Allan Dos Santos

Sebastian Kurz, chanceler austríaco aos 31 anos

Ultimamente, não tem sido fácil seguir as agendas globalistas e torcer para políticos esquerdistas. Depois de Macri, na Argentina, Trump, nos EUA, o Brexit, no Reino Unido, a vitória da união entre conservadores e liberais no parlamento australiano, a vitória de Piñera, Chile, e de Juan Hernandez, Honduras, agora é a vez da Áustria.

Sebastian Kurz, chanceler austríaco aos 31 anos, não hesitou em mudar alguns aspectos do seu partido (Partido Popular – ÖVP) e mesmo recebendo críticas de Heinz-Christian Strache, do Partido da Liberdade (FPÖ), também de direita e mais nacionalista, onde dizia ter Kurz copiado seu programa, ele convida Strache para número dois do governo.

De fato, há austríacos de inclinação nazista, o que é um prato cheio para a mídia chamar todos os direitistas de fascistas, mas este não é, definitivamente, o perfil do novo chanceler. Amadureceu bastante de 2013 para cá, quando estava trabalhando no governo. E como disse Euronews “foi um dos primeiros (2015) a criticar a política de acolhimento dos migrantes da chanceler alemã Angela Merkel. Foi um dos artesãos do fecho da rota dos Balcãs. Agora, promete lutar contra a imigração ilegal, acelerar o tratamento dos pedidos de asilo e reduzir os subsídios aos requerentes.”

O ex-líder da juventude do partido democrata-cristão (ÖVP), hoje chanceler, embora terá muitos adversários para vencer dentro e fora da Áustria.

 

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Tomara que isso ajude a acordar a Alemanha, aquele povo foi mentalmente castrado a decadas e hoje é um dos países onde mais prospera o globalismo, pior que eles impõe isso ao resto da Europa com seu poder econômico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close