Luis VilarNotícias

Soros e o Partido das Sombras: o essencial a saber!

Enquanto o mercado editorial brasileiro publica em volume surpreendente, mas ao mesmo tempo com lacunas absurdas diante da ausência de obras fundamentais para entender a realidade na qual estamos inseridos, há algumas ilhas de excelência que começam a abrir portas para novos autores ao mesmo tempo em que trazem ao país livros de uma magnitude imensurável.

Entre essas ilhas estão a Vide Editorial e a Armada, por exemplo. Não são as únicas obviamente, mas são editoras que entendem a missão que possuem, e olham ao mesmo tempo para o mercado – afinal não são entidades filantrópicas e devem sim buscar o lucro – e também para um compromisso vital: suprir as lacunas já citadas.

Ocupar esse espaço vazio, este vácuo editorial, é perfurar uma bolha ideológica e auxiliar muitos na compreensão do real.

A tarefa é hercúlea.

Torna-se ainda mais difícil quando a “inteligência orgânica nacional” resolveu tampar os olhos e decretar como inexistente o que não conhece. Isto, no mesmo instante em que rotula os outros de conspiracionistas.

Acreditem: nada é mais arrogante que a ignorância apoiada na convicção de que seu restrito horizonte de consciência é a régua que mede a realidade.

Inicialmente por compromisso ideológico e posteriormente pela ignorância descrita acima é que jornais esconderam o Foro de São Paulo, não vasculham os reais interesses de mecanismos internacionais, como a ONU, e não jogam luzes em figuras como George Soros e a teia de tráfico de influência gerida por ele e por outros que recebe o nome de “filantropia”.

Então, precisamos sim falar de George Soros! Graças a Deus a Armada faz isso.

Com esta missão, a editora Armada trouxe ao país – em uma tradução impecável – a obra Do Partido das Sombras ao Governo Clandestino. O livro dos autores David Horowitz e John Perazzo é simplesmente fundamental.

Ao mesmo tempo que é introdutório (para quem nunca ouviu falar do assunto) se faz objetivo e desmascarador, apoiado em todas as fontes primárias possíveis, sempre em notas que podem ser consultadas pelo leitor mais exigente.

É como tem que ser uma obra investigativa.

Do Partido das Sombras é uma verdadeira aula de jornalismo investigativo e ganha ainda mais credibilidade por ter sido Horowitz um dos fundadores da nova esquerda americana.

Todavia, diferente dos nossos tupiniquins-engenheiros-sociais, ele tirou a venda dos olhos ao perceber que as ideias não correspondem aos fatos.

Horowitz vai ao nascedouro da coisa ao mostrar como as estratégias globalistas de controle de comportamento das massas se dão nos Estados Unidos. Revela como essa engenharia-social visa, por meio do uso de uma ideologia que camufla fins políticos, atender aos interesses de quem está no topo e quer controlar o capitalismo em benefício próprio, visando transformá-lo no que o professor Olavo de Carvalho chama de “metacapitalismo”.

Esta é a razão pela qual a imensa rede de ONGs e outros mecanismos financiados por Soros se apoiam nas causas progressistas para quebrar – por exemplo – o sentimento de pertencimento que um povo tem diante de sua comunidade ou nação.

Subverter os valores, jogar uns contra os outros, criar o caos e dentro deste agigantar o Estado para impor uma nova ordem que atenda aos seus interesses. Eis o objetivo, em um resumo bem superficial.

O autor expõe os fatos e demonstra como eles estão interligados. Faz o diagnóstico e mostra o financiamento. A network da turma de Soros trabalhou muito para tomar o controle do Partido Democratas, iniciando pelo Colorado, com painéis de discussão promovidos com figurões da mídia e banqueiros. Assim, o ponto de partida se fez para, logo mais, manipular o sistema de saúde americano, financiar projetos e eleger presidentes.

O objetivo é fazer destes chefes de nação marionetes e fraudar a democracia. Até mesmo dentro do Democratas, políticos discordantes foram perseguidos para se criar uma hegemonia, por meio de uma bolha ideológica, dentro do partido. Para isto, tudo é válido e o politicamente correto é só um dos braços que ao limitar a linguagem limita também o pensamento, tornando mais fácil o controle de corações e mentes.

Para os que ainda assim seguirem achando que se trata de “teoria da conspiração” vale lembrar que o grande segredo do diabo é fingir que não existe. Então, indico leituras suplementares que valem muito a pena. O livro de Horowitz, como também tem caráter introdutório, pode ser complementado por outras obras com perfil semelhante e escritas pelo autor brasileiro Alexandre Costa. Falo de Introdução à Nova Ordem Mundial e Brasil e Nova Ordem Mundial.

Costa também faz um brilhante trabalho de abrir portas. Acerta a Vide Editorial quando concede voz ao trabalho de Alexandre Costa, pois seus livros, tão objetivos quanto Partido das Sombras, é recheado de indicações para o leitor mais curioso que quer se aprofundar no tema. Digo: aprofundar-se é necessário. Compreender este mundo não visível, mas com seus efeitos saltando na nossa cara, é o início. Afinal, é preciso saber exatamente quem é o inimigo.

É preciso não confundir globalismo com globalização. É preciso entender que estes fenômenos de desconstrução da cultura ocidental, sobretudo no ataque ao cristianismo e a postura contemplativa da filosofia a serviço da verdade, não são coincidências. Não é por acaso que temáticas como o aborto, ideologia de gênero, desmilitarização e enfraquecimento das forças policiais e defesa do secularismo surgem ao mesmo tempo em vários locais do ocidente como se espontâneo e demandas populares fossem. Não são!

A minoria barulhenta e histérica está muito bem financiada. Se o financiamento não chega ao idiota útil que se sente motor revolucionário da História, chega às cúpulas de quem pensa esse processo e sai, por meio da técnica do apito de cachorro, reunindo a matilha para as lutas quixotescas, inventando moinhos de ventos e gigantes.

As táticas vão desde o já citado politicamente correto ao assassinato de reputações, passando pela censura ideológica. Sem sombra de dúvidas, Horowitz vai ajudá-lo a entender esse caos pós-moderno.

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Obrigada sobre nos alertar e pelas indicações dos livros, que nos ajudam a entender a realidade!

  2. Parabéns pelo seu talento em escrever! “Grande VIlar ” texto instigante que despertar o leitor para o problema oculto, no seu melhor disfarse a “boa” intencão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close