fbpx

Rússia reafirma apoio ao ditador Maduro e fala em ‘banho de sangue’ na Venezuela

 


A crise na Venezuela se agravou nos últimos dias diante de numerosos protestos contra o ditador comunista Nicolás Maduro. A ONG Observatório Venezuelano de Conflitividade Social (OVCS) já contabilizou dezoito mortos na últimas 24 horas no país vizinho.

O governo da Rússia, apoiador da ditadura latino-americana, alertou sobre a possibilidade de agravamento da crise no país a partir do estabelecimento de um processo de transição comandado por Juan Guaidó. Autoridades russas afirmaram que há riscos de redução da cooperação econômica com a Venezuela, pois a instabilidade interna impede negociações e acordos.

“É uma via direta para a anarquia e o banho de sangue”, afirmou por pronunciamento o Ministério das Relações Exteriores russo, nesta quinta-feira (24). Segundo O GLOBO, o Kremlin, por meio do porta-voz Dmitry Peskov  informou que não houve pedido de ajuda militar por parte da Venezuela. O governo russo criticou a “usurpação” do poder por parte de Guaidó e classificou Maduro como líder legítimo. Peskov destacou ser “muito perigoso” que autoridades americanas cogitem intervenção militar na Venezuela.

O presidente do Comitê de Defesa, Vladimir Shamanov, disse que a situação atual tem efeito desestabilizador, gerando reduções de investimentos. “Qualquer instabilidade,  e nós vimos isso acontecer no século passado, é sempre repleta de conseqüências.”

O presidente do Comitê de Relações Exteriores, Konstantin Kosachev, não reconheceu a legitimidade do ato de Guaidó e defendeu o ditador da Venezuela. Segundo ele, há “sinais de um golpe de Estado” no país.

QUEDA DE NICOLÁS MADURO PODE ESTAR PRÓXIMA

Diante da ilegitimidade da eleição de Maduro, o opositor do regime, Juan Guaidó, do partido Vontade Popular, se declarou presidente interino da Venezuela nesta quarta-feira (23).

“Na condição de presidente da Assembleia Nacional, ante Deus, a Venezuela, em respeito a meus colegas deputados, juro assumir formalmente as competências do executivo nacional como presidente interino da Venezuela. Para conseguir o fim da usurpação, um governo de transição e ter eleições livres”, disse Guaidó.

Após o anúncio, vários países reconheceram oficialmente Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Confira:

  • Brasil
  • Estados Unidos
  • Argentina
  • Canadá
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Equador
  • Guatemala
  • Honduras
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • Reino Unido

Os países que continuam apoiando o ditador venezuelano são:

  • Rússia
  • Cuba
  • México
  • Bolívia
  • Nicarágua
  • Turquia

Fontes: AFP, Money Times, O Globo

Sobre o Colunista

Fernanda Salles

Fernanda Salles

Jornalista/Repórter

14 Comentários

Clique aqui para comentar

  • só pelos países que estão apoiando o maduro da pra perceber que estamos do lado certo:

    Os países que continuam apoiando o ditador venezuelano são:
    Rússia
    Cuba
    México quase uma Venezuela milhões de imigrantes querendo ir par ao lado capitalista pq será?
    Bolívia
    Nicarágua
    Turquia

  • Só tem o apoio desses paisecos de terceiro mundo que ninguém quer saber de visitar. A Turquia, único destino turístico plausível, justifica o seu apoio em função da predileção do “democrata” Maduro por carnes nobres servidas em rodízios turcos, enquanto seu povo cai de fome em baixo de seu nariz.

  • De acordo com a Rússia, bom mesmo é deixar que o povo continue escravo de uma ditadura comunista. Nada na vida é de graça, principalmente a liberdade.

  • O comentário do “Kléber Oliveira” é realmente pertinente. O México pode substituir o Brasil no financiamento dos “sobrinhos” de Putin.
    Tremenda bola dentro do Bolsonaro em desconvidar esse fidirapariga para vir a posse. Tomara que caia logo!
    Deus abençoe o povo venezuelano!

  • A Rússia está comandando a divisão do mundo entre Pró-capitalistas e Pró-Comunistas.

    A China é o motor econômico desta ofensiva Comunista global que vai suprir a parte industrial dos países arrasados pela pobreza em nome da implantação do comunismo.

    Reparem que a divisão político ideológica estratégica já está presente entre os países nas duas listas da reportagem, o resto é apenas uma questão de tempo.

    Os países da América do Sul tem de se unir urgentemente numa Aliança Política contra Maduro e a Venezuela ou assistirão aos poucos aos Comunistas tomarem seus países gradativamente..

  • Se a vene se a Venezuela é administrada por um político legítimo como é o caso de maduro eleito no voto imagine o Brasil que elegeu uma cúpula através de fake News e com o apoio de um a mídia conservadora e mentirosa isso aqui então seria o quê se lá é ditadura aqui seria muito pior ima tirania da mentira e calúnia.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...