fbpx

STJ afasta Witzel do governo do RJ e PF faz buscas contra primeira-dama

 


O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi afastado temporariamente do cargo nesta sexta-feira (28), depois de decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). 

A Procuradoria-Geral da República (PGR) chegou a pedir a prisão do governador do Rio de Janeiro, no âmbito da operação Tris in Idem, deflagrada nesta sexta, mas o pedido foi negado pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça Benedito Gonçalves, responsável pelo caso.

Witzel responde a três inquéritos no STJ, sendo dois abertos por solicitação da Procuradoria-Geral da República. Um deles apura envolvimento em desvios de recursos destinados à luta contra a Covid-19.

Além disso, dados utilizados nessa investigação embasam também o pedido de impeachment do governador, em andamento na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

A ordem de afastamento decorre das investigações da Operação Placebo, deflagrada em maio deste ano, e da delação premiada do ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos.

Em nota, a defesa de Witzel informa que “recebe com grande surpresa a decisão de afastamento do cargo, tomada de forma monocrática e com tamanha gravidade”. Os advogados afirmaram também que aguardam o acesso ao conteúdo da decisão para tomar as medidas cabíveis.

Também nesta sexta, a Polícia Federal (PF) cumpriu diversos mandados: ao todo, foram expedidos 17 mandados de prisão – 6 preventivas e 11 temporárias – e 72 de busca e apreensão – inclusive contra a primeira-dama Helena Witzel e o deputado estadual André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

O STJ determinou ainda a prisão do pastor Everaldo, presidente do PSC e do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Lucas Tristão, todos citados na investigação da Operação Placebo. Witzel foi notificado sobre seu afastamento no Palácio dos Laranjeiras.

A Operação Placebo foi inicialmente aberta em maio, quando a PF cumpriu 12 mandados de busca e apreensão, parte deles em endereços do governo fluminense, para investigar suposto esquema de corrupção envolvendo a instalação de hospitais de campanha para combate ao novo coronavírus no estado.

Com informações, Revista Oeste

Essa notícia foi comentada do boletim da manhã de sexta-feira (28/8), assista:

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...