 14h, de audiência pública conjunta para prestar esclarecimentos sobre a gestão do chamado Fundo Amazônia.

A audiência pública será realizada pelas comissões de Meio Ambiente (CMA) e de Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) do Senado. A presença do ministro foi requerida pelos senadores Eduardo Braga (MDB-AM) e Soraya Thronicke (PSL-MS).

O ministro terá de explicar as intenções do governo para o Fundo Amazônia, com foco na gestão do fundo, no relacionamento com os países parceiros e relação com organizações não governamentais. A reunião será feita na sala 13 da Ala Alexandre Costa, no anexo 2 do Senado Federal.

Criado em 2008 para receber doações para conservação ambiental e promoção de atividades sustentáveis, o Fundo Amazônia é formado por dinheiro doado principalmente pela Noruega e pela Alemanha (99%) e administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ao longo de 11 anos, já foram doados cerca de R$ 3,4 bilhões.

O assunto ganhou destaque na imprensa depois que o Ministério do Meio Ambiente anunciou que o governo estuda formas de mudar a utilização dos recursos, o que provocou críticas de ambientalistas e desagradou aos países doadores, que cogitaram suspender a ajuda.

O dinheiro tem sido usado para investimentos não reembolsáveis em prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, além da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

3 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Essa esquerda burra( desculpe o pleonasmo), só fala que a devastação aumentou. Mas mente e mente muito.

  • Agora uma transcrição das entrelinhas:

    Países da Europa ricos em Petroleo se uniram a países sem Petroleo da Europa para juntos criarem um cartel de controle direto e indireto sobre o preço do Petroleo internacional, usando de inumeras estratégias, até que eles pudessem criar alternativas economicamente viáveis ao uso do Petroleo.

    O tal Fundo da Amazônia é apenas um famoso ‘cala boca’ pra que o Brasil não procurasse explorar Petroleo na Amazonia e com isso aumentasse a oferta do chamado ‘ouro negro’ no mercado internacional, diminuindo seu preço e assim inviabilizando comercialmente as outras alternativas de energia desejada por alguns países da Europa.

    Hoje que os EUA são autosuficientes em Petroleo e boa parte da Europa tem investido constantemente em outras fontes de energia, o mundo tem retornado ao uso comercial do Petroleo devido a suas inumeras vantagens de produto e do sistema de livre mercado internacional.

    E como sabemos isso revolta profundamente os Globalistas, os Comunistas e todos outros mundo afora que possuem desejos totalitários de manipularem os mercados a seu favor..

  • Enquanto os “meliantes” das facções partidárias ficam criando camas-de-gatos para o governo, os parlamentares que não são PEÇONHENTOS dormem no ponto.

    Cadê a comissão para chamar os líderes dos antros estudantis, a mídia suja que recebeu milhões de reais nos governos da Orcrim PT e até donos de grupos de comunicação que alugaram canais para igrejas?

    Dessa assepsia voltaria muito dinheiro aos cofres públicos.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...