fbpx

Suíça confisca conta usada para propinas da Lava Jato

 


O Ministério Público de Berna, na Suíça, confiscou uma conta de uma empresa de fachada que era usada para pagar propinas com os recursos roubados da Petrobras, como já havia sido dito pela empreiteira Odebrecht.

Segundo as primeiras informações, na conta foi encontrado ainda o valor de US$ 2 milhões.

Foi por meio dessa empresa que a Operação Lava Jato desvendou a logística de pagamento que resultou na prisão de Marcelo Odebrecht, que é herdeiro da empreiteira.

O confisco é resultado de uma longa batalha judicial.

Os recursos estão no banco suíço PKB, que é alvo de um inquérito criminal por conta da Lava Jato. Quem controlava a conta era um americano.
Nas investigações, o PKB passou a comunicar às autoridades fiscais todas as movimentações relevantes. A Odebrecht era uma proprietária oculta da conta.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...