SECOM desmoraliza Globo: ‘Se fizesse bom jornalismo publicaria sua própria participação em supostos pagamentos de propina a dirigentes da Fifa’



A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) divulgou nota nesta segunda-feira (4) em resposta ao diretor da Rede Globo, Ali Kamel.

Mais cedo, foi divulgada uma nota assinada por Kamel parabenizando a matéria repercutida pelo Jornal Nacional, que associava o nome do presidente Jair Bolsonaro à morte de Marielle Franco. “Há momentos em nossa vida de jornalistas em que devemos parar para celebrar nossos êxitos”, começa o ‘textão’. (leia à íntegra abaixo).

Em resposta, a Secom lamentou que a Globo considere motivo de comemoração a matéria, “que, sob o verniz de jornalismo imparcial, somente leva desinformação aos brasileiros”, enfatiza.

A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República disse repudiar a perseguição da TV Globo ao presidente Jair Bolsonaro, na tentativa de envolvê-lo no caso Marielle.

Ainda de acordo com a pasta, “caso a emissora tivesse realmente pautado seu trabalho pela imparcialidade, rigor na apuração e profundidade de investigação, não teria levado ao ar matéria tão frágil do ponto de vista jornalístico. A reportagem seguiu adiante mesmo sabendo que o depoimento que relacionava o presidente da República não passou de fraude e se apresenta como outro crime que merece apuração”.

E acrescenta:

Jornalismo não pode ser feito com suposições. É evidente o foco da emissora em promover discórdias e enfraquecer o governo, enquanto outros fatos notórios positivos do país são silenciados, pois não interessam aos cofres da empresa.

Se a TV Globo fizesse bom jornalismo, como defende, investigaria e publicaria, por exemplo, sua própria participação em supostos pagamentos de propina a dirigentes da Fifa para compra de direitos de transmissão da Copa do Mundo.

Ali Kamel

“Há momentos em nossa vida de jornalistas em que devemos parar para celebrar nossos êxitos.

Eu me refiro à semana passada, quando um cuidadoso trabalho da editoria Rio levou ao ar no Jornal Nacional uma reportagem sobre o Caso Marielle que gerou grande repercussão.

A origem da reportagem remonta ao dia 1° de outubro, quando a editoria teve acesso a uma página do livro de ocorrências do condomínio em que mora Ronnie Lessa, o acusado de matar Marielle. Ali, estava anotado que, para entrar no condomínio, o comparsa dele, Elcio Queiroz, dissera estar indo para a casa 58, residência do então deputado Jair Bolsonaro, hoje presidente da República. Isso era tudo, o ponto de partida.

Um meticuloso trabalho de investigação teve início: aquela página do livro existiu, constava de algum inquérito? No curso da investigação, a editoria confirmou que o documento existia e mais: comprovou que o porteiro que fez a anotação prestara dois depoimentos em que afirmou que ligara duas vezes para a casa 58,  tendo sido atendido, nas palavras dele, pelo “seu Jair”.

A investigação não parou. Onde estava o então deputado Jair Bolsonaro naquele dia? A editoria pesquisou os registros da Câmara e confirmou que o então deputado estava em Brasilia e participara de duas votações, em horários que tornavam impossível a sua presença no Rio. Pesquisou mais, e descobriu vídeos que o então deputado gravara na Câmara naquele dia e publicara em suas redes sociais. A realidade não batia com o depoimento do porteiro.

Em meio a essa apuração da Rio (que era feita de maneira sigilosa, com o conhecimento apenas de Bonner, Vinicius, as lideranças da Rio e os autores envolvidos, tudo para que a informação não vazasse para outros órgãos de imprensa), uma fonte absolutamente próxima da família do presidente Jair Bolsonaro (e que em respeito ao sigilo da fonte tem seu nome preservado), procurou nossa emissora em Brasilia para dizer que ia estourar uma grande bomba, pois a investigação do Caso Marielle esbarrara num personagem com foro privilegiado e que, por esse motivo, o caso tinha sido levado ao STF para que se decidisse se a investigação poderia ou não prosseguir.

A editoria em Brasilia, àquela altura, não sabia das apurações da editoria Rio. Eu estranhei: por que uma fonte tão próxima ao presidente nos contava algo que era prejudicial ao presidente? Dias depois, a mesma fonte perguntava: a matéria não vai sair?

Isso nos fez redobrar os cuidados. Mandei voltar a apuração quase à estaca zero e checar tudo novamente, ao mesmo tempo em que a Editoria Rio foi informada sobre o STF. Confirmar se o caso realmente tinha ido parar no Supremo tornava tudo mais importante, pois o conturbado Caso Marielle poderia ser paralisado.

Tudo foi novamente rechecado, a editoria tratou de se cercar de ainda mais cuidados sobre a existência do documento da portaria e dos depoimentos do porteiro. Na terça-feira, dia 29 de outubro, às 19 horas, a editoria Rio confirmou, sem chance de erro, que de fato o MP estadual consultara o STF.

De posse de todas esses fatos, informamos às autoridades envolvidas nas investigações que a reportagem seria publicada naquele dia, nos termos em que foi publicada. Elas apenas ouviram e soltaram notas que diziam que a investigação estava sob sigilo. Informamos, então, ao advogado do presidente Bolsonaro, Frederick Wassef, sobre o conteúdo da reportagem e pedimos uma entrevista, que prontamente aceitou dar em São Paulo.

Nela, ele desmentiu o porteiro e, confirmando o que nós já sabíamos, disse que o presidente estava em Brasília no dia do crime. Era madrugada na Arábia Saudita e em nenhum momento o advogado ofereceu entrevista com o presidente.

A reportagem estava pronta para ir ao ar. Tudo nela era verdadeiro: o livro da portaria, a existência dos depoimentos do porteiro, a impossibilidade de Bolsonaro ter atendido o interfone (pois ele estava em Brasilia) e, mais importante, a possibilidade de o STF paralisar as investigações de um caso tão rumoroso.

É importante frisar que nenhuma de nossas fontes vislumbrava a hipótese de o telefonema não ter sido dado para a casa 58. A dúvida era somente sobre quem atendeu e só seria solucionada após a decisão do STF e depois de uma perícia longa e demorada em um arquivo com mais de um ano de registros. E isso foi dito na reportagem. Quem, de posse de informações tão relevantes, não publica uma reportagem, com todas as cautelas devidas, não faz jornalismo profissional.

Hoje sabemos que o advogado do presidente, no momento em que nos concedeu entrevista, sabia da existência do áudio que mostrava que o telefonema fora dado, não à casa do presidente, mas à casa 65, de Ronnie Lessa. No último sábado, o próprio presidente Bolsonaro disse à imprensa: “Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano”.

Por que os principais interessados em esclarecer os fatos, sabendo com detalhes da existência do áudio, sonegaram essa informação?

A resposta pode estar no que aconteceu nos minutos subsequentes à publicação da reportagem do Jornal Nacional.

Patifes, canalhas e porcos foram alguns dos insultos, acompanhados de ameaças à cassação da concessão da Globo em 2022, dirigidos pelo presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, que só cumpriu a sua missão, oferecendo todas as chances aos interessados para desacreditar com mais elementos o porteiro do condomínio (já que sabiam do áudio).

Diante de uma estratégia assim, o nosso jornalismo não se vitimiza nem se intimida: segue fazendo jornalismo. É certo que em 37 anos de profissão, nunca imaginei que o jornalismo que pratico fosse usado de forma tão esquisita, mas sou daqueles que se empolgam diante de aprendizados.

No dia seguinte, já não valia o sigilo em torno do assunto, alegado na véspera para não comentar a reportagem do JN antes de ela ir ao ar. Houve uma elucidativa entrevista das promotoras do caso, que divulgamos com o destaque merecido: o telefonema foi feito para a casa 65, quem o atendeu foi Ronnie Lessa, tudo isso levando as promotoras a afirmarem que o depoimento do porteiro e o registro que fez em livro não condizem com a realidade.

O Jornal Nacional de quarta exibiu tudo, inclusive os ataques do presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, respondidos de forma eloquente e firme, mas também serena, pela própria Globo, que honra a sua tradição de prestigiar seus jornalistas. Estranhamente, nenhuma outra indagação da imprensa motivada por atitudes e declarações subsequentes do presidente foi respondida. O alegado sigilo voltou a prevalecer.

Mas continuamos a fazer jornalismo. Revelamos que a perícia no sistema de interfone foi feita apenas um dia depois da exibição da reportagem e num procedimento que durou somente duas horas e meia, o que tem sido alvo de críticas de diversas associações de peritos.

Conto tudo isso para dar os parabéns mais efusivos à editoria Rio. Seguiremos fazendo jornalismo, em busca da verdade. É a nossa missão. Para nós, é motivo de orgulho. Para outros, de irritação e medo.”

Ali Kamel

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

34 Comentários

Clique aqui para comentar

  • No governo P.T.osco/luladrão/ ventriloqua não deixaram ser Manchette, o roubo usando o Esporte.

    globo? # ela Não!

    PRESIDENTE JAIR BOLSONARO!

    Amamos você. Nosso apoio.
    GALERA ___________B 17.

  • O diretor de Jornalismo da GLObolixo e o William Bonner devem ser enquadrados no art. 26 da Lei de Segurança Nacional!!!! Além disso, a concessão da Globolixo pode ser, de imediato, cassada pq cometeu o crime de apologia ao crime (art.287, CP) ao pregar em sua novela – as 07 horas da noite – como fazer o aborto (crime arts. 124 e ss do CP).

  • Esse pessoal da Globo acha que o povo continua acreditando em suas mentiras… A pergunta que fica é: digamos que fosse verdade, QUAL O MOTIVO DO SUPOSTO CRIME? Isso não faz o menor sentido e todo mundo sabe disso. Não é como o caso do CELSO DANIEL…

  • Chega de manipulação de notícias, assassinato de reputação, desinformação e dessa agenda progressista porca que esse lixo de emissora propaga.

    A #GloboLixo sentirá toda a ira dos cidadãos de bem do Brasil.

  • A investigação “METICULOSA” não foi esperta o suficiente para se certificar que Bolsonaro estava em Brasília, dado que qualquer um tem acesso tão mais fácil do que à páginas de um inquérito de invetigação que corria em segredo de justiça, além da desinformação, a quebra do sigilo da investigação tem maior grave teor do que o propuseram, a #GloboLixo tem que pagar por todos os seus erros cometidos, sendo eles por acaso, ou propositalmente.

  • Não adianta groubo tirar sarro, “zorrar contra o Presidente Jair”, a globostolão virou um bando de HIPÓCRITAS, oportunistas. Estão querendo tirar sarro de nós, porque sempre tratou os brasileiros como imbecis, manipulando. A meritocracia é do POVO.
    Fora bando de Canis lúpus selvagens.

  • XÔ globostolão!
    Chega desta distribuição desnecessária de opiniões não requisitadas.
    Looooonnnnnnngeeee do meu país! Fora.

  • @Luciano , apareceu aqui de novo? 😉 Conhece a Arte da Guerra de Sun Tzu? Pois é, é exatamente isso que estou fazendo com você, ou seja, EU ESCOLHO quando, onde e como se dará a batalha e não você. 😉 KKKKKKKKKKK! 😀

  • Maria.

    Sugerindo livro?!
    Está parecendo até que não é analfabeta funcional e consegue entender os livros 🙂

    Try harder

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk….

    maria , arranje um marido, tá matando cachorro a grito.
    suas opiniões não combinam com os nossos looks. Não vamos usar.

  • @Flor , eu não estou “matando” ninguém, além do mais, vocês se consideram “cachorros”!? 😐 KKKKKKKKKK! 😀

  • A Globo fez sim um grande trabalho.

    Não adianta os deficientes mentais brasileiros, com sua demência severa, achar que macaco analfabeto do Allan dos Santos e o seu Terça Livre faz um bom jornalismo, se o seu líder ama mamar nas bolas da família Bolsonaro.

    O brasileiro não passam de idiotas que amam apanhar de tudo e todos, pois amam serem uma subraça patética de terceiro mundo.

  • Maria.

    Eu já acesso este fórum bem antes de você, apenas fico atento ao pessoal que paga de isentão e só quer prejudicar o governo Bolsonaro e o Terça Livre que é um site conservador.

    Baccus faz parte de seu bando? A única diferença é que ele é um pouco mais agressivo que você, porém não passa de um idiota útil.

  • Luciano, vc deu a melhor definição da MAV Maria que já vi! Rsrsrsrsrsrs!!! É engraçado que os MAVs de esquerda estão defendendo absurdamente a Globolixo, pq será??? Ah, e nos chamam de Milícia digital Bolsonarista – é aquela velha tática da esquerda nos chamam daquilo que ela é. Nossa, mais Bolsonaro deve ser mega milionário pq para ter dinheiro para pagar milhares de pessoas que pararam de ver Globolixo, que cancelaram suas assinaturas no Jornal O Globo, cancelaram suas assinaturas na Veja, na Isto é e na Foice de São Paulo. Os números comprovam que é impossível haver uma milícia Bolsonarista de milhares de pessoas pq Bolsonaro NÃO tem e nunca teve dinheiro para isto. Bolsonaro foi Deputado Federal por 28 anos e NÃO ROUBOU – como o Luladrão fez (e usa este dinheiro para pagar os MAVs de esquerda – como a Maria que escreve aqui).
    E, nós, o povo brasileiro decidimenos parar de comprar produtos de todas as empresas que fazem propaganda na Globolixo: Avon, Sadia, Claro, Ifood, brahma e muitas outras. Pq nós não concordamos com uma TV que MENTE em seus Jornais e que comete crime no ar – ao fazer apologia ao crime (art.287 do Código Penal) – quando ensina em suas novelas, que passa as 19 horas, adolescente a cometerem o crime de aborto (arts. 124 e ss do Código Penal). Vc, que anuncia na Globolixo, quer o nome de sua empresa associada a uma TV comete o crime de apologia ao crime de aborto em suas novelas???

  • Samanta.

    Muito boa sua análise da realidade, a esquerda não entende que ao contrário deles, nós da direita temos essa capacidade de analisar a realidade. Não somos papagaios que repetem a mesma ladainha de sempre (fascistas, homofóbicos, etc) como também não somos idiotas para acreditar na histeria que eles tentam nos impor como realidade.

    Enfim, não somos massa de manobra como eles que querem fazer do Brasil um inferno socialista.

  • Maria.

    Já li várias postagens suas e de muitos outros. Conhecendo as táticas imorais da esquerda, seu modo de atuação, principalmente baseado em mentira e dissimulação, sou perfeitamente capaz de analisar e chegar a uma conclusão sobre o perfil de quem posta e suas reais intenções.

    Você é sim uma pessoa da esquerda, tentando aparentar isenção mas só quer disseminar a ideia de que o Terça Livre é um portal de fake news e desgastar a imagem do governo.

    Face ao esculacho que você recebe da grande maioria aqui, já era para você ter percebido que não tem poder de convencimento algum, mas mesmo assim você continua, o que me leva a crer que te pagam para isso.

    Acredito que a maioria aqui também já percebeu isso, mas eu faço questão de expor pessoas como você para evitar que algum leitor mais incauto seja ludibriado.

  • @Luciano , não, ERROU FEIO! Errrooooouuuu!!! (Faustão). Eu sou ANÁRQUICA e, para mim, políticos são todos FARINHA DO MESMO SACO! TODOS! Incluindo militantes, simpatizantes FANÁTICOS como vocês e os que tem “político de estimação”. 😉 KKKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • @Luciano , outra coisa: eu não tenho PRETENSÃO NENHUMA de “convencer” ninguém aqui, meu objetivo é DIVERSÃO jogando a VERDADE e a dura e crua REALIDADE em vocês, quer vocês escutem ou não, eu não me importo. Eu conheço FANÁTICOS, eles me atraem, pois vocês se irritam-se fácil e dou risadas. Vocês praticamente são iguaizinhos ao PeTralhas ou “POMBOS DE XADREZ”, enquanto que vocês são conhecidos como Bolsomínions ou “GADO”. 😉 KKKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • Maria.

    Você acabou de confessar que eu estou certo, embora seu intelecto não lhe permita perceber isso.

    Vou exemplificar para você:

    O Lula sempre negou (e nega até hoje) ser o dono do triplex no Guarujá, mesmo com vários depoimentos de pessoas da OAS que se incriminaram ao afirmar isso, mesmo com diálogos de WhatsApp corroborando e mesmo com comprovantes de pagamentos de Dona Marisa ao triplex, tudo perfeitamente documentado na sentença condenatória do então juiz Sérgio Moro.
    Não importa quão fortes sejam as evidências ou provas, sempre negam tudo.
    Atitude exatamente igual a sua, nega as acusações que lhe fiz mesmo diante de todas as evidências que eu expus ao longo de tantas discussões aqui.

    Uma autêntica ESQUERDISTA!

  • Maria.

    Ainda não se convenceu? Então tem mais uma:

    A esquerda rouba termos da direita para acusá-la do que ela é.
    “Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é – Lenin”

    Você acabou de acusar a direita de ter políticos de estimação, o que é uma mentira, se isso fosse verdade estaríamos apoiando candidatos do PSDB até hoje, pois antes de Bolsonaro era a única “oposição” ao PT.
    Você nos chama de “Gado”, quando esse termo foi criado para definir a esquerda, pessoas que mesmo com o governo as roubando, as extorquindo cada vez mais, tirando sua liberdade, ainda o apoiam.

    E para finalizar você é totalmente incoerente:
    – Acusa o Terça Livre de fake news, mas não para de postar aqui.
    – Alega que seu objetivo não é convencer ao mesmo tempo em que afirma que só joga a “verdade” e a “dura realidade” em nossa cara.
    – Tem a cara de pau de dizer que faz isso por pura diversão sendo que é constantemente esculachada, seria algum tipo de masoquismo? 😀

    Mais esquerdista que isso, não vejo como.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...