Testes doados pela Vale ao Brasil têm até 75% de risco de erro: vieram da China

 


Os testes rápidos para a Covid-19 comprados pela empresa Vale para o Brasil têm “limitações importantes”, de acordo com o Ministério da Saúde.

O órgão pediu análise de qualidade dos testes a um laboratório privado, que apontou 75% de chance de erro em resultados negativos para o vírus chinês.

O porcentual de erro cai para 14% em exames positivos,  que apontam a infecção. Desta forma, o governo sugeriu que o produto seja aplicado apenas em pessoas que apresentam sintomas da Covid-19 há ao menos sete dias, para evitar diagnóstico falso.

O Ministério da Saúde, desde o anúncio do uso dos testes rápidos, já determinava que o produto seria aplicado apenas em quem está na linha de frente do combate  à doença, principalmente profissionais de saúde.

O ministério afirma ainda que está elaborando um documento com recomendações para uso do produto para que o resultado seja “coerente com o que o teste pode oferecer”, de acordo com o Estadão.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

2 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Como o Ministério da “Saúde” pode aceitar um “Presente de Grego” destes, com 75% de erros e ainda por cima contaminadores? É um tiro no pé. Ainda mais doado pela “Vale do Rio Doce” que pertence ao George Soros que tem o objetivo de derrubar governos e criar desestabilidades em todo o globo. Mais uma vez é um tiro no pé, principalmente no do nosso presidente. Só Deus na causa deste país.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...